Literatura ou antropologia criminal? O cangaço em Pedra Bonita e Cangaceiros

¿Literatura o antropología criminal? El “cangaço” en Pedra Bonita y Cangaceiros

Literature or anthropological criminology? The “cangaço” in Pedra Bonita and Cangaceiros

João Paulo Mansur Sobre o autor

Resumo

Este artigo investiga as interpretações sociocriminológicas de José Lins do Rego sobre o cangaço que lhe serviram de pano de fundo para desenvolver os romances Pedra Bonita e Cangaceiros. Mostra-se como o romancista se posicionava perante duas teorias criminológicas que, em sua época, tentavam compreender o cangaço: a teoria do banditismo social e a antropologia criminal da Escola Positiva brasileira. Conclui-se que o caminho trilhado por Rego para explicar a gênese do cangaço passava por entendê-lo em função das disputas coronelistas.

Palavras-chave:
Cangaço; José Lins do Rego; Coronelismo; Antropologia criminal; História do Direito

Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social - PPGAS-Museu Nacional, da Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ Quinta da Boa Vista s/n - São Cristóvão, 20940-040 Rio de Janeiro RJ Brazil, Tel.: +55 21 2568-9642, Fax: +55 21 2254-6695 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: revistamanappgas@gmail.com
Accessibility / Report Error