O som do ódio: explorando o uso das letras da música hatecore como estratégia de recrutamento pelo Movimento da Força Branca* * Tradução de Cristiano Chiarello e Claudia Assis.

El sonido del odio: explorando el uso de liricas de música hatecore como estrategia de reclutamiento por el Movimiento de Fuerza Blanca

Belio Antonio Martinez Jr. Andy Selepak Sobre os autores

Este estudo utiliza a “Grounded Theory” para examinar o uso de letras de músicas hatecore como uma Comunicação estratégica para difundir ideologia skinhead. Os resultados indicam que as letras retratam as minorias étnicas e religiosas, e os homossexuais como inferiores e subumanos. Os judeus, o governo e os brancos que se opõem à ideologia skinhead são descritos como parte do problema. As letras são usadas para recrutar brancos marginalizados para o movimento, definindo-os como impotentes e perdendo poder enquanto “outros” o ganham. Também os recrutam por meio de mensagens positivas de orgulho racial branco. Como acontece com outros movimentos sociais, os resultados indicam que o poder desempenha um papel central na definição do problema que enfrentam os brancos marginalizados, a causa dos problemas, e as soluções prescritas encontradas nas letras das músicas hatecore.

Comunicação Estratégica; Movimento Social; Música hatecore; Skinheads racistas; Poder


Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (INTERCOM) Rua Joaquim Antunes, 705, 05415-012 São Paulo-SP Brasil, Tel. 55 11 2574-8477 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: intercom@usp.br