Correlação entre Disfunção temporomandibular e qualidade do sono em mulheres

Juliana de Paiva Tosato Fabiano Politti Marilia Barbosa Santos Garcia Tabajara de Oliveira Gonzalez Daniela Aparecida Biasotto-Gonzalez Sobre os autores

Resumo

Introdução:

A etiologia da Disfunção Temporomandibular (TMD) é multifatorial e apresenta sintomatologia variada, sendo a dor o sintoma mais comum, o que pode influenciar na qualidade do sono.

Objetivo:

Este estudo teve como objetivo avaliar a correlação entre a TMD e a qualidade e quantidade de sono.

Métodos:

Estudo transversal no qual foram selecionadas 60 mulheres entre 18 e 40 anos, portadoras de TMD, diagnosticadas por meio do Critérios de Diagnóstico para Pesquisa das Desordens Temporomandibulares (RDC/TMD), e que responderam ao Índice Anamnético de Fonsecapara classificação quanto ao grau de severidade da disfunção. Para completar a avaliação, cada voluntária respondeu a Escala visual analógica da dor, e duas questões com relação a qualidade do sono, e a quantidade média de horas de sono por noite.

Resultados:

Verificou-se que quanto mais severa a TMD, menor o número de horas dormidas por noite (r = -0,5663) e 63,33% das voluntárias relataram não dormir bem. Com relação a dor, quanto maior a dor, menor as horas dormidas (r = -0,516) e quanto mais severa a TMD, maior a dor.

Conclusão:

Observou-se que quanto mais severa a TMD, maior a dor e menor o número de horas que as voluntárias referiam dormir por noite.

Palavras-chave:
Transtornos da Articulação Temporomandibular; Dor; Sono

Pontifícia Universidade Católica do Paraná Rua Imaculada Conceição, 1155 - Prado-Velho -, Curitiba - PR - CEP 80215-901, Telefone: (41) 3271-1608 - Curitiba - PR - Brazil
E-mail: revista.fisioterapia@pucpr.br