Zika e Aedes aegypti: antigos e novos desafios

Flávia Thedim Costa Bueno Mónica García José Moya Ilana Löwy Jaime L. Benchimol Roberta C. Cerqueira Marcos Cueto Sobre os autores

Resumo:

A infecção por zika teve grande impacto não somente nas grávidas e nos recém-nascidos, mas também na saúde pública, nas ideias populares sobre o Aedes aegypti e no respeito dos direitos sociais das mulheres. O objetivo deste texto é identificar esse impacto e as mudanças históricas, sociais e sanitárias da doença e o legado do vírus zika. As intervenções de pesquisadores de diferentes disciplinas propiciam condições para investigações mais abrangentes sobre futuras ameaças epidêmicas no Brasil e na América Latina. Este diálogo ocorreu após o seminário “Aedes aegypti: antigas e novas emergências sanitárias”, organizado pela Casa de Oswaldo Cruz, quando conversamos com alguns palestrantes e outros destacados pesquisadores sobre a história e os desafios do Aedes aegypti e do zika.

Palavras-chave:
zika; Aedes aegypti; América Latina; saúde global; febre amarela

Casa de Oswaldo Cruz, Fundação Oswaldo Cruz Av. Brasil, 4365 - Prédio do Relógio, 21040-900 Rio de Janeiro RJ Brazil, Tel./Fax: (55 21) 3865-2208/2195/2196 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: hscience@coc.fiocruz.br