Possíveis incompletudes e equívocos dos discursos sobre a questão da disciplina

Possible shortcomings and ambiguities of the discourses on discipline

Luiz Carlos Faria da Silva

Este artigo analisa os discursos produzidos ultimamente por educadores brasileiros preocupados com o tema das relações entre educação, disciplina e transformação social. Indica a existência de dois modelos interpretativos que balizam tais discursos e levanta a hipótese de que o equacionamento do tema nos termos desses dois modelos produziria: a desqualificação e a deslegitimação dos procedimentos ordenacionais indispensáveis, seja à ação humana em geral, seja à ação educativa em particular, tendência à anatematização do exercício de qualquer poder ou autoridade, hipertrofia da soberania do eu e das vontades evanescentes do indivíduo e sacralização dos atos espontâneos privados. Tais discursos vêm inspirando práticas educacionais cujos resultados são antagônicos aos explicitamente almejados por esses educadores: educação falhada, aparentemente aberta e democrática, supostamente indutora de transformação social e do posicionamento crítico, mas, na realidade, alienante, conservadora e inibidora de um espírito moderno de cidadania.

Autoridade; educação; espontaneidade; disciplina; poder; transformação social


Centro de Estudos Educação e Sociedade - Cedes Av. Berttrand Russel, 801 - Fac. de Educação - Anexo II - 1 andar - sala 2, CEP: 13083-865, +55 12 99162 5609, Fone / Fax: + 55 19 3521-6710 / 6708 - Campinas - SP - Brazil
E-mail: revistas.cedes@linceu.com.br