ACERCA DOS PROCESSOS DE INDIGENIZAÇÃO DOS MUSEUS: UMA ANÁLISE COMPARATIVA

A partir de uma leitura comparativa sobre a agência indígena no Museu Magüta (primeiro museu indígena do Brasil, pertencente ao povo Ticuna, localizado em Benjamin Constant, Amazonas) e nas mostras do povo Musqueam no Museu de Antropologia da University of British Columbia (pioneiro na implementação do trabalho colaborativo com os povos indígenas, localizado em Vancouver, Canadá), este trabalho aborda modalidades coexistentes da chamada indigenização dos museus. Interessa-me distinguir as epistemologias e as políticas envolvidas na construção dos conteúdos indígenas desses espaços e sua autorrepresentação, problematizando a expressão "indigenização dos museus" e refletindo, ao mesmo tempo, sobre aquilo que se reconstrói, em termos dos cenários museológicos, após as situações coloniais

Museus indígenas; Indigenização dos museus; Ticuna; Musqueams; Autorrepresentação


Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social - PPGAS-Museu Nacional, da Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ Quinta da Boa Vista s/n - São Cristóvão, 20940-040 Rio de Janeiro RJ Brazil, Tel.: +55 21 2568-9642, Fax: +55 21 2254-6695 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: revistamanappgas@gmail.com