O jornalismo como tradução: fabulação narrativa e imaginário social

Journalism as translation: narrative fable and social imaginary

Resumos

A proposta deste trabalho é articular dois campos aparentemente desconexos, os estudos de jornalismo e de tradução. Tem entre seus objetivos demonstrar possibilidades que ultrapassem a visão hegemônica de que o jornalismo mostra fatos cotidianos para aqueles que não os vivenciaram e que a tradução linguística traduz textos originais para os que não podem decodificá-los, ambos os processos afeitos ao modo fiel, objetivo e veraz. Tais visões compartilham a crença em certas dicotomias, como a separação entre verdade e linguagem, referencialidade e ficcionalidade, realidade e fantasia, fato e relato. Busca-se, desse modo, questionar a tradição da objetividade jornalística e da fidelidade ao texto por meio da assunção do caráter narrativo desses discursos e das marcas culturais neles presentes e das implicações disso no imaginário social.

jornalismo; tradução; discurso; narrativa; imaginário


This paper proposes to link together two seemingly unrelated fields, journalism and translation studies. One of its objectives is to demonstrate possibilities that go beyond the traditional view that journalism translates everyday facts for those who did not experience them, that linguistic translation interprets original texts for those who cannot decode them, and that the mode of expression of both these processes is reliable, objective and truthful. These views share a belief in certain dichotomies, such as the separation between truth and language, referentiality and fictionality, reality and fantasy, fact and narrative. Thus, our aim is to question the tradition of journalistic objectivity and textual fidelity by assuming the narrative character of these discourses and their cultural aspects, and the implications of this for the social imaginary.

journalism; translation; discourse; narrative; imaginary


  • BAKHTIN, Mikhail. Os gêneros do discurso - estética da comunicação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 1997.
  • BAPTISTA, Thomas A. A narrativa simbólica do cinema e a representação do real na "história" (Monografia de conclusão de curso). UniFai, São Paulo, 2009.
  • BARTHES, Roland. O rumor da língua São Paulo: Brasiliense, 1988.
  • ______. O prazer do texto 4 ed. São Paulo: Perspectiva, 1996. (Coleção Elos).
  • CALLIGARIS, Contardo. Para que servem as ficções? In: Folha de S.Paulo, Ilustrada, São Paulo, 18 janeiro 2007.
  • DELEUZE, Gilles. Conversações São Paulo: Editora 34, 1992.
  • ______; GUATTARI, Félix. Mil platôs vol. II. São Paulo: Editora 34, 1997.
  • DOSSE, François. História do estruturalismo vol. 1. O campo do signo. Campinas: Editora da Unicamp, 1993.
  • ECO, Umberto. Seis passeios pelos bosques da ficção São Paulo: Companhia das Letras, 1994.
  • HALL, Stuart. On postmodernism and articulation. In: MORLEY, David; CHEN, Kuan-Hsing. Stuart Hall: critical dialogues in cultural studies. Londres: Routledge, 1996. p. 131-150.
  • ______. Identidade cultural na pós-modernidade Rio e Janeiro: DP&A, 2000.
  • ______. Codificação/Decodificação. In: Da diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2005.
  • MARTÍN-BARBERO, Jesus. Dos meios às mediações Rio de Janeiro: UFRJ, 1997.
  • POLCHLOPECK, Silvana. O mundo pós "11 de setembro": tecendo fios/textos entre a tradução e a narratividade jornalística. (Tese de Doutorado). PGET/UFSC, Florianópolis, 2011.
  • PONTES, Felipe Simão; SILVA, Gislene. Acontecimento jornalístico e história. In: BENETTI, Marcia; FONSECA, Virginia P. S. Jornalismo e acontecimento: mapeamentos críticos. Florianópolis: Insular, 2010.
  • SILVA, Gislene; MAIA, Flávia D. Análise de cobertura jornalística: um protocolo metodológico. In: Revista Rumores, ed. 10, vol. 5, julho-dezembro 2011.
  • ______; SOARES, Rosana de Lima. Da necessidade e da vontade de se consumir notícia. In: Comunicação, Mídia e Consumo, vol. 8, 2011, p. 181-198.
  • SOARES, Rosana de Lima. Pequeno inventário de narrativas midiáticas: verdade e ficção em discursos audiovisuais In: Significação - Revista de Cultura Audiovisual ed. 34, julho-dezembro 2010, p. 55-72.
  • ______. De convergências e hibridismos: remixagens e pilhagens em filmes de bordas. In: Revista MATRIZes, ano 5, n. 1, julho-dezembro, 2011, p. 137-154.
  • SOUSA, Jorge P. Teorias da notícia e do jornalismo Chapecó: UniChapecó/Argos, 2002.
  • TRAQUINA, Nelson. Teorias do jornalismo: porque as notícias são como são. vol. 1. Florianópolis: Insular, 2004.
  • WINCH, Samuel P. Mapping the cultural space of journalism: how journalists distinguish news from entertainment. Westport/London: Praeger, 1997.
  • ZIPSER, Meta E. Do fato à reportagem: as diferenças de enfoque e a tradução como representação cultural. (Tese de Doutorado). FFLCH/USP, São Paulo, 2002.
  • ______; POLCHLOPEK, Silvana A. Do fato à reportagem: o ambiente da tradução jornalística In: Revista DitoEfeito, vol. 1, 2009, p. 1-15.
  • ______. Traduzindo notícias: as possibilidades da tradução em meio jornalístico. In: Revista Inventário vol. 6, 2007, p. 1-18.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    15 Jul 2015
  • Data do Fascículo
    Dez 2013

Histórico

  • Recebido
    Out 2012
  • Aceito
    Jan 2013
Programa de Estudos Pós-graduados em Comunicação e Semiótica - PUC-SP Rua Ministro Godoi, 969, 4º andar, sala 4A8, 05015-000 São Paulo/SP Brasil, Tel.: (55 11) 3670 8146 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: aidarprado@gmail.com