Benjamin's conception of language and Adorno's aesthetic theory

Rodrigo Duarte Sobre o autor

De acordo com a teoria da linguagem do jovem Benjamin, a tarefa primordial da linguagem não é a comunicação de Conteúdos, mas expressar a si própria como uma "essência espiritual", da qual também o gênero humano toma parte. Essa concepção, de acordo com a qual a linguagem seria um médium para a significação de algo fora dela leva necessariamente a uma diminuição de sua potência originária e é, portanto, chamada por Benjamin burguesa (bürgerlich). Os nomes da linguagem humana são resquícios de um estado arcaico, no qual as coisas ainda não eram mudas e tinham sua própria linguagem. Benjamin sugere também que todas as artes rememoram a linguagem originária das coisas, na medida em que fazem os objetos "falarem" em forma de sons, cores, formas etc. Essa relação entre arte como resquício da "linguagem das coisas" e a possível reconciliação do gênero humano consigo próprio e com a natureza foram desenvolvidas por Theodor Adorno em vários de seus escritos, especialmente na Teoria Estética, onde a obra de arte é concebida, em última análise, como permeada de "linguagem" no seu significado mais amplo, não no sentido "burguês".

Teoria Crítica da Sociedade; Escola de Frankfurt; Linguagem das Coisas


Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da UFMG Av. Antônio Carlos, 6627 Campus Pampulha, CEP: 31270-301 Belo Horizonte MG - Brasil, Tel: (31) 3409-5025, Fax: (31) 3409-5041 - Belo Horizonte - MG - Brazil
E-mail: kriterion@fafich.ufmg.br