Fractal: Revista de Psicologia, Volume: 25, Número: 2, Publicado: 2013
  • Editorial Dossiê Cartografia: Pistas do Método da Cartografia - Vol. II

    Passos, Eduardo; Kastrup, Virgínia; Tedesco, Silvia
  • Jogo das perguntas: o modo operativo "AND" e o viver juntos sem ideias Dossiê Cartografia: Pistas do Método da Cartografia - Vol. II

    Eugenio, Fernanda; Fiadeiro, João

    Resumo em Português:

    O jogo das perguntas "como viver juntos?" e "como não ter uma ideia?" compõe o Modo Operativo AND, sistema que emergiu da contaminação recíproca entre a Composição em Tempo Real e a Etnografia como Performance Situada. No plano "como viver juntos?", o jogo tem o ritmo da improvisação coletiva em tempo real - podendo ser jogado no interior de qualquer acontecimento quotidiano ou ser praticado de modo laboratorial. No plano "como não ter uma ideia?", o jogo assume o ritmo da investigação solitária e a temporalidade da depuração: é o jogo que jogamos ao executar uma tarefa ou criar uma obra, em qualquer área de atuação.

    Resumo em Inglês:

    The question game "how to live together?" and "how to not have an idea?" composes the Operative Mode AND, a system that emerged from the reciprocal contamination between Real Time Composition and Ethnography as Situated Performance. On the "how to live together?" plan, the game has the rhythm of real time collective improvisation - it can be played within any everyday event or in laboratory practice. On the "how not to have an idea?" plan, the game takes the rhythm of a solitary research and the temporality of depuration: this is the game we play every time we work on the execution of a task or on the creation of an artcraft in any field of activity.
  • Cartografia imaginada da Mangueira Dossiê Cartografia: Pistas do Método da Cartografia - Vol. II

    Opipari, Carmen; Timbert, Sylvie

    Resumo em Português:

    Propomos nesse artigo percorrer os meandros da pesquisa de campo que realizamos, na cidade do Rio de Janeiro, com crianças moradoras do morro da Mangueira e integrantes de sua Escola de Samba. Focamos os desdobramentos teóricos forjados na elaboração coletiva de uma metodologia de pesquisa na qual, tendo a imagem como suporte e objeto de reflexão, deixamo-nos guiar pelos percursos que fizemos com algumas dessas crianças na montagem de dispositivos (desenhos, histórias e vídeo) que permitiram traçar uma cartografia imaginada da Mangueira. Aprendizes de cartógrafos, seguimos as crianças, nossos guias, no labirinto de seu morro, deixamo-nos afetar pela intensidade de uma cor, a fragilidade de uma palavra, a poesia de uma história, compomos com eles um caleidoscópio, sempre precário, prestes a balançar na direção de outras imagens.

    Resumo em Inglês:

    We purpose in this article go through the ins and outs of the field research we did, in the city of Rio de Janeiro, with children living in favela of Mangueira and members of her Samba School. Focus on theoretical developments in forged a collective research methodology in which, having the image as support and subject of a thorough investigation, we let ourselves be guided by routes that we did with some of these children in the assembly of dispositifs (drawings, stories and video) that made it possible to trace an imagined cartography of Mangueira. Apprentices of cartographers, we followed the children, our guides, in the maze of its favela, we let us be affected by the intensity of a color, the fragility of a word, the poetry of a story, compose with them a kaleidoscope, always precarious, about to swing in the direction of other images.
  • Cartografar é traçar um plano comum Dossiê Cartografia: Pistas do Método da Cartografia - Vol. II

    Kastrup, Virgínia; Passos, Eduardo

    Resumo em Português:

    A pesquisa de campo sobre produção da subjetividade enfrenta o problema de construir conhecimento envolvendo pesquisadores e pesquisados, com territórios e semióticas singulares. Surgem questões relativas ao protagonismo dos participantes e a como traçar com eles um plano comum, garantindo o caráter participativo da pesquisa. No contexto do método da cartografia, o artigo tem como objetivo tratar do tema do comum num duplo aspecto. Num primeiro, discute o acesso ao plano comum. Com base em Gilles Deleuze e Felix Guattari, tal plano não é dito homogêneo nem reúne atores que manteriam entre si relações de identidade, mas opera comunicação entre singularidades, sendo pré-individual e coletivo. Num segundo aspecto, aponta que, enquanto pesquisa-intervenção, a cartografia se compromete com a criação de um mundo comum e heterogêneo. O artigo mostra que o traçado do comum tem como diretriz metodológica a tranversalidade e examina os procedimentos de participação, inclusão e tradução.

    Resumo em Inglês:

    The research field on the production of subjectivity faces the problem of building knowledge that involves researchers and the researched ones, with their unique territories and semiotics. Questions about the participants' empowerment arise, as well as how to trace a common plan with them, in order to warrant the participative character of research. Within the context of the cartographic method, the present paper aims at dealing with the theme of common in a double aspect. Firstly, the access to the common plan is discussed. Based on Gilles Deleuze and Felix Guattari, such plan is not homogeneous nor gathers actors who would keep amid each other identity relationships. Instead, it operates communication between singularities, being pre-individual and collective. Secondly, it points out that while intervention-research, cartography commits to create a common and heterogeneous world. The article points out that tracing the common has the transversality as a methodological guideline, and it examines the procedures of participation, inclusion and translation.
  • O ethos da confiança na pesquisa cartográfica: experiência compartilhada e aumento da potência de agir Dossiê Cartografia: Pistas do Método da Cartografia - Vol. II

    Sade, Christian; Ferraz, Gustavo Cruz; Rocha, Jerusa Machado

    Resumo em Português:

    Este texto discute as implicações metodológicas da confiança como um ethos na pesquisa cartográfica. A partir de autores como William James, Daniel Stern, Suely Rolnik e Vinciane Despret, definimos a confiança no entrelaçamento das noções de engajamento e indeterminação. A confiança nos dispõe a agir com base em um plano da experiência anterior à determinação de si e do mundo, o que contribui para a criação coletiva e participativa de conhecimento. A questão da constituição e do manejo dos vínculos no processo de pesquisa é pensada como um regime de contratação. Uma vez que na cartografia a produção de conhecimento é indissociável da construção de novas condições de existência, a aposta é de que a confiança na experiência implica a promoção de uma experiência compartilhada que amplia a potência de agir.

    Resumo em Inglês:

    The following text discusses the methodological implications of trust as an ethos in cartographic research. Based on authors such as William James, Daniel Stern, Sueli Rolnik and Vinciane Despret, we define trust in the interlacing of concepts such as engagement and indeterminacy. Trust predisposes us to act based on a former experience plan, earlier to determination of self and of the world, which contributes to the collective and participatory creation of knowledge. The construction issue and handling of bonds in the research process is conceived as an engagement regimen. Given that in the cartography knowledge production is inseparable from the construction of new existence conditions, the bet relies on trusting the experience implicating the promotion of a shared experience that expands the power of acting.
  • A entrevista na pesquisa cartográfica: a experiência do dizer Dossiê Cartografia: Pistas do Método da Cartografia - Vol. II

    Tedesco, Silvia Helena; Sade, Christian; Caliman, Luciana Vieira

    Resumo em Português:

    O artigo visa discutir a aplicação da entrevista, seja individual ou coletiva, em pesquisa, segundo a perspectiva do método cartográfico. Não indica um modelo específico de "entrevista cartográfica", mas um ethos cartográfico como orientação geral dos procedimentos ligados à sua construção. Apoiado nos estudos da pragmática, afirma a importância da montagem da entrevista como experiência compartilhada, entre entrevistador e entrevistado (s), estabelecida no domínio da linguagem. A questão do manejo é examinada, tendo em vista o caráter de intervenção recíproca entre signos e mundo. A partir de alguns exemplos empíricos, procedimentos e propostas são apresentadas na direção da abertura da experiência, ali em jogo, aos processos de criação de si e de mundos.

    Resumo em Inglês:

    This article aims to discuss the application of the interview, whatever individual or collective, according to the cartographic method. It does not indicate a specific pattern of cartographic, but a cartographic ethos as general guidance of the procedures connected with its construction. Based on the studies of the pragmatic, it states the importance of the structure of the interview as a shared experience between interviewer and interviewee(s) established in the field of the language. The subject of the handling is analyzed, bearing in mind the character of reciprocal intervention between signs and the world. From some empirical examples, procedures and proposals are presented indirection of opening the remarked experience to the processes of self-creation and the creation of worlds.
  • A formação do cartógrafo é o mundo: corporificação e afetabilidade Dossiê Cartografia: Pistas do Método da Cartografia - Vol. II

    Pozzana, Laura

    Resumo em Português:

    Este texto discute a formação do cartógrafo colaborando na construção de pistas do método da cartografia. Ao considerar a processualidade na produção de conhecimento, o texto argumenta que tal formação se faz na abertura atenta do corpo ao plano coletivo de forças em meio ao mundo. O aprendizado e a transformação do pesquisador se fazem no acompanhamento dos efeitos das ações de pesquisa, produzem habilidades e rigor ético. Varela e Latour nos dão suporte na afirmação de que a formação do cartógrafo se faz como inscrição corporal, é acompanhada por processos de corporificação do conhecimento e práticas que configuram regimes de afetabilidade. Neste sentido, aponta para a necessidade de ativação do potencial de ser afetado para além de sua função sensível trivial, ativando uma dimensão de virtualidade que só se amplia à medida que é exercitada. Concluímos que ao pensar na formação do cartógrafo pensamos na produção de mundo.

    Resumo em Inglês:

    This paper examines the cartographer's formation as a collaborator in the construction of clues in the method of cartography. By considering the process involved in the production of knowledge, the authors defend that this formation is achieved by the attentive opening of the body to the collective level of forces present in the world. The researcher's learning and transformation take place through the follow-up of the effects of research actions, developing abilities and ethical standards. Varela and Latour support our affirmation that the cartographer's formation occurs as a corporal inscription, alongside processes of embodiment of knowledge and practices which constitute affectability structures. In this sense, it suggests the need to activate the potential to be affected beyond the trivial sensitive function, activating a virtual dimension that is only expanded to the extent that it is exercised. We conclude that, by reflecting on the cartographer's formation, we are reflecting on his construction of the world.
  • O trabalho do cartógrafo do ponto de vista da atividade Dossiê Cartografia: Pistas do Método da Cartografia - Vol. II

    Barros, Maria Elizabeth Barros de; Silva, Fabio Hebert da

    Resumo em Português:

    Neste artigo são apresentadas diretrizes para pensar o trabalho do pesquisador cartógrafo do ponto de vista da atividade, a partir de contribuições das Clínicas do Trabalho. O desdobramento dessas diretrizes leva à proposição de um gênero pesquisador-cartógrafo. A partir de uma pesquisa com docentes em instituições de ensino superior privada na Grande Vitória, são compartilhadas algumas reflexões sobre a complexidade das relações que constituem esse gênero pesquisador-cartógrafo. Nessa pista do método cartográfico considera-se que a atividade do cartógrafo é a constituição de um gênero sempre em vias de estilização, em meio a processos de aprendizagem e intervenções recíprocas. Esse gênero sempre toma como objeto uma atividade e tem como aposta metodológica a problematização da atividade do pesquisador, que convoca para o diálogo pesquisadores engajados num modo de fazer pesquisa que considera a experiência situada com suas irregularidades e imprevistos.

    Resumo em Inglês:

    In this article are guidelines to think the work of the researcher cartographer, from the activity's point of view, from contributions of Clinics of Labor. The unfold of these guidelines leads to the proposition of a gender researcher cartographer. From a research with teachers in private higher education institutions in Greater Vitória, shares some thoughts about the complexity of relations that constitute this researcher cartographer gender. On this track of cartographic method is considered that the activity of the cartographer is the establishment of gender always styling amid learning processes and interventions reciprocal. This gender always takes as an object the activity and its methodological bet problematize the activity of the researcher, which calls for dialogue researchers engaged in a way of doing research that considers the experience located with its irregularities and unexpected.
  • O lugar do quantitativo na pesquisa cartográfica Dossiê Cartografia: Pistas do Método da Cartografia - Vol. II

    César, Janaína Mariano; Silva, Fabio Hebert da; Bicalho, Pedro Paulo Gastalho de

    Resumo em Português:

    Este texto se propõe discutir as noções de qualitativo e quantitativo no âmbito da pesquisa cartográfica, com ênfase neste último. Estas estão articuladas na direção ético-política de um plano de inseparabilidade entre formas e forças, não restritas à perspectiva dicotômica entre "quali" e "quanti". A partir de dois casos de pesquisa, em suas específicas estratégias, um teste psicológico e um questionário de medição de transtornos mentais leves busca problematizar os efeitos da operação do quantitativo como uma das pistas possíveis ao método da cartografia: a noção de quantitativo como quantum de forças e do qualitativo como diferencial entre quanta de forças, imiscuídas na produção do real.

    Resumo em Inglês:

    This paper proposes to discuss the notions of quality and quantity within the cartographic research, with emphasis on the latter. These are articulated in ethical-political direction of an inseparability plan of forms and forces, not restricted to dichotomous perspective between "quality" and "quantity". From two cases of research in their specific strategies, a psychological test and a questionnaire measuring mild mental disorders, seeks to problematize the effects of quantitative operation as one of the possible clues to the method of cartography: the notion of quantitative as a quantum forces and the notion of qualitative as differential between quanta of forces, in a real production.
  • O problema da análise em pesquisa cartográfica Dossiê Cartografia: Pistas do Método da Cartografia - Vol. II

    Barros, Letícia Maria Renault de; Barros, Maria Elizabeth Barros de

    Resumo em Português:

    Este artigo aborda o papel da análise em uma pesquisa de abordagem cartográfica. Ao equivocar a noção de "dado", entendemos que a análise em cartografia leva a uma redefinição das fronteiras entre subjetividade e objetividade. A análise em cartografia está afinada com outras abordagens de pesquisa e intervenção, assumindo diferentes procedimentos que permitem a análise de implicação na pesquisa e, por conseguinte, a análise da participação. Como efeito da análise, há o reposicionamento do lugar dos participantes na pesquisa. A análise em cartografia permite, ao longo de toda a realização da pesquisa, o acesso a uma objetividade que, em lugar de fixar um sentido unívoco, tende a proliferar sentidos. A cartografia afirma tal paradoxo por meio de uma atitude analítica, agente de singularização.

    Resumo em Inglês:

    This article discusses the role of analysis in a study of cartographic approach. When we question the notion of "data" we mean that the analysis in cartography leads to a redefinition of the boundaries between subjectivity and objectivity. The mapping analysis is tuned to other research approaches and intervention, assuming different procedures that enable the analysis of implication in the research and therefore the analysis of the participation. As a result of the analysis, there is a repositioning of the place of the participants in the study. The mapping analysis allows, throughout the research, access to an objectivity that, instead of fixing unambiguously, tends to proliferate directions. Cartography supports this paradox through an analytic attitude, a singling agent.
  • Sobre a validação da pesquisa cartográfica: acesso à experiência, consistência e produção de efeitos Dossiê Cartografia: Pistas do Método da Cartografia - Vol. II

    Passos, Eduardo; Kastrup, Virginia

    Resumo em Português:

    O texto discute o tema da validação na pesquisa guiada pelo método da cartografia. Define uma diretriz de validação e distingue três indicadores de validação. Propõe que a validação seja realizada em três níveis de avaliação: a autoavaliação realizada pelo próprio pesquisador, a avaliação pelos participantes da pesquisa e a avaliação por pares - o que vem a compor a ideia de uma validação distribuída, já que nenhum dos seus três níveis pode sozinho dar conta da avaliação do processo de investigação. Defende que a validação de uma pesquisa cartográfica se realize ao longo do processo e não apenas ao final da investigação.

    Resumo em Inglês:

    The paper discusses the issue of validation in research guided by the method of cartography. It defines a guideline for validation and distinguishes three indicators for validation. It proposes that validation is assessed on three levels of evaluation: researcher's self-assessment, assessment by the research participants and peer review. This process will result in a distributed validation, as none of these three levels alone can account for the evaluation of the research process. Finally the paper argues that the validation of a cartographic research takes place throughout the process rather than just at the end of the investigation.
  • As durações do devir: como construir objetos-problema com a cartografia Dossiê Cartografia: Pistas do Método da Cartografia - Vol. II

    Fonseca, Tania Mara Galli; Costa, Luis Artur

    Resumo em Português:

    Como podemos falar de objetos, duração e estabilidade em um mundo feito de vertigem e puro fluxo? Este artigo propõe a problematização do conceito de objeto na prática cartográfica para pensar a formação do cartógrafo. Para tanto, necessitamos ultrapassar o dualismo entre estável e instável. Por meio de conceitos como os de tensão e complexidade podemos produzir uma ontologia metaestável. Para produzir esta ontologia relacional, criativa e complexa, vamos usar uma caixa de ferramentas conceitual advinda de dois autores. De Henri Bergson tomaremos os conceitos de duração, intuição, seleção e sentido. De A. N. Whitehead tomaremos os conceitos de preensão, sentires e criação. A partir desses conceitos produziremos um conceito de objeto adequado ao empirismo transcendental e suas virtualidades, um conceito de objeto que ultrapasse os dualismos entre os fluidos e os sólidos: objeto-acontecimento, objeto-problema.

    Resumo em Inglês:

    How can you talk about objects, during and stability and a world made of vertigo and pure fluxes? This article proposes a question about the concept of object in the cartography, to work the formation of the researcher. We need to go beyond the dualism between stable and instable. With concepts like tension and complexity we can produce a metastable ontology. To elaborate this relational, complex and creativity ontology we will use some concepts that can be very useful like a tool box. From Henri Bergson we will catch the following concepts: duration, intuition, selection and felt. From Alfred North Whitehead, we will catch the concepts of prehension, feelings, creation. Working a complexity and relational ontology with this concepts, we will be producing an object without form and substance, beyond the dualism and the necessary essential. An object with a virtual dimension, on a transcendental empiricism: the event-object, the problem-object.
Universidade Federal Fluminense, Departamento de Psicologia Campus do Gragoatá, bl O, sala 334, 24210-201 - Niterói - RJ - Brasil, Tel.: +55 21 2629-2845 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: revista_fractal@yahoo.com.br