Anopheles gambiae no Brasil: antecedentes para um “alastramento silencioso”, 1930-1932

Gabriel Lopes Sobre o autor

Resumo

O artigo analisa a chegada e identificação do mosquito africano Anopheles gambiae no Brasil em 1930 e as primeiras reações de cientistas e autoridades de saúde pública contra as epidemias de malária causadas por essa espécie. Apesar de ter sido reconhecido como perigoso vetor da malária, sua presença em território nacional foi negligenciada a partir de 1932, após ações emergenciais na capital do Rio Grande do Norte, favorecendo um alastramento silencioso que resultou em uma grande epidemia de malária em 1938. São abordadas questões científicas e políticas que contribuíram para que o combate ao mosquito fosse colocado em segundo plano nas articulações entre a Divisão Sanitária Internacional da Fundação Rockefeller e autoridades brasileiras até 1937.

Anopheles gambiae; malária; Fundação Rockefeller; Rio Grande do Norte

Casa de Oswaldo Cruz, Fundação Oswaldo Cruz Av. Brasil, 4365 - Prédio do Relógio, 21040-900 Rio de Janeiro RJ Brazil, Tel./Fax: (55 21) 3865-2208/2195/2196 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: hscience@coc.fiocruz.br