Citometria de fluxo como ferramenta diagnóstica em tumores sólidos da infância

Gislaine Furlanetto Fabiane Spagnol Ana Paula Alegretti Mariela G. Farias Victor J. Soares Liane E. Daudt Jiseh F. Loss Mariana B. Michalowski Sobre os autores

RESUMO

Os tumores sólidos da infância representam cerca de 30% de todos os cânceres pediátricos. Nos últimos anos, houve uma expansão no uso da citometria de fluxo (CF) no diagnóstico e no acompanhamento dessas patologias, já que se trata de um método que permite a obtenção rápida e precisa de resultados, possibilitando uma conduta mais precoce. Realizamos esta revisão da literatura com uma pesquisa dos seguintes termos nas plataformas de dados Lilacs, PubMed e Scielo: neoplasia, oncologia, pediatria, imunofenotipagem e citometria de fluxo. Dessa forma, descrevemos os principais achados até o momento sobre o uso da CF no diagnóstico diferencial das cinco principais neoplasias de pequenas células azuis da infância: neuroblastoma, sarcoma de Ewing, tumor neuroectodérmico primitivo, tumor de Wilms e rabdomiossarcoma. Além disso, discutimos as principais vantagens e os inconvenientes do método e dos painéis que são propostos no diagnóstico diferencial dessas patologias por meio da literatura internacional. Observamos por meio desta revisão que a utilização da CF no diagnóstico de tumores sólidos pode ser útil para uma rápida e precisa identificação da patologia, bem como para o início precoce do tratamento.

Unitermos
neoplasia; oncologia; pediatria; imunofenotipagem; citometria de fluxo

Sociedade Brasileira de Patologia Clínica, Rua Dois de Dezembro,78/909 - Catete, CEP: 22220-040v - Rio de Janeiro - RJ, Tel.: +55 21 - 3077-1400 / 3077-1408, Fax.: +55 21 - 2205-3386 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: jbpml@sbpc.org.br