Dinâmica de decomposição e nutrientes em plantio de Eucalyptus Urophylla X Eucalyptus Globulus no sul do Brasil

Litter decomposition and nutrients in Eucalyptus Urophylla X Eucalyptus Globulus Hybrid Stand in southern Brazil

Márcio Viera Mauro Valdir Schumacher Marcos Vinicius Winckler Caldeira Sobre os autores

Resumos

Objetivou-se, neste trabalho, determinar o estoque de serapilheira acumulada, sua decomposição e a taxa de disponibilização de nutrientes em um plantio híbrido de Eucalyptus urophylla Ã- Eucalyptus globulus, em Eldorado do Sul-RS. Foram demarcadas quatro parcelas (20 m Ã- 20 m) e, em cada uma delas, foram coletadas estacionalmente (entre março de 2007 e dezembro de 2010) quatro amostras de forma aleatória. A quantidade de serapilheira estocada sobre o solo foi, em média, de 14,0 Mg ha-1.O coeficiente de decomposição foi de 0,54, com tempo médio para a renovação (1/K) de 1,86 anos e tempo médio para decomposição de 50 e 95% da serapilheira em 1,29 e 5,59 anos, respectivamente. O potássio apresentou o maior coeficiente de devolução (0,52), seguido por B > Mg > S = Mn > P > N = Ca > Zn > Cu; consequentemente, o potássio apresentou menor tempo médio de residência na serapilheira (0,91 anos).

ciclagem de nutrientes; coeficiente de decomposição; disponibilização de nutrientes


In this study, we aimed to determine the litter accumulation stock, its decomposition and nutrient release in an Eucalyptus urophylla Ã- Eucalyptus globulus hybrid plantation in the municipality of Eldorado do Sul, Rio Grande do Sul state. Four plots were demarcated (20 m Ã- 20 m) and four samples were seasonally sampled (from March 2007 to December 2010) at random. Average litter accumulation on soil was 14.0 Mg ha-1. Litter accumulated showed 0.54 decomposition coefficient with average renewal time (1/K) of 1.86 years and average time to litter decomposition of 50, and 95% of litter in 1.29 and 5.59 years, respectively. Potassium presented the highest turnover (0.52), followed by B > Mg > S = Mn > P > N = Ca > Zn > Cu and consequently the lowest average residence time in the litter (0.91 years).

nutrient cycling; decomposition coefficient; nutrient release


  • Adams MA, Attiwill PM. Nutrient cycling and nitrogen mineralization in eucalypt forests of south-eastern Australia: I. Nutrient cycling and nitrogen turnover. Plant and Soil 1986; 92(3): 319-339.
  • Campos ML, Marchi G, Lima DM, Silva CA. Ciclagem de nutrientes em floretas e pastagens Lavras: Universidade Federal de Lavras; 2004. (Boletim Agropecuário, n. 64).
  • Chaturvedi OP, Singh JS. Structure and function of pine forest of central Himalaya. II. Nutrient dynamics. Annals of Botany 1987; 60(3): 253-267.
  • Dutta RK, Agrawal M. Litterfall, litter decomposition and nutrient release in five exotic plant species planted on coal mine spoils. Pedobiologia 2001; 45: 298-312.
  • Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Sul - FEPAGRO. Atlas climático: Rio Grande do Sul. Fepagro: Porto Alegre; 2012.
  • Figueiredo Filho A, Morais GF, Schaaf LB, Figueiredo DJ. Avaliação Estacional da Deposição de Serapilheira em uma Floresta Ombrófila Mista Localizada no Sul do Paraná. Ciência Florestal 2003; 13(1): 11-18.
  • Guo LB, Sims REH. Eucalypt litter decomposition and nutrient release under a short rotation forest regime and effluent irrigation treatments in New Zealand: II. internal effects. Soil Biology and Biochemistry 2002; 34: 913-922.
  • Kleinpaul IS, Schumacher MV, Brun EJ, Brun FGK, Kleinpaul JJ. Suficiência amostral para coletas de serapilheira acumulada sobre o solo em Pinus elliotti Engelm, Eucalyptus sp. e Floresta Estacional Decidual. Revista Árvore 2005; 29(6): 965-972.
  • Koehler CW, Reissmann CB, Koehler HS. Deposição de resíduos orgânicos (serapilheira) e nutrientes em plantio de Araucaria angustifolia em função do sítio. Revista do Setor de Ciências Agrárias 1987; 9(1): 89-94.
  • Kolm L, Poggiani F. Ciclagem de nutrientes em povoamentos de Eucalyptus grandis submetidos à prática de desbastes progressivos. Scientia Forestalis 2003; 63: 79-93.
  • Mason CF. Decomposição Tradução de Otávio Antonio de Camargo. São Paulo; 1980. (Temas de biologia, v. 18).
  • Miyazawa M, Pavan MA, Muraoka T, Carmo CAFS, Mello NJ. Análises químicas de tecido vegetal. In: Chitolina JC, Silva FC, Prata F, Muraoka T, Vitti GC, organizadores. Manual de análises químicas de solos, plantas e fertilizantes. Brasília: Embrapa Comunicação para Transferência de Tecnologia; 1999.
  • Moreno JA. Clima do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Secretaria da Agricultura; 1961.
  • Neves EJM, Martins EG, Reissmann CB. Deposição de serapilheira e de nutrientes de duas espécies da Amazônia. Boletim de Pesquisa Florestal 2001; 43: 47-60.
  • Olson JS. Energy storage and the balance of producers and decomposers in ecological systems. Ecology 1963; 44(2): 322-330.
  • O'Connell AM. Nutrient dynamics in decomposing litter in Karri (Eucalyptus diversicolor F. Muell.) forests of South-westren Australia. Journal of Ecology 1988; 76: 1186-1203.
  • Pires LA, Britez RM, Martel G, Pagano SN. Produção, acúmulo e decomposição da serapilheira em uma restinga da Ilha do Mel, Paranaguá, PR, Brasil. Acta Botânica Brasilica 2006; 20(2): 173-184.
  • Poggiani F. Ciclagem de nutrientes em ecossistemas de plantações florestais de Eucalyptus e Pinus: Implicações silviculturais [tese]. São Paulo: Universidade de São Paulo; 1985.
  • Pritchett WL. Properties and management of forest soils. New York: John Wiley; 1979.
  • Reis MGF, Barros NF. Ciclagem de nutrientes em plantios de eucalipto. In: Barros NF, Novais RF, editores. Relação Solo-eucalipto Viçosa: Folha de Viçosa; 1990.
  • Schumacher MV, Bauermann GC, Copetti L, Brun EJ, König FG. Fracionamento da serapilheira em três espécies de eucalipto no município de Santa Maria –RS: Eucalyptus urophylla, Eucalyptus cloesiana e Eucalyptus grandis In: Ciclo de atualização florestal do CONESUL. Santa Maria; 2002. p. 173-180.
  • Silva FAS. ASSISTAT versão 7.6 beta Campina Grande: DEAG - CTRN - Universidade Federal de Campina Grande, Campus de Campina Grande; 2012.
  • Singh RK, Dutta RK, Agrawal M. Litter decomposition and nutrient release in relation to atmospheric deposition of S and N in a dry tropical region. Pedobiologia 2004; 48(4): 305-311.
  • Sociedade Brasileira de Ciência do Solo – SBCS. Comissão de química e fertilidade do solo. Manual de adubação e calagem para os estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina 10. ed. Porto Alegre; 2004.
  • Streck EV, Kämpf N, Dalmolin RSD, Kklant E, Nascimento PC, Scheneider P, et al. Solos do Rio Grande do Sul 2. ed. Porto Alegre: EMATER/RS; 2008.
  • Tedesco MJ. Gianello C, Bissani CA, Bohnen H, Volkweiss SJ. Análise de solo, plantas e outros materiais Porto Alegre: Departamento de Solos, UFRGS; 1995. (Boletim Técnico).
  • Viera M. Dinâmica nutricional em um povoamento híbrido de Eucalyptus urophylla x Eucalyptus globulus em Eldorado do Sul-RS, Brasil [tese]. Santa Maria: Universidade Federal de Santa Maria; 2012.
  • Viera M, Caldato SL, Rosa SF, Kanieski MR, Araldi DB, Santos SR, et al. Nutrientes na serapilheira em um fragmento de floresta estacional decidual, Itaara, RS. Ciência Florestal 2010; 20(4): 611-619.
  • Viera M, Schumacher MV. Concentração e retranslocação de nutrientes em acículas de Pinus taeda L.. Ciência Florestal 2009: 19(4): 375-382.
  • Viera M, Schumacher MV. Deposição de serapilheira e de macronutrientes em um povoamento de acácia-negra (Acacia mearnsii De Wild.) no Rio Grande do Sul. Ciência Florestal 2010; 20(2): 225-233.
  • Witschoreck R, Schumacher MV. Estimativa do carbono da serapilheira em florestas de eucalipto de diferentes idades. In: Anais do 8° Congresso Florestal Estadual de Nova Prata; 2000; Nova Prata. Nova Prata; 2000.
  • Vitousek PM, Sanford RL. Nutrient cycling in moist tropical forest. Annual Review Systems 1986; 17: 137-167 http://dx.doi.org/10.1146/annurev.es.17.110186.001033

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    16 Ago 2013
  • Data do Fascículo
    Set 2013

Histórico

  • Recebido
    10 Dez 2012
  • Aceito
    26 Jun 2013
Instituto de Florestas da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Rodovia BR 465 Km 7, CEP 23897-000, Tel.: (21) 2682 0558 | (21) 3787-4033 - Seropédica - RJ - Brazil
E-mail: floram@ufrrj.br