Clinical Pharmacology of Caffeine Citrate in Preterm Infants

Gian Maria Pacifici Sobre o autor

RESUMO

OBJETIVO:

A apneia de prematuridade é definida como a interrupção respiratória de 15 a 20 segundos; é o distúrbio respiratório mais importante em prematuros. A apnéia é normalmente tratada com citrato de cafeína. Os objetivos deste artigo são rever: (1) os mecanismos de ação, (2) os efeitos, (3) o metabolismo, (4) a farmacocinética, e (5) os efeitos adversos do citrato de cafeína em prematuros.

MÉTODOS:

A pesquisa bibliográfica foi realizada utilizando as bases de dados PubMed e EMBASE como motores de busca e abril 2014 foi o ponto de corte.

RESULTADOS:

Ocitrato de cafeía é um estimulante dos centros respiratórios do sistema nervoso central. Liga-se competitivamente aos receptores de adenosina A2A e A1, causando sua inibição. A cafeína aumenta a frequência respiratória e o volume minuto, estimula os centros respiratórios e aumenta o fluxo sanguíneo e a sensitividade das áreas medulares centrais à hipercapnia. O citrato de cafeína administrado por via oral é rápida e completamente absorvido. O fármaco é desmetilado pelo CYP1A2 e N-acetilado pela N-acetil-transferase. A meia-vida de citrato de cafeína é de 100 horas ao nascimento. Há uma redução notável da meia vida durante a maturação neonatal. Os efeitos adversos da cafeína geralmente são pouco importantes e incluem agitação, vômito e sintomas cardíacos funcionais.

CONCLUSÕES:

O citrato de cafeína é a droga de escolha para o tratamento da apneia da prematuridade. E droga fácil de usar. Administrado por via oral ou por via intravenosa, uma vez por dia, não requer monitorização das concentrações de soro e tem poucos efeitos colaterais.

Mavera Edições Técnicas e Científicas Ltda Rua Professor Filadelfo Azevedo, 220, Cep: 04508-010, tel: (11) 3051 3043 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: medicalexpress@me.net.br