Kriterion: Revista de Filosofia, Volume: 51, Issue: 121, Published: 2010
  • Leibniz acerca de almas, corpos, agregados e substâncias na discussão com Fardella (1690) Artigos

    Marques, Edgar

    Abstract in Portuguese:

    Defendo neste artigo, contra a interpretação de Robert Adams, a tese de que, na discussão com Fardella (1690), Leibniz adota uma ontologia realista, segundo a qual seres vivos, e não almas, são substâncias.

    Abstract in English:

    In this article, I sustain, against Robert Adam's interpretation, the thesis that Leibniz, in the discussion with Fardella (1690), adopts a realistic ontology, according to which live beings, instead of souls, are substances.
  • Heidegger: de Agostinho a Aristóteles Artigos

    Espósito, Costantino

    Abstract in Portuguese:

    O artigo trata da presença de St. Agostinho no pensamento heideggeriano. Agostinho não representa apenas uma fonte importante para a formação do jovem Heidegger (junto com a fenomenologia de Husserl e a filosofia aristotélica), mas também uma tendência fundamental, algumas vezes tácita, que Heidegger procura absorver e metabolizar em seu próprio pensamento. A interpretação das Confissões - em particular as leituras sobre memoria e temptatio no livro X e sobre o tempo no livro XI, realizadas durante o curso sobre Agostinho e o Neoplatonismo - é a oportunidade que tem Heidegger para tomar algumas decisões teóricas básicas. O homem é um "ser-aí" histórico e temporal que levanta a questão do ser, porque ele é em si mesmo esta própria questão. Enquanto para St. Agostinho o homem é o ente que pergunta diante de um Tu, no pensamento de Heidegger, a questão do homem - a pergunta que é o homem - é entregue ao "nada", porque o mistério de ser não pode mais se manifestar como uma presença. A possibilidade de uma confissão, entendida como um diálogo dramático entre o "Eu" e a presença do ser, torna-se para Heidegger o sinal de finitude do "ser-aí" e de impossibilidade do próprio ser. O objetivo deste artigo é mostrar a atenção de Heidegger (em alguns cursos e ensaios escritos no início dos anos vinte) em "salvar" a descoberta agostiniana de inquietudo, interpretando-a a partir da noção aristotélica de physis - o ente que traz consigo o princípio do movimento - como uma cinética autorreferencial da vida.

    Abstract in English:

    The paper deals with Augustine's presence in Heidegger's thought. Indeed, Augustine is not only the main source for the young Heidegger's training (together with Husserl's phenomenology and Aristotle's philosophy), but is also the fundamental inclination, sometimes hidden, that Heidegger tries to absorb and metabolize in his own thought. The Confessions' interpretation - in particular the reading of book X on memoria and temptatio and book XI on time faced during the Lectures on Augustin and Neoplatonism - is the chance Heidegger has to make some basic theoretical decisions. Human being is nothing but an historical and temporal being-there who raises the question of being because he is in himself that question. While for Augustine the question is raised before a You, in Heidegger's thought the question of human being - i.e. the question that human being is - is handed over to "nothing", because the mystery of being can never become a presence. The possibility of a confession, as a dramatic dialogue between the I and the presence of being, becomes for Heidegger the sign of the finitude of the being-there and the impossibility of being in itself. The aim of the paper is to show Heidegger's attempt (in some lectures and articles wrote during the early Twenties) to "save" Augustine's discovery of inquietudo interpreting it on the ground of Aristotle's physis - i.e. that being which has within itself the principle of the movement - as a self-referential kinetics of life.
  • Necessary truth and proof

    Read, Stephen

    Abstract in Portuguese:

    O que faz verdadeiras as verdades necessárias? Defendo que qualquer verdade sobrevém das coisas como elas são, e que as verdades necessárias não são exceções. O que as faz verdadeiras são provas. Mas, se assim for, a noção de prova precisa ser generalizada para incluir provas de verificação-transcendente, provas cuja correção extrapola a nossa própria habilidade de verificação. Além disso, tenho a incumbência de mostrar que argumentos, como o de Dummett, segundo o qual a verdade em termos de verificação não é compatível com a teoria do significado, não procedem. A resposta consiste no fato de que aquilo que podemos conceber e construir ultrapassa nossas habilidades efetivas. Concluo propondo um tratamento das modalidades em termos de teoria da prova, rejeitando a afirmação de Armstrong de que modalidades podem residir em fazedores de verdade não modais.

    Abstract in English:

    What makes necessary truths true? I argue that all truth supervenes on how things are, and that necessary truths are no exception. What makes them true are proofs. But if so, the notion of proof needs to be generalized to include verification-transcendent proofs, proofs whose correctness exceeds our ability to verify it. It is incumbent on me, therefore, to show that arguments, such as Dummett's, that verification-truth is not compatible with the theory of meaning, are mistaken. The answer is that what we can conceive and construct far outstrips our actual abilities. I conclude by proposing a proof-theoretic account of modality, rejecting a claim of Armstrong's that modality can reside in non-modal truthmakers.
  • A "doença dos eruditos" e a triangularidade da ideia de triângulo: uma análise do conceito de espaço no tratado de Hume Artigos

    Pinheiro, Ulysses

    Abstract in Portuguese:

    A análise do conceito de espaço no Tratado da natureza humana de Hume o compromete com uma série de teses positivas sobre sua natureza e sobre o conteúdo representado por sua ideia: o espaço é finitamente divisível, e sua ideia é composta de pontos coloridos ou táteis não-extensos, o que o leva a concluir que a ideia de espaço é ela mesma espacial. Esse conjunto de teses parece comprometer Hume com uma teoria idealista do espaço. Neste artigo, elucido os argumentos de Hume a favor de suas teses positivas e examino seu comprometimento com o idealismo através de uma caracterização da natureza das proposições do Tratado.

    Abstract in English:

    Hume's analysis of the concept of space in the Treatise of Human Nature commits him to a series of positive assertions on its nature and on the content represented by its idea: space is finitely divisible, and its idea is composed of colored or tactile non-extended points, which leads him to conclude that the idea of space is itself spatial. These assertions seem to commit Hume to an idealistic theory of space. In this paper, I propose to elucidate Hume's arguments for his positive theses and to examine his commitment to idealism through a characterization of the nature of Treatise's propositions.
  • Apel versus Habermas: como dissolver a ética discursiva para salvaguardá-la juridicamente Artigos

    Dutra, Delamar José Volpato

    Abstract in Portuguese:

    A relação entre direito e moral é a clef de voûte do problema da justificação do direito. De fato, a ocupação filosófica com a justificação do direito porta conexão com a moral, como, por exemplo, em Kant, Dworkin, Alexy, Rawls. Pretende-se apresentar o papel desempenhado pela ética discursiva na fundamentação do direito proposta por Habermas. Apesar de Habermas dispor de uma moral cognitivista e ter apresentado uma fundamentação para o princípio de universalização próprio para a mesma, tal princípio parece ter desaparecido do empreendimento tardio de fundamentação da correção jurídica. Tal acusação é endereçada a Habermas exemplarmente por Apel, Kettner e Heck. Pretende-se sustentar, no presente trabalho, especialmente contra Apel, que a moral discursiva não desaparece do empreendimento de fundamentação do direito, sendo apenas redefinido o papel que ela desempenha nesta tarefa, embora em um sentido mais forte do que Habermas pretende reconhecer. De fato, Habermas parece atribuir à moral um papel negativo na justificação do direito. Pretende-se defender que os direitos morais não cumprem uma função somente negativa no procedimento de justificação do direito, por mais importante que seja tal função assim concebida, seja porque tais direitos passam, de alguma forma, a compor a forma jurídica e mesmo os direitos básicos, seja porque a própria tese da complementaridade parece exigir que o direito positive a moral.

    Abstract in English:

    The connections between the law and morality are the clef de voûte of law justifying problem. The philosophic preoccupation with those connections is well exemplified in the works of Kant, Dworkin, Alexy, Rawls. This paper aims to show the role discursive ethics plays in the foundation of the law, according to Habermas' perspective. Although Habermas had established a cognitivist morality and shown an argument for the principle of universalization, it seemed to have disappeared form his later intent of juridical correction foundation. This accusation, addressed to Habermas, was equally supported by Apel, Kettner and Heck. This article intends, especially against Apel's point of view, to demonstrate that discursive morality did not disappear, but have just traversed a period of conceptual modifications. Indeed, for Habermas, morality seems to play a negative role in the law justification process. Despite this underestimation of morality, the paper defends the relevance of moral rights for this process, which increases, even more, the importance of the connections between the law and morality in the discussion of Habermas' complementarity thesis.
  • The role of self-knowledge in aristotelian friendship

    Zagal Arreguín, Héctor

    Abstract in Portuguese:

    Este artigo discute o papel fundamental desempenhado pela amizade no processo de autoconhecimento moral dentro da Ética aristotélica. Ele se concentra nas diferentes vias pelas quais um amigo pode esclarecer o processo de compreensão do nosso comportamento. Dedicamos grande atenção às abordagens de alguns comentadores acerca deste tema, especialmente a de Richard Kraut e Anthony Kenny. O artigo procura propor uma interpretação conciliadora entre abordagens sobre o autoconhecimento que são, apenas aparentemente, incompatíveis.

    Abstract in English:

    This paper discusses the capital role that friendship plays in moral self-knowledge within Aristotelian Ethics. It focuses on the different ways in which a friend may shed light on the understanding of our behavior. Great attention is paid to the accounts of certain commentators (especially, of Richard Kraut and Anthony Kenny) on this subject. The paper tries to provide a conciliatory interpretation between views on self-knowledge that are, only in appearance, irreconcilable.
  • Por que Kant escreve duas introduções para a crítica da faculdade do juízo? Artigos

    Perin, Adriano

    Abstract in Portuguese:

    A busca de uma função sistemática para a Crítica da faculdade do juízo frente à autossuficiência dos domínios teórico e prático da razão, que é o resultado que a filosofia crítica kantiana alcança no final da década de 1780 na argumentação da segunda Crítica, suscita a necessidade de um empreendimento que possa garantir a "conexão" (Verknüpfung) ou o "meio de ligação" (Verbindungsmittel) desses domínios. Vale dizer que as duas primeiras críticas garantem a natureza e a liberdade como duas legalidades determinantes apenas no âmbito inerente aos seus domínios próprios. Assim sendo, a terceira Crítica atesta agora um "grande abismo" entre o domínio teórico e o domínio prático da razão. No presente trabalho objetiva-se reconstruir a argumentação das duas introduções da Crítica da faculdade do juízo sustentando que a percepção da necessidade de um novo texto para a introdução da obra está intrinsecamente ligada ao peso sistemático da abordagem do problema da possibilidade de uma passagem (Übergang) entre o domínio teórico da legalidade da natureza e o domínio prático da legalidade da liberdade.

    Abstract in English:

    In face of the self-sufficiency of the theoretical and practical domains of reason, which is the outcome reached by the critical philosophy at the end of the 1780s in the second Critique's argumentation, the search for a systematic function for the Critique of the Power of Judgment calls for an enterprise accomplishing the connection (Verknüpfung) or the means for combining (Verbindungsmittel) these domains. Nature and freedom are guaranteed by the first two critiques as determining legalities only within their own domains. The third Critique is therefore able to attest to a "great gulf" between the theoretical and practical domains of reason. By reconstructing the argumentation of both introductions to the Critique of the Power of Judgment, the paper defends that the systemic weight given to the consideration of the problem of the possibility of a transition (Übergang) between the theoretical and the practical domains is the main reason behind the necessity of a new text for the introduction to the work.
  • Memory as acquaintance with the past: some Lessons from Russell, 1912-1914

    Faria, Paulo

    Abstract in Portuguese:

    A teoria russelliana da memória como contato (acquaintance) com o passado parece coadunar-se mal com definição do contato (acquaintance) como a conversa da relação de apresentação de um objeto a um sujeito. Mostramos como as duas concepções podem ser conciliadas mediante uma interpretação apropriada de 'apresentação', que tem a vantagem adicional de salientar uma proximidade maior que a usualmente reconhecida entre a teoria da memória de Russell e idéias contemporâneas sobre referência direta e pensamentos dependentes de objeto. O preço a pagar é o reconhecimento de que a memória como contato (acquaintance) com o passado não satisfaz o requisito russelliano de que o conhecimento por contato deva ser discriminativo - uma limitação que é compartilhada pelas abordagens externalistas contemporâneas do conhecimento derivado da memória.

    Abstract in English:

    Russell's theory of memory as acquaintance with the past seems to square uneasily with his definition of acquaintance as the converse of the relation of presentation of an object to a subject. We show how the two views can be made to cohere under a suitable construal of 'presentation', which has the additional appeal of bringing Russell's theory of memory closer to contemporary views on direct reference and object-dependent thinking than is usually acknowledged. The drawback is that memory as acquaintance with the past falls short of fulfilling Russell's requirement that knowledge by acquaintance be discriminating knowledge - a shortcoming shared by contemporary externalist accounts of knowledge from memory.
  • A Phýsis como fundamento do sistema filosófico estoico Artigos

    Matos, Andityas Soares de Moura Costa

    Abstract in Portuguese:

    O presente artigo pretende demonstrar como a Física foi imprescindível para o sistema filosófico estoico, o que permitiu a sua utilização na Antiguidade como fundamento de todo o pensamento do Pórtico. Objetiva-se inferir tal papel preponderante reservado à Física estoica mediante a análise de alguns dos seus principais temas, tais como a Ontologia corporalista que a informa e as noções de lógos, deus e mistura total, concluindo-se o texto com uma breve exposição da teoria das conflagrações.

    Abstract in English:

    The purpose of this paper is to demonstrate how Physics played a vital role in the development of the Stoic Philosophy System and allowed its use in ancient times as a basic element of the whole Portico's thought. This paper also intends to infer the significance of that role played by Stoic Physics, analyzing some of its main themes - the Ontology of the bodies, used, for instance, as an information source; and the notions of lógos, god and general mixture. Finally, the article provides a brief explanation of the conflagration theory.
  • Synanaireĩsthai e Aufheben: alguns aspectos das dialéticas platônica e hegeliana Artigos

    Vieira, Leonardo

    Abstract in Portuguese:

    Explico, primeiramente, lançando mão dos textos de Platão, Aristóteles e Sexto Empírico, o sentido de synanaire)sthai no contexto da identificação das dimensões do ser e das faculdades da alma. Depois, passo, então, ao comentário hegeliano da dialética platônica. Nesta parte do texto, discuto os significados de synanaire)sthai e Aufheben e algumas diferenças entre as dialéticas platônica e hegeliana.

    Abstract in English:

    Firstly, by using Plato's, Aristotle's and Sextus Empiricus' texts, I explain the meaning of synanaire)sthai in the context of the dimensions of being and soul's affections. After that, I proceed then to Hegel's commentary on Plato's dialectic. In this part of the text, I discuss the meanings of synanaire)sthai and Aufheben as well as some differences of Hegel's and Plato's dialectics.
  • Falácia naturalista e naturalismo moral: do é ao deve mediante o quero Artigos

    Brito, Adriano Naves de

    Abstract in Portuguese:

    O objetivo deste texto é discutir alguns argumentos contra a aceitação da falácia naturalista. Pretende-se mostrar aspectos que parecem corretos na argumentação dos que recusam aquela falácia, e, a despeito de seus acertos, demonstrar que estão fundamentalmente errados. O eixo para este desfecho é a reformulação da falácia em termos da recusa da implicação entre o ser e o querer. Espera-se, assim, tornar mais claras as relações - e a ausência delas - entre verdade e moral, bem como abrir espaço para a defesa de um naturalismo moral não comprometido com a existência de fatos morais. Este texto está dividido em cinco partes. Na primeira, apresenta-se a falácia naturalista de acordo com Moore; na segunda, distingue-se essa entre as formulações de Moore e de Hume; na terceira, apresentam-se objeções à interdição da passagem do "é" ao "deve" e se formulam respostas a essas objeções; na quarta, reapresenta-se o problema da interdição entre "é" e "deve" e se focaliza uma solução alternativa a ele mediante o querer; e, finalmente, na quinta parte, elaboram-se algumas conclusões acerca do naturalismo e do realismo na moral.

    Abstract in English:

    This article aims to discuss some arguments against the acceptance of the naturalistic fallacy. It intends to demonstrate that some aspects, which seem to be correct in the argumentation of those who refuse that fallacy, are, despite their pertinence in some points, fundamentally imprecise. In order to reach this outcome, the fallacy is reformulated in terms of the refuse of the implication between "being" and "the will". Therefore, it pretends to clarify the relations - and their absence - between truth and morality as well as enable a defense of a moral naturalism disengaged from the existence of moral facts. This text is divided in five parts. In the first one, I show the naturalistic fallacy according to Moore; in the second part, a distinction between Moore's and Hume's formulations of the naturalistic fallacy is elaborated; in the third part, I do not just present some objections to the interdiction of the passage from "is" to "ought", but also formulate some responses to them; in the forth part, the interdiction problem between "is and "ought" is retrieved and an alternative solution via the will is suggested for it; finally, in the fifth part, some conclusions are drawn about moral naturalism and moral realism.
  • Esfera pública e democracia deliberativa em Habermas: modelo teórico e discursos críticos Artigos

    Lubenow, Jorge Adriano

    Abstract in Portuguese:

    Os argumentos a favor da concepção deliberativa de esfera pública e democracia têm sido alvos de muitas críticas. Muitos teóricos que se ocupam com teorias democráticas têm questionado as assunções básicas da teoria política deliberativa que resulta da obra sobre Faktizität und Geltung (1992), apontando pontos frágeis, sobre as implicações práticas, possibilidades de efetividade, entre outros. Embora não seja possível acompanhar em toda sua amplitude a bibliografia crítica sobre o tema, para nossos propósitos, vamos aqui nos limitar a apresentar alguns comentários acerca das controvérsias envolvendo as concepções de esfera pública e democracia deliberativa que resultam da obra sobre direito e democracia; questões que se tornaram problemáticas para a literatura e que poderiam ser melhor investigadas.

    Abstract in English:

    The arguments about the deliberative conception of democracy and public sphere have been largely criticized. Many theorists who deal with democratic theories have questioned the basic assumptions of the deliberative policy theory, which results from Habermas' work Faktizität und Geltung (1992), pointing some weakness of practical implications, opportunities of effectiveness, among others. Although it is almost impossible following the critical literature about the theme in its whole extent, for our purposes, we will just present a few comments about the controversies involving the conceptions of public sphere and deliberative democracy, which stem from works related to democracy and the law; issues that have become not just problematic for literature but that could also be better investigated.
  • La esfera, el mol y la ciudad

    Neira, Hernán

    Abstract in Spanish:

    Apoyándonos en la noción de "esfera" de Slotedijk, analizamos la protección constituida por los moles. La libertad de elegir en el mol no tiene relación con la libertad individual propuesta por John Stuart Mill; ni con la anarco-individualista propuesta por Henry David Thoreau o incluso por Aldo Leopold en el elogio que éste realiza de la autonomía del pionero estadounidense. En la libertad de elegir en el mol han caducado todas las aventuras y las relaciones humanas se convierten en lo que Sloterdijk denomina "relaciones cristalizadas", bajo el proyecto del aburrimiento normativo poshistórico. La expresión económico-filosófica del mundo poshistórico es la idea de libertad de elegir, enunciada por Milton Friedman. El mol, actual Palacio de Cristal, es como una enciclopedia ilustrada, que exhibe, en orden y sin peligros, el conjunto, ya no del saber, sino de los bienes disponibles. Con ello, se modifica la condición humana.

    Abstract in English:

    Based on the Sloterdijk's concept of sphere, we analyse the protection provided by the malls. Nevertheless, the freedom of choosing in a mall does not have any relation to liberty as it was proposed by John Stuart Mill, neither to the anarcho-individualist one proposed by Henry David Thoreau, nor even to that one proposed by Aldo Leopold, when he praises the authonomy of American pioneer. In the freedom process of choosing in the mall, all adventures perish and human relations become what Sloterdijk denominated "crystalised relations", under a post-historic normative boring project. The economic-philosophical expression of post-historic world is the idea of freedom of choosing, conceived by Milton Friedman. The mall, the current Crystal Palace, is like an enlightened encyclopaedia, which shows, in order and without dangers, the totality, no longer of knowledge, but of available goods. In this way, human condition has modified.
  • Kant e a hermenêutica moderna Artigos

    Beckenkamp, Joãosinho

    Abstract in Portuguese:

    Encontra-se espalhada pela obra de Kant uma série de teses que dizem respeito ao que hoje é conhecido por hermenêutica, isto é, a arte ou a técnica da interpretação. Apesar da clara e marcante influência dessas teses sobre Fr. Schlegel e Schleiermacher, que devem ser reconhecidos como os verdadeiros fundadores da hermenêutica moderna, elas não são devidamente levadas em consideração pelos historiadores da hermenêutica. O presente trabalho visa recuperar a memória histórica destas conexões, no intuito de chegar a uma imagem mais justa do desenvolvimento da hermenêutica moderna.

    Abstract in English:

    There are throughout Kant's work many propositions concerning to what is today called hermeneutics, i. e., the art or the technique of interpretation. Notwithstanding the clear influence of these propositions on Fr. Schlegel and Schleiermacher, who should be recognized as the founders of modern hermeneutics, they aren't duly taken in account by the historians of hermeneutics. The present paper proposes to recover the historical memory of these connections, in order to attain a fair picture of the development of modern hermeneutics.
  • Sessão da congregação da FAFICH/UFMG para concessão do título de professor emérito ao prof. José Henrique Santos e outras colegas Laudatio

    Domingues, Ivan
  • Discurso de agradecimento Laudatio

    Santos, José Henrique
  • Die Installationen der Submoderne: zur Tektonik der heutigen Philosophie

    Zubiria, Martín
  • O continente e a ilha: duas vias da filosofia contemporânea

    Karczmarczyk, Pedro
  • Simone Weil et la Grèce Resenhas

    Chevanier, Robert
  • De Kant a Schelling Resenhas

    Santos, José Henrique
Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da UFMG Av. Antônio Carlos, 6627 Campus Pampulha, CEP: 31270-301 Belo Horizonte MG - Brasil, Tel: (31) 3409-5025, Fax: (31) 3409-5041 - Belo Horizonte - MG - Brazil
E-mail: kriterion@fafich.ufmg.br