A representação social da educação a distância sob o olhar dos brasileiros

Gustavo Guimarães Marchisotti Fátima Bayma de Oliveira Alessandro Prudêncio Lukosevicius Sobre os autores

Resumo

Este trabalho quali-quantitativo, exploratório e de campo baseia-se na análise dos dados obtidos, a partir da aplicação do teste de evocação de palavras, com um total de 100 respondentes, de forma a se construir a representação social da EaD sob o ponto de vista dos brasileiros. Adotou-se como técnica de tratamento de dados a técnica do “quadro de quatro casas” de Pierre Vergès. Fazendo-se uso de conceitos teóricos sobre EaD, a representação social da EaD será comparada a essa teoria, a fim de se validar conhecimento e identificar lacunas do saber. Identificou-se que a composição do núcleo central da representação social da EaD é composta pelas seguintes palavras: Flexibilidade, Facilidade, Praticidade, Disciplina, Tempo, Barato, Custo, Oportunidade, Internet e Comodidade. A principal conclusão é que, apesar da visão positiva sobre a EaD, algumas premissas precisam ser seguidas para que essa modalidade de educação seja efetiva: 1) necessidade de se mesclar a EaD com encontros presenciais; 2) necessidade dos cursos baseados na EaD possuir professores capacitados, que não abram mão da interação entre os alunos e entre o aluno e o próprio professor e 3) o material precisa ser adequado para essa modalidade de educação, assim como os meios de comunicação e tecnologias utilizadas.

Ensino; Educação; EaD; Representação social

Fundação CESGRANRIO Revista Ensaio, Rua Santa Alexandrina 1011, Rio Comprido, 20261-903 , Rio de Janeiro - RJ - Brasil, Tel.: + 55 21 2103 9600 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: ensaio@cesgranrio.org.br
Accessibility / Report Error