Principais rankings acadêmicos internacionais: o caso de Chile

Francisco Ganga-Contreras Walter Sáez Adolfo-Ignacio Calderón Ángel Calderón Emilio Rodríguez-Ponce Sobre os autores

Resumo

Os rankings acadêmicos (RACs), apesar de receberem muitos questionamentos, vem se destacando como um instrumento de avaliação externa de apoio para a tomada de decisões das universidades y de diferentes grupos de interesse. Este artigo tem como objetivo analisar e mapear – em termos de metodologias adotadas, formas de seleção de universidades e fontes de informação – os RACs chilenos, em uma ótica comparativa com os mais destacados rankings internacionais. Realiza-se uma pesquisa exploratória, analítico-descritiva e comparativa. Para tanto, se utilizam fontes secundarias de informação, por meio da revisão de bases de dados, páginas web e artigos científicos (pesquisa bibliográfica e documental), classificando-se os RACs estudados a partir das especificidades dos dados por eles utilizados. Pode-se concluir que as principais diferenças existentes entre os rankings internacionais e os chilenos não passam tanto pelos critérios a serem avaliados, mas pela especificidade dos pesos dados aos indicadores adotados. Cada ranking apresenta um conceito próprio de qualidade, no existindo um consenso entre eles.

Educação superior; Governança universitária; Rankings acadêmicos; Rankings universitários

Fundação CESGRANRIO Rua Santa Alexandrina 1011, Rio Comprido, 20261-235 Rio de Janeiro - RJ - Brasil, Tel.: + 55 21 2103 9600, Fax: + 55 21 2103 9600 r.338, - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: ensaio@cesgranrio.org.br