Accessibility / Report Error

Florianópolis 1889/1930: estratégias de produção simultânea de masculinidades hegemônicas e subordinadas

Florianópolis 1889/1930: strategies for simultaneous production of hegemonic and subordinate masculinities

Buscamos descrever e analisar as estratégias de produção simultânea de masculinidades hegemônicas e subalternas manifestadas no noticiário da imprensa de Florianópolis entre os anos de 1889 a 1930. Pelos artigos divulgados nos jornais da capital catarinense neste período é possível perceber a construção positivada das representações que envolvem uma masculinidade de homens brancos, jovens e viris, atentando para um código de urbanidade que passava a exigir um maior cuidado com o corpo e o domínio de si. Satisfazer a esse modelo valorizado socialmente era a garantia de que o homem desempenharia bem as responsabilidades que dele se esperava, como prover a família, produzir uma prole saudável, ser trabalhador, cumprir seus contratos e ser um bom cidadão. De modo articulado ao campo das políticas de gênero, os artigos buscavam constranger as mulheres no espaço privado, reservando aos homens a esfera pública. A exaltação de atributos de prestígio da masculinidade produz, de modo simultâneo, a representação do que é indesejável nas atitudes de um homem, notadamente nos espaços públicos. A partir da década de 1910, pode-se evidenciar com maior precisão a divulgação de uma série de práticas e representações que visavam a coibir comportamentos masculinos que deixavam de ser tolerados nos logradouros públicos da cidade. Entre tais comportamentos estava a prática da embriaguez e o uso da violência como forma de solução de conflitos interpessoais. Naquele contexto, passou-se a exigir dos homens que circulavam pela cidade certa previsibilidade em suas atitudes, associada ao uso da razão e em oposição aos modos violentos e impulsivos daqueles das classes baixas ou do ambiente rural. Na avaliação dos gestores da cidade, a emergência do progresso era atravancada por uma série de práticas culturais arraigadas na população. Por isso, não bastava simplesmente transformar o espaço urbano, era preciso também investir nos corpos dos habitantes da capital de Santa Catarina. Os comportamentos masculinos passaram então a ser alvo de toda uma série de ingerências que pretendiam adequá-los à nova realidade social e urbana que se buscava estabelecer.

Florianópolis; Masculinidades; Periódicos; Esfera Pública


Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho Faculdade de Ciências e Letras, UNESP, Campus de Assis, 19 806-900 - Assis - São Paulo - Brasil, Tel: (55 18) 3302-5861, Faculdade de Ciências Humanas e Sociais, UNESP, Campus de Franca, 14409-160 - Franca - São Paulo - Brasil, Tel: (55 16) 3706-8700 - Assis/Franca - SP - Brazil
E-mail: revistahistoria@unesp.br