Editorial

Hélio de Seixas Guimarães Marta de Senna José Luiz Passos

EDITORIAL

Editorial

Este número 13 traz várias novidades.

A primeira delas é o início do recebimento e publicação de artigos em inglês, o que torna a MAEL, a partir deste número, uma revista bilíngue. O objetivo é acolher textos inéditos, escritos nas duas línguas, e também divulgar, em traduções para o português, textos originalmente escritos em inglês, e vice-versa. A médio prazo, nossa intenção é que cada texto publicado pela MAEL esteja disponível simultaneamente nas duas línguas, de modo a ampliar cada vez mais a possibilidade de alcance da revista e da divulgação dos estudos machadianos.

Nesta estreia, temos o artigo de Eli Carter, professor na University of Virginia, Estados Unidos, sobre a adaptação de Dom Casmurro para a TV, sob direção de Luiz Fernando Carvalho; e o ensaio de Bethany Beyer, da University of California, Los Angeles, com uma comparação entre dois romances tardios de Machado e Henry James, Memorial de Aires e The Ambassadors.

Já na seção "Da tradição crítica" homenageamos um pioneiro dos estudos machadianos no exterior, Benjamin Woodbridge, com a tradução para o português de um ensaio tão curto quanto certeiro sobre as conexões entre a obra de Machado e a de Charles Lamb. Nas resenhas, tratamos da recente tradução para o inglês de "O Alienista", por John C. Chasteen, no volume The Alienist and Other Stories of Nineteenth-Century Brazil, chamando atenção para a crescente internacionalização da obra machadiana, notada por meio das várias traduções recentes para o inglês.

Acompanhando essa abertura para o exterior, a revista apresenta outra novidade, já anunciada no número anterior: passa a contar a cada número com um Editor Associado Internacional. Neste número, tivemos a colaboração de José Luiz Passos, da University of California, Los Angeles, que também contribui com um artigo de sua autoria, "Machado de Assis, moral imagination and the novel". Nele, o autor de Romance com pessoas, a imaginação em Machado de Assis, questiona os limites do realismo em Machado de Assis, um escritor, a seu ver, cada vez mais interessado na imaginação moral como assunto e como técnica.

As contribuições em português vêm da Universidade Federal de Campina Grande, na Paraíba, com o artigo de Maurício Maia Aguiar, que identifica no embate de Sílvio Romero com Machado de Assis questões relacionadas à sociabilidade literária no Brasil do século XIX; da Universidade de São Paulo, em São Paulo, recebemos a colaboração de Ana Carolina Sá Teles, com um ensaio sobre a representação da dissimulação, principalmente das personagens femininas, nos contos da chamada primeira fase do autor.

O número se completa com outra resenha: a de Anco Márcio Tenório Vieira, da Universidade Federal de Pernambuco, em Recife, sobre a coletânea Machado de Assis: crítica literária e textos diversos.

A terceira novidade é que a Machado de Assis em linha passa a ser editada na Universidade de São Paulo, em São Paulo, associada ao Programa de Pós-Graduação em Literatura Brasileira da USP. Nesta fase de transição, o endereço físico oficial da revista ainda é a Fundação Casa de Rui Barbosa, no Rio de Janeiro, devido a questões relativas ao registro no ISBN.

E last but not least, Marta de Senna, idealizadora da revista e sua editora na Fundação Casa de Rui Barbosa torna-se a partir deste número Editora Sênior da Machado de Assis em linha.

Hélio de Seixas Guimarães, Editor

Marta de Senna, Editora Sênior

José Luiz Passos, Editor Associado Internacional

São Paulo, Rio de Janeiro, Los Angeles, junho de 2014

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    10 Jul 2014
  • Data do Fascículo
    Jun 2014
Universidade de São Paulo - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Av. Prof. Luciano Gualberto, 403 sl 38, 05508-900 São Paulo, SP Brasil - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: machadodeassis.emlinha@usp.br