Accessibility / Report Error

Cidadania de quem? Possibilidades e limites da antropologia

Ondina Fachel Leal José Carlos Gomes dos Anjos Sobre os autores

Resumo

Este trabalho – através do exemplo de um projeto de pesquisa e intervenção recém-concluído – pretende contribuir com uma discussão a respeito de cidadania naquilo que envolveria mais diretamente o nosso oficio de antropólogos. Trata-se de refletirmos sobre as possibilidades e os limites da antropologia aplicada. Adiantamos que muitos são os limites, mas damo-nos conta também que a percepção desses limites está mais diretamente vinculada com o imenso potencial crítico que a própria disciplina antropológica nos instrumentaliza do que com a avaliação, estrito senso, da eficácia da intervenção. É esta dimensão crítica associada ao fazer antropológico que pode trazer alguma real contribuição política.

Palavras-chave
antropologia aplicada; ética; grupos populares; saúde

Abstract

This paper – through the evaluation of a specific research-intervention project – aims at contributing to the discussion regarding citizenship and anthropological work. It points out the limits and the possibilities of an Applied Anthropology. Given the necessary critical content of the Anthropological discipline it seems to be easier to perceive the limits of the intervention work, however, this leaves us without possibility of verifying the actual efficacy of this kind of anthropological work-indeed the only one able to give a direct political contribution.

Keywords
applied anthropology; ethics; health; working-class groups

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

Referências

  • 1
    AGIER, M. Anthropologues en dangers: l’engagement sur le terrain. Paris: Jean-Michel Place, 1997.
  • 2
    ANJOS, J. C. dos. O território da linha cruzada: Rua Mirim versus Avenida Nilo Peçanha, Porto Alegre 1992-1993. 1993. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social)–Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1993.
  • 3
    APPEL, K. O. El apriori de la comunidad de comunicacion. In: APPEL, K. O. La transformation de la filosofía: vol. II. Madrid: Taurus, 1985.
  • 4
    BASINI, J. Procesos de construction de cidadania: visiones desde el campo de la moral e de la ética 1997. Trabalho apresentado. II Reunião de Antropologia do Mercosul, Piriápolis, Uruguai, 11-14 de novembro de 1997.
  • 5
    CARDOSO DE OLIVEIRA, R. Etnicidade e globalização. Revista Brasileira de Ciências Sociais, ano 11, n. 32, out. 1996.
  • 6
    DUARTE, L. F. D. et al. Vicissitudes e limites da conversão à cidadania nas classes populares brasileiras. Revista Brasileira de Ciências Sociais, ano 8, n. 22, jun. 1993.
  • 7
    GENRO, T. Novo Estado para nova cidadania. Filosofia Política: Nova Série, Porto Alegre, v. 1, 1997.
  • 8
    LEAL, O. F. A leitura social da novela das oito Petrópolis: Vozes, 1986.
  • 9
    LEAL, O. F. Relatório final: Projeto Sexualidade e Reprodução: Projeto de Intervenção e Atuação Conjunta com Postos de Saúde Comunitários junto à População de Baixa Renda, Porto Alegre, RS. Porto Alegre: Fundação Ford, 1998.
  • 10
    LEAL, O. F.; LEWGOY, B. Aborto: uma contribuição antropológica à discussão. Filosofia Política: Nova Série, Porto Alegre, v. 2, 1997.
  • 11
    LÉVI-STRAUSS, C. Tristes Tropiques Paris: Plon, 1955.
  • 12
    ROSENFIELD, D. L. Democracia e reforma. Filosofia Política: Nova Série, Porto Alegre, v. 1, 1997.
  • 13
    WRIGHT MILLS, C. The sociological imagination London: Oxford University Press, 1959.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    Maio 1999
Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social - IFCH-UFRGS UFRGS - Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Av. Bento Gonçalves, 9500 - Prédio 43321, sala 205-B, 91509-900 - Porto Alegre - RS - Brasil, Telefone (51) 3308-7165, Fax: +55 51 3308-6638 - Porto Alegre - RS - Brazil
E-mail: horizontes@ufrgs.br