Tumor estromal gastrointestinal no reto—um caso de uso de imatinibe neoadjuvante e TAMIS

Resumo

No presente estudo, os autores descrevem um caso raro de tumor estromal gastrointestinal no reto em um homem de 57 anos que se apresentou com neoplasia de células fusiformes, com provável tumor estromal gastrointestinal. A tomografia computadorizada demonstrou tumor na parede anterior do reto e foi sugerida sua ressecção abdominoperineal. O paciente iniciou tratamento com imatinibe e apresentou uma redução significativa nos sintomas. O paciente foi reavaliado por tomografia computadorizada, que evidenciou redução do tamanho do tumor; portanto, foi indicada cirurgia transanal minimamente invasiva. O tumor era ressecável e foi necessário um extenso acompanhamento para romper o órgão, de forma a alcançar a ressecção máxima; caso contrário, o tumor estromal gastrointestinal também seria irressecável. O uso de imatinibe antes da ressecção cirúrgica para reduzir o tamanho do tumor dentro do limite de ressecção é uma abordagem interessante. Como o tumor pode se crescer rapidamente após ser substancialmente reduzido, a literatura ainda apresenta controvérsias quanto ao melhor momento para operar e quanto ao melhor desfecho terapêutico.

Palavras-chave:
Tumor estromal gastrointestinal no reto; Imatinibe neoadjuvante; TAMIS

Sociedade Brasileira de Coloproctologia Av. Marechal Câmara, 160/916, 20020-080 Rio de Janeiro/RJ Brasil, Tel.: (55 21) 2240-8927, Fax: (55 21) 2220-5803 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: sbcp@sbcp.org.br