Influência da força muscular respiratória pré-operatória na evolução clínica após cirurgia de revascularização do miocárdio

Influence of preoperative respiratory muscle strength on clinical evolution after myocardial revascularization surgery

O objetivo foi avaliar se diferenças na força muscular respiratória pré-operatória: a) se relacionam com outros fatores de risco pré-operatórios; e b) influenciam o risco de surgimento de complicações pulmonares pós-operatórias (CPP), os tempos de permanência em ventilação mecânica (VM) e em unidade de terapia intensiva (UTI) e hospitalar após cirurgia de revascularização do miocárdio. O estudo foi observacional, prospectivo, tipo coorte. Vinte e quatro indivíduos concluíram o estudo e, após análise dos valores da manovacuometria pré-operatória, foram alocados em: G1, com pressão inspiratória máxima (PImáx) >70% do previsto (n=13, 54%); e G2, PImáx <70% do previsto (n=11, 46%). Na análise estatística adotou-se o nível de significância de 5% (p<0,05); também foi calculado o risco relativo (RR). Os grupos foram homogêneos (p>0,05) quanto à maioria das variáveis obtidas no pré-operatório (exceto PImáx e PEmáx) e aos dados cirúrgicos. Quase metade dos pacientes do G2, com PImáx inferior, também apresentaram pressão expiratória máxima (PEmáx) inferior à prevista. Os tempos de VM, de internação em UTI e hospitalar pós-operatória, e a presença de CPP não diferiram estatisticamente entre os grupos. Quando comparados aos do G1, os indivíduos do grupo que apresentava fraqueza muscular respiratória (G2) antes da cirurgia revelaram maior risco relativo para o desenvolvimento de complicações pulmonares pós-operatórias.

Complicações pós-operatórias; Evolução clínica; Fatores de risco; Músculos respiratórios; Revascularização miocárdica


Universidade de São Paulo Rua Ovídio Pires de Campos, 225 2° andar. , 05403-010 São Paulo SP / Brasil, Tel: 55 11 2661-7703, Fax 55 11 3743-7462 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revfisio@usp.br