O que a comparação entre a tradição religiosa e os novos movimentos religiosos nos ensina sobre o sujeito hoje?

Religious tradition and the new religious movements compared: a vision about the subject today

O artigo toma a distinção feita por Freud (1939/1996) em "Moisés e o monoteísmo", entre uma tradição herdada e uma tradição comunicada, para comparar alguns traços das religiões tradicionais com características dos novos movimentos religiosos. Usando os recursos epistemológicos que mais tarde foram desenvolvidos por Lacan, observa que a religião monoteísta mantém relação com uma tradição herdada, pondo em cena um real. Argumenta que tanto essa relação quanto a tradição foram perdidas nas práticas das seitas atuais. Conclui que devido ao afastamento dessa dimensão que remete a um real, as novas práticas religiosas recebem uma inflexão que as coloca ao lado da mera prescrição comportamental, fazendo de seus adeptos, sujeitos de uma nova economia psíquica.

psicanálise; religião; novos movimentos religiosos; tradição; sujeito


Programa de Pós-graduação em Psicologia e do Programa de Pós-graduação em Psicobiologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte Caixa Postal 1622, 59078-970 Natal RN Brazil, Tel.: +55 84 3342-2236(5) - Natal - RN - Brazil
E-mail: revpsi@cchla.ufrn.br