Standard germination test in physic nut (Jatropha curcas L.) seeds

Teste de germinação em sementes de pinhão manso (Jatropha curcas L.)

Abstracts

Defining adequate methods to assess seed germination is important to control the quality of commercial lots, especially for species that are not yet included in the Rules for Seed Testing. This study aimed to establish an adequate procedure for germination test in physic nut seeds (J. curcas L.). Three seed lots, in eight replications of 25 seeds each, were sown on paper towel rolls moistened with a water volume equivalent to 2.7 the weight of the dry paper and in sterilized sand moistened up to 60% of its water-holding capacity. The seeds of each treatment were maintained on germination chambers at temperatures of 20, 25, 30 and 20-30 ºC. Daily counts were made to define the ideal date to perform the first and the last count test. Criteria for classifying seedlings as normal and abnormal were also established. The experiment was conducted in a completely randomized design in a split plot arrangement, and the means were compared by Tukey's test (P<0.05). For maximum germination potential of physic nut seeds, the germination test should be conducted at 25 ºC and 30 ºC, using sand or paper towel as a substrate, with the counts at 7 and 12 days after sowing.

viability; methodology; seeds; physic nut


Estabelecer procedimento adequado para a condução do teste de germinação com espécies que ainda não constam nas Regras para Análise de Sementes é de grande importância para viabilizar a certificação e comercialização de lotes. Objetivou-se estabelecer metodologia para a condução do teste de germinação em sementes de pinhão manso (J. curcas L.). Sementes de três lotes, em oito repetições de 25, foram semeadas nos seguintes substratos: rolo de papel toalha umedecido com volume de água equivalente a 2,7 vezes o peso do papel seco, confeccionando-se rolos; areia esterilizada e umedecida até 60% da sua capacidade de retenção (entre areia). As sementes foram mantidas em germinadores nas temperaturas de 20, 25, 30 °C e 20-30 ºC, realizando-se contagens diárias para definir a data ideal para as avaliações do teste. Foram estabelecidos também critérios para a classificação das plântulas como normais e anormais. O experimento foi conduzido em DIC, em esquema de parcela subdividida. As médias dos tratamentos foram comparadas pelo teste de Tukey (P<0,05). Para a obtenção do potencial máximo de germinação das sementes de pinhão manso, o teste de germinação deve ser conduzido nas temperaturas de 25 ºC ou 30 ºC, utilizando-se semeadura entre areia ou em rolo de papel, com contagens aos 7 e 12 dias após a semeadura.

viabilidade; metodologia; sementes; pinhão manso


  • BEWLEY, J. D.; BRADFORD, K. J.; HILROST, H. W. M.; NONOGAKI, H. Seeds: physiology of development, germination and dormancy. 3 ed., New York: Springer, 381p. 2013.
  • BRASIL. Instrução normativa nº 4, de 14 de janeiro de 2008. Diário Oficial da União, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Brasília, DF, 15 jan. 2008, Seção I, p.4.
  • BRASIL. Instrução normativa nº 45, de 17 de setembro de 2013. Diário Oficial da União, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Brasília, DF, 18 set. 2013, Seção I, p.16.
  • BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regras para análise de sementes Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Secretaria de Defesa Agropecuária. Brasília: MAPA/ACS, 2009. 395p. http://www.agricultura.gov.br/arq_editor/file/2946_regras_analise__sementes.pdf
  • CARVALHO, N.M.; NAKAGAWA, J. Sementes: ciência, tecnologia e produção. 5 ed. Jaboticabal: FUNEP, 590 p. 2012.
  • DIAS, L.A.S. Biofuel plant species and the contribution of genetic improvement. Crop Breeding and Applied Biotechnology, v.1, p.16-26, 2011. http://dx.doi.org/10.1590/S1984-70332011000500004
  • DIAS, M.P.; DIAS, D.C.F.S.; DIAS, L.A.S. Germinação de sementes de pinhão manso (Jatropha curcas L.) em diferentes temperaturas e substratos. In: II Congresso da Rede Brasileira de Tecnologia de Biodiesel, 2007, Brasília. Anais do II Congresso da Rede Brasileira de Tecnologia de Biodiesel. Brasília: MCT/ABIPIT, p. 1-5, 2007.
  • FOGAÇA, C.A.; SILVA, L.L; POLIDORO, J.C.; BREIER, T.B.; LELES, P. S.S. Metodologia para a condução do teste de germinação em sementes de Jatropha curcas L. In: 4o Congresso Brasileiro de Plantas Oleaginosas, Óleos, Gorduras e Biodiesel. Anais. Varginha, p.1351-1357, 2007. http://oleo.ufla.br/anais_04/artigos/pdfs/a4206.pdf
  • GODOI, S.; TAKAKI, M. Efeito da temperatura e a participação do fitocromo no controle da germinação de sementes de embaúba. Revista Brasileira de Sementes, v.27, n.2, p.87-90, 2005. http://dx.doi.org/10.1590/S0101-31222005000200013
  • HÖES, A.; SCHULCH, L.O.B.; PESKE, S.T.; BARROS, A.C.S.A. Emergência e crescimento de plantulas de arroz em resposta à qualidade fisiológica de sementes. Revista Brasileira de Sementes, v.26, n.1, p.92-97, 2004. http://dx.doi.org/10.1590/S0101-31222004000100014
  • MARCOS- FILHO, J. Fisiologia de sementes de plantas cultivadas FEALQ: Piracicaba, 2005. 495p.
  • MARTINS, C.C.; MACHADO, C.G.; CAVASINI, R. Temperatura e substrato para o teste de germinação de sementes de pinhão manso. Revista Ciência e Agrotecnologia, v.32, n.3, p.863-868, 2008. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-70542008000300024
  • NAKAGAWA, J. Testes de vigor baseados no desempenho das plântulas. In: KRZYZANOWSKI, F.C.; VIEIRA, R.D.; FRANÇA-NETO, J.B. (Ed.). Vigor de sementes: conceitos e testes. Londrina: ABRATES, Cap.2, p.1-21, 1999.
  • NEVES, J.M.G.; SILVA, H.P.; BRANDÃO-JÚNIOR, D.S; MARTINS, E.R.; NUNES, U.R. Padronização do teste de germinação para sementes de pinhão-manso. Revista Caatinga, v.22, n.4, p.76-80, 2009. http://periodicos.ufersa.edu.br/revistas/index.php/sistema/article/view/1262
  • NOBRE, D.A.C; ANDRADE, J.A.; DAVID, A.M.S.; RESENDE, J.C.F.; FARIA, M.A.V.R.; DAVID, D.A. Germinação de sementes de pinhão-manso submetidas a diferentes condições de temperaturas. In: 4o Congresso Brasileiro de Plantas Oleaginosas, Óleos, Gorduras e Biodiesel. Anais Varginha, p.1119- 1126, 2007.
  • PASCUALI, L.C.; SILVA, F.S.; PORTO, A.G.; SILVA FILHO, A.; MENEGHELLO, G.E. Germinação de sementes de pinhão manso em diferentes temperaturas, luz e substratos. Semina: Ciências Agrárias, v.33, n.4, p.1435-1440, 2012. http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2012v33n4p1435
  • PINTO, T.L.F.; MARCOS FILHO, J.; FORTI, V.A.; CARVALHO, C.D.; GOMES JUNIOR, F.G. Avaliação da viabilidade de sementes de pinhão manso pelos testes de tetrazólio e de raios X. Revista Brasileira de Sementes, v.31, n.2, p.195-201, 2009. http://dx.doi.org/10.1590/S0101-31222009000200023
  • SAS- Program SAS - Getting started with the SAS Learning Edition. North Carolina: Cary SAS Publishing, 2009, 200p.
  • SILVA, H.P.; NEVES, J.M.G.; BRANDÃO JUNIOR, D.S.; COSTA, C.A. Quantidade de água do substrato na germinação e vigor de sementes de pinhão-manso. Revista Caatinga, v.21, n.5, p.178-184, 2008. http://periodicos.ufersa.edu.br/revistas/index.php/sistema/article/view/666
  • SILVA, L.J.; DIAS, D.C.F.S.; MILAGRES, C.C.; DIAS, L.A.S. Relationship between fruit maturation stage and physiological quality of physic nut (Jatropha curcas L.) seeds. Revista Ciência e Agrotecnologia, v.36, n.1, p.39-44, 2012. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-70542012000100005
  • SOCOLOWSKI, F.; TAKAKI, M. Germination of Jacaranda mimosifolia (D. Don-Bignoniaceae) seeds: effects of light, temperature and water stress. Brazilian Archives of Biology and Technology, v.47, p.785-792, 2004. http://dx.doi.org/10.1590/S1516-89132004000500014
  • TIWARI, A.K.; KUMAR, A.; RAHEMAN, H. Biodiesel production from jatropha oil (Jatropha curcas) with high free fatty acids: An optimized process. Biomass and Bioenergy, v.31, n.8, p.569 - 575, 2007. http://dx.doi.org/10.1016/j.biombioe.2007.03.003
  • VANZOLINI, S.; MEORIN, E.B.K.; SILVA, R.A.; NAKAGAWA, J. Qualidade sanitária e germinação de sementes de pinhão-manso. Revista Brasileira de Sementes, v.32, n.4, p.9-14, 2010. http://dx.doi.org/10.1590/S0101-31222010000400001

Publication Dates

  • Publication in this collection
    03 Oct 2014
  • Date of issue
    Sept 2014

History

  • Received
    18 Aug 2014
  • Accepted
    09 Apr 2014
ABRATES - Associação Brasileira de Tecnologia de Sementes Avenida Maringá, nº 1219 , Jardim Vitória Londrina - Paraná Brasil, Tel./ Fax. 55 43 3025-5120 - Londrina - PR - Brazil
E-mail: contato@abrates.org.br