A comunicação como ética da alteridade: pensando o conceito com Lévinas1 1 Este trabalho é parte de pesquisa financiada pelo CNPq, Capes e Fapemig. Uma primeira versão foi apresentada ao Grupo de Trabalho Epistemologia da Comunicação do XXVII Encontro Anual da Compós, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte - MG, 5 a 8 de junho de 2018.

La comunicación como ética de la alteridad: pensando el concepto con Lévinas

Luís Mauro Sá Martino Ângela Cristina Salgueiro Marques Sobre os autores

Resumo

O estudo da Ética é relativamente comum nas pesquisas em Comunicação. No entanto, as abordagens geralmente se voltam para questões práticas e profissionais, delineando argumentos a partir de teorias normativas ou deontológicas. Este texto propõe, a partir da ética da alteridade em Lévinas, que o conceito de comunicação possui aspectos éticos, na medida de seu necessário direcionamento a outrem, tendo como pressuposto a abertura e a possibilidade de acolhimento da alteridade. Essa proposição é trabalhada em três eixos, de acordo com três condições principais para a ética da comunicação enquanto: (a) abertura e hospitalidade; (b) responsabilidade infinita diante do outro; (c) proximidade e interpelação do rosto como ponto inicial da comunicação. O objetivo não é propor outra “Ética da Comunicação”, mas entender a Comunicação enquanto ação ética.

Palavras-chave
Ética; Comunicação; Alteridade

Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (INTERCOM) Rua Joaquim Antunes, 705, 05415-012 São Paulo-SP Brasil, Tel. 55 11 2574-8477 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: intercom@usp.br