Accessibility / Report Error

Ocorrência da mancha bacteriana do maracujazeiro em Roraima

First report of bacterial blight of passionfruit in Roraima, Brazil

NOTAS FITOPATOLÓGICAS PHYTOPATHOLOGICAL NOTES

Ocorrência da mancha bacteriana do maracujazeiro em Roraima

First report of bacterial blight of passionfruit in Roraima, Brazil

Bernardo A. Halfeld-Vieira; Kátia de Lima Nechet

Embrapa Roraima, Cx. Postal 133, CEP 69301-970, Boa Vista, RR; e-mail: halfeld@cpafrr.embrapa.br

ABSTRACT

This is the first report of Xanthomonas axonopodis pv. passiflorae (=Xanthomonas campestris pv. passiflorae) causing bacterial blight in passionfruit (Passiflora edulis f. flavicarpa) in Roraima, Brazil.

A mancha bacteriana, causada por Xanthomonas axonopodis pv. passiflorae (Pereira) Gonçalves & Rosato é considerada uma das doenças mais limitantes para a cultura do maracujazeiro (Gonçalves & Rosato. International Journal of Systematic and Evolutionary Microbiology 50:811. 2000). No mês de junho de 2005, em plantios comerciais no município de Boa Vista, Roraima, foram observadas plantas de maracujazeiro-amarelo (Passiflora edulis f. flavicarpa Deg.) com sintomas de anasarca em folhas (Figura 1A), evoluindo para queima severa (Figura 1B). Manchas com aspecto oleoso também foram observadas em frutos (Figura 1C). A partir do tecido infectado observou-se exsudação de massa de células bacterianas em microscopia, realizando-se o isolamento da bactéria. No processo de identificação foram verificadas as seguintes características: bactéria Gram negativa, aeróbia estrita, com colônias mucóides, convexas e brilhantes, de coloração amarela (Figura 1D), com resultado negativo para crescimento em asparagina como única fonte de carbono e nitrogênio, produção de urease e oxidase. Positivo para hidrólise do amido e esculina, utilização de glicerol e melibiose e produção de ácido a partir de arabinose (Schaad et al. Laboratory guide for identification of plant pathogenic bacteria. 3 ed. 2001; Krieg & Holt. Bergey's manual of systematic bacteriology. v.1. 1984. p. 199). Para realização de testes de patogenicidade, dez plantas de maracujazeiro-amarelo foram pulverizadas com uma suspensão de células ajustada a 5 x 107 ufc.mL-1. Como controle, outras dez plantas foram pulverizadas somente com solução salina a 0,85%. As plantas permaneceram em câmara úmida por 24 h e posteriormente transferidas para telado. Após sete dias verificaram-se sintomas de encharcamento apenas nas plantas pulverizadas com a suspensão bacteriana, evoluindo rapidamente para queima foliar, de onde foi reisolado o patógeno. A bactéria também foi capaz de incitar reação de hipersensibilidade em plantas de fumo. As características permitiram identificar a bactéria X. axonopodis pv. passiflorae como agente causal da mancha bacteriana em maracujazeiro. A ocorrência da doença não tem sido verificada em espécies de passifloráceas nativas. Este é o primeiro relato da mancha bacteriana do maracujazeiro em Roraima. O isolado se encontra depositado na coleção de Bactérias Fitopatogênicas do Instituto Biológico, Campinas, SP, com o código IBSBF 2253.



Aceito para publicação em 22/02/2006

Autor para correspondência: Bernardo A. Halfeld-Vieira

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    04 Set 2006
  • Data do Fascículo
    Abr 2006
Sociedade Brasileira de Fitopatologia SGAS 902 Edifício Athenas - Bloco B, Salas 102/103, 70390-020 Brasília, DF, Tel./Fax: +55 61 3225-2421 - Brasília - DF - Brazil
E-mail: sbf-revista@ufla.br