Acessibilidade na Região Amazônica através do transporte hidroviário

Accessibility in the Amazon region through the water transportation

Resumos

O estudo dos padrões de acessibilidade pode contribuir, efetivamente, para o desenvolvimento sustentável e equitativo de determinadas regiões. Isso ocorre a partir da identificação, hierarquização e seleção de alternativas de investimentos mais adequadas para o setor de transportes dada a realidade local. Sendo assim, o presente artigo tem como principal proposta identificar os níveis de acessibilidade fornecidos pelo transporte hidroviário de passageiros em algumas das principais áreas que constituem a região amazônica, verificando-se as localidades com melhores condições de deslocamento e aquelas que necessitam de maior investimento. Considerando-se como fatores de impedância o tempo, a distância e a tarifa, foram calculados indicadores de acessibilidades para localidades específicas da região amazônica. Os municípios pesquisados foram classificados de acordo com cinco categorias de acessibilidade: excelente, boa, regular, ruim ou péssima. Dentre os resultados alcançados temse que os municípios mais próximos de Manaus apresentam excelentes ou boas condições de acessibilidade enquanto aqueles mais distantes encontram-se em situação de desvantagem, merecendo maior atenção do poder público.

análise espacial; acessibilidade; transporte hidroviário de passageiros; Região Amazônica; desenvolvimento regional


The study of accessibility standards can effectively contribute to sustainable and equitable development of certain regions. This is based on the identification, prioritization and selection of investment alternatives most appropriate for the transport sector given the local situation. Therefore, this article has proposed o identify the of accessibility provided by the water transport of passengers on some key areas that form the Amazon region, verifying the locations with better movement and those that need more investment. Considering impedance factors such as time, distance and price, accessibility indicators were calculated for specific locations in the Amazon region. The cities surveyed were classified according to five categories as excellent, good, fair, poor or very poor accessibility. Among the results has been that municipalities closer to Manaus have excellent or good accessibility while those more distant are disadvantaged, deserving of greater attention of the public authority.

spatial analysis; accessibility; passenger water transportation; Amazon region; regional development


  • Almeida, L. M. W. (1999) Desenvolvimento de uma metodologia para análise locacional de sistemas educacionais usando modelos de interação espacial e indicadores de acessibilidade. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção), Universidade Federal de Santa Catarina, Santa Catarina.
  • Alves, L. E. S. (2007) O transporte hidroviário regular e turístico de passageiros. Seminário Internacional sobre Hidrovias Brasil / Frandres - Bélgica.
  • Agência Nacional das Águas - ANA (2005) A navegação interior e sua interface com o setor de Recursos Hídricos. Cadernos de Recursos Hídricos Disponível em: www.ana.gov.br
  • Andrade, A. A. e Pereira, L. e Andrade, R. A. (2003) Transporte hidroviário. Revista dos Transportes Públicos, n. 100, ano 25.
  • Bertolini, L., Le Clercq, F. e Kapoen, L. (2005) Sustainable accessibility: a conceptual framework to integrate transport and land use plan-making. Two test-applications in the Netherlands and a reflection on the way forward. Transport Policy, vol. 12, n. 3, pp. 207-220.
  • Calheiros, C. S. (2010) Metodologia de tarifa para transporte fluvial de passageiros na Amazônia. Tese (Doutorado em Engenharia de Transportes), Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.
  • Cardoso, C. E. P. (2008) Análise do transporte coletivo urbano sob a ótica dos riscos e carências sociais. Tese (Doutorado em Serviço Social), Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.
  • Cardoso, L. (2007) Transporte público, acessibilidade urbana e desigualdades socioespaciais na região metropolitana de Belo Horizonte. Tese (Doutorado em Geografia), Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte.
  • Delbosc, A. e Currie, G. (2010) Transport problems that matter - social and psychological links to transport disadvantage. Journal of Transport Geography, vol. 19, n. 1, pp.170-178.
  • Geurs, K. T. e Wee, B. (2004) Accessibility evaluation of land-use and transport strategies: review and research directions. Journal of Transport Geography, vol. 12, n. 2, pp.127-140.
  • Godoy, P. R. C. e Vieira, A. P. (2004) Hidrovias interiores Ministério dos Transportes do Brasil. Departamento de Vias Navegáveis. Brasília, Brasil.
  • Halden, D. (2002) Using accessibility measures to integrate land use and transport policy in Edinburgh and the Lothians. Transport Policy, vol. 9, n. 4, pp. 313-324.
  • IBGE (2007). Consulta da área territorial e da população. Disponível em: www.ibge.gov.br/home/geociencias/areaterritorial/area.shtm; Data da consulta: 19/06/2007.
  • Luis, J. A. H. (2002) Temporal accessibility in archipelagos: inter-island shipping in the Canary Islands. Journal of Transport Geography, vol. 10, n. 3, pp.231-239.
  • Neves, C. (s.d.) A ligação hidroviária Barra-Centro. Disponível em www.fnttaa.org.br/ligbarracentro.html Data da Consulta: 02/06/2010.
  • Pires, F. M. A. (2000) Uma contribuição para análise dos padrões de acessibilidade em redes rodoviárias. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Transportes) Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.
  • Pires Jr., F. C. M., Assis, L. F., Silva Jr., J. A. F. da., Antoun, A. R., Pereira, F. de S. e Souza, C. M. (2003) Transporte fluvial de passageiros na Amazônia: regulamentação do setor e segurança da navegação. Segundo Relatório Intermediário de Pesquisa Roadway Rio de Janeiro: PENO/COPPE/UFRJ.
  • Plano de Desenvolvimento Sustentável da Amazônia Legal (2006) Estudos diagnósticos setoriais PDSA 2005-2008 Ministério da Integração Nacional. Belém: ADA.
  • Portugal, L. S. (2008) A Infraestrutura de transportes e sua relação com o desenvolvimento sustentável na Amazônia. Seminário Infraestructuras en la Amazonía. Reunión del Banco Interamericano de Desarrollo para orientar acciones futuras en la Región INTAL-Instituto para a Integração da América Latina e do Caribe. Banco Interamericano de Desenvolvimento. CEBRI, Rio de Janeiro, Brasil. www.iadb.org
  • Preston, J. e Rajé, F. (2007) Accessibility, mobility and transport-related social exclusion. Journal of Transport Geography vol. 15, n. 3, pp.151-160.
  • Raia Jr., A. A. (2000) Acessibilidade e mobilidade na estimativa de um índice de potencial de viagens utilizando redes neurais artificiais e sistemas de informação geográfica. Tese (Doutorado em Engenharia de Transportes), Universidade de São Paulo, São Carlos.
  • Schneider, N. C. B. G. (2000) Hidrovias interiores: um modal econômico e ambientalmente viável? Dissertação (Mestrado em Gestão Econômica do Meio Ambiente), Universidade de Brasília, Brasília.
  • Silva, W. P. (1995) Contribuição metodológica para o planejamento de um sistema viário. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Transportes), Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.
  • Sistema IBGE de Recuperação Automática - SIDRA (2000) Áreas territoriais Disponível em: www.sidra.ibge.gov.br/bda/tabela/listabl.asp Data da consulta: 19/06/2007.
  • Souza, M. H. (2009) Contribuição metodológica para localizar terminal de integração de passageiros do transporte hidro-rodoviário urbano. Tese (Doutorado em Engenharia de Transportes), Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    11 Out 2013
  • Data do Fascículo
    Abr 2013

Histórico

  • Recebido
    15 Jun 2012
  • Aceito
    11 Jul 2012
Sociedade Brasileira de Planejamento dos Transportes Universidade Federal do Amazonas, Faculdade de Tecnologia - Pavilhão Rio Japurá - Setor Norte, Av. Gal Rodrigo Otávio, n. 3000, Coroado, CEP 69077-000, Tel.: (55 92) 3305-4613 | 3305-4607 - Manaus - AM - Brazil
E-mail: editor.jtl@gmail.com