Negociando fronteiras: Encyclopédie, romantismo e a construção da ciência

Resumo

A história natural nos séculos XVIII e XIX tem sido amplamente debatida no campo das ciências sociais. Este artigo explora a negociação social de fronteiras na Encyclopédie e na ciência romântica. Destacando a importância da imaginação e da estética para os domínios científicos, percebemos uma compreensão diferente do campo científico por meio do estudo empírico de como a demarcação científica é construída. Obras de Erasmus Darwin, Goethe e Humboldt ilustram como o conceito de ciência confiável foi elaborado por meio de métodos científicos atípicos. Depois de apontar os vínculos entre obras literárias, artísticas e científicas, discutimos uma série de mudanças que moldaram o imaginário científico das ciências romântica e enciclopédica.

Palavras-chave:
ciência romântica; Encyclopédie; Erasmus Darwin (1731-1802); Johann Wolfgang von Goethe (1749-1832); Alexander von Humboldt (1769-1859)

Casa de Oswaldo Cruz, Fundação Oswaldo Cruz Av. Brasil, 4365 - Prédio do Relógio, 21040-900 Rio de Janeiro RJ Brazil, Tel./Fax: (55 21) 3865-2208/2195/2196 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: hscience@coc.fiocruz.br