Conexões e fronteiras da interprofissionalidade: forma e formação

Ricardo Burg Ceccim Sobre o autor

Resumo

O debate apresenta uma tematização sobre a interprofissionalidade: trajetória e necessidade desse conceito para a gestão do trabalho e da educação na saúde, especialmente quando em cena a segurança do paciente, a formação orientada aos sistemas de saúde e uma coordenação da rede de serviços orientada pela integralidade, resolutividade, satisfação dos usuários e maior conforto dos trabalhadores. Apresenta a distinção entre os prefixos “multi”, “inter” e “entre” ante os termos “profissão” e “disciplina”. Foi realizada uma revisão focal da literatura, buscando a introdução do termo e sua variação em educação, prática, práxis e auditoria das formações e das ações profissionais. Problematiza conexões (desafios) e fronteiras (limites), apontando para o aprender, o pensamento e a criação. A ideia de forma e formação apoia a noção de fixação das formas (normativas) ou movimento das forças (educação permanente em saúde), assim se concluindo.

Palavras-chave:
Interprofissionalidade; Prática interprofissional; Educação interprofissional; Educação em Saúde; Formação

UNESP Distrito de Rubião Jr, s/nº, 18618-000 Campus da UNESP- Botucatu - SP - Brasil, Caixa Postal 592, Tel.: (55 14) 3880-1927 - Botucatu - SP - Brazil
E-mail: intface@fmb.unesp.br