Methods for overcoming seed dormancy in Ormosia arborea seeds, characterization and harvest time

Métodos para superação da dormência em sementes de Ormosia arborea, caracterização e época de colheita

Abstracts

Ormosia arborea, a Leguminosae, presents seeds with tegumentary dormancy. The purpose of this study was to evaluate the efficiency of dormancy breaking methods, characterize seeds obtained from different mother plants, and to determine the best period to collect Ormosia arborea seeds. The seeds were harvested from mother plants in two different periods (June and August/2011). The seeds were then subjected to biometrical analyses, determination of moisture content and germination tests. Determination of the soaking curve and evaluation of the dormancy breaking methods were performed using the seeds collected in the second period. The soaking curve confirmed the tegumentary dormancy, and the chemical scarification for 15 minutes was the more adequate procedure to overcome this dormancy. The biometry revealed average values higher than those on literature, and there was difference between both harvesting periods. The mass correlates with the other evaluated parameters, and can be indicated for selecting seeds for seedling production. The two harvesting periods of Ormosia arborea seeds were considered appropriated for seed supplying, due to the high germination potential. Nevertheless, the best period for harvesting is when fruits are already opened, mature, and with low moisture content (no additional drying time needed), what hinders the occurrence of fungi.

soaking curve; chemical scarification; mechanical scarification


Ormosia arborea é uma Leguminosae que apresenta sementes com dormência tegumentar. Objetivou-se avaliar a eficiência de métodos para superação da dormência desta espécie, caracterizar lotes de sementes coletados em diferentes matrizes e determinar a melhor época de coleta. As sementes coletadas de matrizes, em duas épocas (junho e agosto/2011), foram submetidas às análises biométricas, determinação do teor de água e testes de germinação. Com sementes da segunda coleta, determinou-se a curva de embebição e avaliou-se métodos para superação da dormência. A curva de embebição confirmou a dormência tegumentar e a escarificação química por 15 minutos foi o procedimento mais adequado para a superação desta dormência. A biometria revelou valores médios maiores do que os relatados na literatura e houve diferença entre as épocas de coleta. A massa correlacionou-se com os demais parâmetros avaliados, podendo ser indicada para a seleção de sementes na produção de mudas. As duas épocas de coletas de sementes de Ormosia arborea utilizadas foram consideradas adequadas para o fornecimento de sementes, em função do elevado potencial germinativo obtido. Entretanto, a melhor época para a coleta das sementes é quando os frutos já estão abertos, maduros, com baixo teor de água, sem necessidade de secagem adicional, o que dificulta a ocorrência de fungos.

curva de embebição; escarificação química; escarificação mecânica


  • BASQUEIRA, R.A.; PESSA, H.; SOUZA-LEAL, T.; PEDROSO-DE-MORAES, C. Superação de dormência em Ormosia arborea (Fabaceae: Papilionoideae) pela utilização de dois métodos de escarificação mecânica em diferentes pontos do tegumento. Revista em Agronegócios e Meio Ambiente, v.4, n.3, p.547-561, 2011. http://www.cesumar.br/pesquisa/periodicos/index.php/rama/article/view/1876/1301
  • BEWLEY, J.D.; BRADFORD, K.J., HILHORST, H.W.M.; NONOGAKI, H. Seeds: Physiology of Development, Germination and Dormancy New York: Plenum, 2013. 392p.
  • BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regras para análise de sementes. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Secretaria de Defesa Agropecuária. Brasília: MAPA/ACS, 2009. 395p. http://www.bs.cca.ufsc.br/publicacoes/regras%20analise%20sementes.pdf
  • CARVALHO, N.M; NAKAGAWA, J. Sementes: ciência, tecnologia e produção. 4 ed. Campinas: Fundação Cargill, 2000. 588p.
  • CARVALHO, J.E.U.; NAZARÉ, R.F.R.; OLIVEIRA, W.M. Características físicas ou físico-químicas de um tipo de bacuri (Platonia insignis Mart.) com rendimento industrial superior. Revista Brasileira de Fruticultura, v.25, n.2, p.326-328, 2003. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-29452003000200036
  • CASTRO, R.D.; BRADFORD, K.J.; HILHORST, H.W.M. Desenvolvimento de sementes e conteúdo de água. In: FERREIRA, A.G.; BORGHETTI, F. (Orgs.). Germinação: do básico ao aplicado. Porto Alegre: Artmed, 2004. p. 51-67.
  • FONTENELE, A.C.F.; ARAGÃO, W.M.; RANGEL, J.H.A. Biometria de frutos e sementes de Desmanthus virgatus (L) Willd nativas de Sergipe. Revista Brasileira de Biociências, v.5, n.1, p.252-254, 2007. www.ufrgs.br/seerbio/ojs/index.php/rbb/article/download/275/244
  • FOWLER, A.P.; MARTINS, E.G. Manejo de sementes de espécies florestais Colombo: Embrapa Florestas, 2001. 71p. (Embrapa Florestas. Documentos, 58). www.infoteca.cnptia.embrapa.br/bitstream/doc/289390/1/doc58.pdf
  • GONÇALVES, E.P.; SOARES, F.S.J.; SILVA, S.S.; TAVARES, D.S.; VIANA, J.S.; CARDOSO, B.C.C. Dormancy Breaking in Ormosia arborea Seeds. International Journal of Agronomy, v.2011, 5p., 2011. http://www.hindawi.com/journals/ija/2011/524709/
  • GURSKI, C.; DIAS, E.S.; MATTOS, E.A. Caracteres das sementes, plântulas e plantas jovens de Ormosia arborea (Vell.) Harms e Ormosia fastigiata Tul. (Leg-papilionoideae). Revista Árvore, v.36, n.1, p.37-48, 2012. http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100-67622012000100005&script=sci_arttext
  • GUSMÃO, E.; FILHO, S.M.; VIEIRA, F.A.; JUNIOR, E.M.F. Biometria de frutos e endocarpos de murici (Byrsonima verbascifolia Rich.ex A. Juss). Cerne, v.12, n.1, p.84-91, 2006. http://redalyc.uaemex.mx/src/inicio/ArtPdfRed.jsp?iCve=74412110
  • LABOURIAU, L.G.; PACHECO, A. On the frequency of isothermal germination in seeds of Dolichos biflorus L. Plant and Cell Physiology, v.21, p.507-512, 1978. http://pcp.oxfordjournals.org/content/19/3/507.abstract
  • LABOURIAU, L.G.; VALADARES, M.E.B. On the germination of seeds of Calotropis procera (Ait.) Ait. F. Anais da Academia Brasileira de Ciências, v.48, p. 263-284, 1976.
  • LOPES, J.C.; DIAS, P.C.; MACEDO, C.M.P. Tratamentos para superar a dormência de sementes de Ormosia arborea (Vell.) Harms. Brasil Florestal, n.80, p.25-35, 2004. http://www.researchgate.net/profile/Paulo_Dias15/publication/263182712 _Tratamentos_para_superar_a_dormncia_de_sementes_de_Ormosia_ arborea_%28Vell.%29_Harms/links/0f31753a1aefa8bc4a000000
  • LORENZI, H. Árvores Brasileiras: Manual de Identificação e Cultivo de Plantas Arbóreas Nativas do Brasil. 3. ed. Nova Odesssa/SP: Instituto Plantarum, 2000. 352p.
  • MARQUES, M.A.; RODRIGUES, T.J.D.; PAULA, R.C. Germinação de sementes de Ormosia arborea (Vell.) Harms submetidas a diferentes tratamentos pré-germinativos. Científica, v.32, n.2, p.141-146, 2004. www.cientifica.org.br/index.php/cientifica/article/download/79/62
  • OLIVEIRA, D.A.; NUNES, Y.R.F.; ROCHA, E.A.; BRAGA, R.F.; PIMENTA, M.A.S.; VELOSO, M.D.M. Potencial germinativo de sementes de fava-d'anta (Dimorphandra mollis Benth. - FABACEAE: MIMOSOIDEAE) sob diferentes procedências, datas de coleta e tratamentos de escarificação. Revista Árvore, v.32, n.6, p.1001-1009, 2008. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-67622008000600005
  • PARKER, W.C.; NOLAND, T.L. MORNEAULT, A.E. The effects of seed mass on germination, seedling emergence, and early seedling growth of eastern white pine (Pinus strobus L.). New Forests, v.32, n.1, p.33-49, 2006. http://link.springer.com/article/10.1007%2Fs11056-005-3391-1#page-1
  • PEREZ, S.C.J.G.A. Envoltórios. In: FERREIRA, A.G.; BORGHETTI, F. (Orgs.). Germinação: do básico ao aplicado. Porto Alegre: Artmed, 2004. p.125-134.
  • REGO, S.S.; NOGUEIRA, A.C.; KUNIYOSHI, Y.S.; SANTOS, A.F. Germinação de sementes de Blepharocalyx salicifolius (H.B.K.) Berg. em diferentes substratos e condições de temperaturas, luz e umidade. Revista Brasileira de Sementes, v.31, n.2, p.212-220, 2009. http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0101-31222009000200025&script=sci_arttext
  • SILVA, A.L.; MORAIS, G.A. Biometry and dormancy breaking of Ormosia arborea seeds. Communications in Plant Sciences Lages, v.2, p.3-4, 2012. http://complantsci.files.wordpress.com/2012/12/complantsci_2_2_22.pdf
  • TEIXEIRA, W.F.; RODRIGUES, E.A.; AMARAL, A.F. Estudo de superação de dormência de Ormosia arborea sob diferentes testes, para produção de mudas para reflorestamento de áreas degradadas no município de Patos de Minas, MG. Perquirere - Revista do Núcleo Interdisciplinar de Pesquisa e Extensão do UNIPAM, n.6, p.26-30, 2009. http://www.unipam.edu.br/perquirere/file/file/2009/Estudo_de_superacao _de_dormencia.pdf
  • VAUGHTON, G.; RAMSEY, M. Sources and consequences of seed mass variation in Banksia marginata (Proteaceae). Journal of Ecology, v.86, p.63-573, 1998. http://www.jstor.org/discover/10.2307/2648421?uid=3737664&uid= 2129&uid=2&uid=70&uid=4&sid=21101639546833

Publication Dates

  • Publication in this collection
    03 Oct 2014
  • Date of issue
    Sept 2014

History

  • Received
    13 Aug 2014
  • Accepted
    09 Jan 2014
ABRATES - Associação Brasileira de Tecnologia de Sementes Avenida Maringá, nº 1219 , Jardim Vitória Londrina - Paraná Brasil, Tel./ Fax. 55 43 3025-5120 - Londrina - PR - Brazil
E-mail: contato@abrates.org.br