Accessibility / Report Error

Noemy Rudolfer e a organização da escola e do mundo do trabalho nos anos 1920 e 1930

Os anos 1920 e 1930 são importantes para compreendermos e percebermos a organização do Estado e das relações entre capital e trabalho, bem como a construção de um pensamento educacional liberal. Na época, a educação despontava como uma preocupação das elites e dos governantes, seja nas discussões ocorridas no âmbito da Associação Brasileira de Educação (ABE), seja por meio das reformas educacionais dos Estados. A psicologia que se buscava consolidar no campo científico apresentava propostas para o campo da educação e do trabalho com a orientação e a formação dos futuros dirigentes e dirigidos. Foi nesse campo que Noemy Rudolfer teve relevante destaque ao pensar e agir em defesa da psicologia educacional e de suas variantes destinadas ao ambiente escolar, como a orientação profissional. Em ambos os domínios, ela pretendia colocar o homem certo no lugar certo. A ampliação do controle na esfera do trabalho e na escolha das carreiras no campo educacional objetivava instaurar a psicologia como ciência que habilmente evitaria os conflitos sociais. Rudolfer contribuiu para isso ao fortalecer e ampliar o campo a partir de sua atuação na divulgação e na aplicação da psicologia educacional e da orientação profissional no país, configurando uma modernização conservadora. A partir de sua produção e de sua trajetória, buscamos desvelar a colaboração de Rudolfer para a construção de tal pensamento no Brasil dos anos 1920/1930, quando se assumia um discurso modernizador.

Psicologia educacional; Escola Nova; Modernização conservadora; Noemy Rudolfer


Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo Av. da Universidade, 308 - Biblioteca, 1º andar 05508-040 - São Paulo SP Brasil, Tel./Fax.: (55 11) 30913520 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revedu@usp.br