MedicalExpress, Volume: 1, Issue: 5, Published: 2014
  • The October issue of MedicalExpress Editorial

    Rocha-e-Silva, Mauricio
  • Prognostic factors in patients with breast cancer metastasis in the femur treated surgically Original Research

    Mouraria, Guilherme Grisi; Matte, Silvia Raquel Frick; Hanasilo, Carlos Hideo; Carvalho, Maria Julia Rosso de; Etchebehere, Mauricio

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO INTRODUÇÃO: O carcinoma de mama é um tumor maligno comum no mundo desenvolvido. O diagnóstico tardio da doença está associada com metástases ósseas. O fêmur é comumente afetado. Fatores prognósticos de mortalidade em pacientes com metástases ósseas provenientes de cânceres em geral têm sido relatados. No entanto, não há nenhum relatório específico de fatores prognósticos em relação à metástase do câncer de mama no fêmur tratados cirurgicamente. A determinação de fatores prognósticos em pacientes com metástases ósseas pode auxiliar a tomada de decisões terapêuticas. OBJETIVO: Determinar os fatores clínicos e ortopédicos relacionados com a mortalidade em pacientes com câncer de mama e metástases ao fêmur tratados cirurgicamente. MÉTODO: Foi realizado um estudo retrospectivo que incluiu 41 pacientes submetidos ao tratamento cirúrgico de metástases femorais. Foram analisadas as seguintes variáveis: (i) número e a localização das metástases ósseas, (ii) metástases viscerais, (iii) presença de fratura patológica, (iv) método de fixação e (v) testes de laboratório. Esses fatores foram correlacionados com a mortalidade por meio de regressão logística multivariada Cox e curvas Kaplan-Meier. RESULTADOS: Houve uma alta prevalência de metástases múltiplas associadas com fraturas patológicas, no momento da cirurgia. A mortalidade foi alta e precoce. Localização subtrocantéricas, a presença de fraturas, anemia e alterações na função renal foram associados a maior mortalidade. O método de fixação, o número de metástases ósseas, e a presença de metástases em outros órgãos não alterou a mortalidade. CONCLUSÕES: O câncer de mama com metástase para o fêmur é uma doença avançada, com mortalidade precoce. Factores clínicos e ortopédicas deve ser considerado. A cirurgia é recomendada quando ocorrem lesões, independente do tipo de implante utilizado.

    Abstract in English:

    BACKGROUND: Breast carcinoma is a common malignancy in the developed world. Late diagnosis of the disease is associated with bone metastasis. The femur is commonly affected. Prognostic factors of mortality in patients with bone metastases originating from cancers in general have been reported. However, there is no specific report of prognostic factors in relation to breast cancer metastasis in the surgically treated femur. The determination of prognostic factors in patients with bone metastasis can assist in therapeutic decisions. OBJECTIVE: To determine clinical and orthopedic factors related to mortality in patients with breast cancer and metastases to the femur treated surgically. METHOD: This was a retrospective study and included 41 patients undergoing surgical treatment of femoral metastases. We analyzed the following variables: (i) number and location of bone metastases, (ii) visceral metastases, (iii) presence of pathological fracture, (iv) fixation method, and (v) laboratory tests. These factors were correlated with mortality using Cox Multivariate Logistic regression and Kaplan-Meier curves. RESULTS: There was a high prevalence of multiple metastases associated with pathological fractures at the time of surgery. Mortality was high and early. Subtrochanteric location, the presence of fractures, anemia, and alterations in renal function were associated with higher mortality. The fixation method, the number of bone metastases, and the presence of metastasis in other organs did not affect mortality. CONCLUSIONS: Breast cancer with metastasis to the femur is an advanced disease with early mortality. Clinical and orthopedic factors should be considered. Surgery is recommended when lesions occur, regardless of the type of implant used.
  • High intensity exercise training worsens alveolar destruction in pulmonary emphysema rats Original Research

    Barnabe, Viviani; Lopes, Fernanda D.T.; Saraiva-Romanholo, Beatriz M.; Rosa, Clarice O.; Pazetti, Rogerio; Valenti, Vitor E.; Martins, Milton de Arruda

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO OBJETIVO: A investigação de intensidades padrão de exercício físico é importante para melhor compreender e desenvolver programas de reabilitação para enfisema. Nosso objetivo foi avaliar os efeitos de diferentes intensidades (moderada e alta) de exercício físico sobre o desenvolvimento de enfisema induzido por protease (instilação endotraqueal de papaína) em ratos. MÉTODOS: Ratos Wistar machos foram divididos aleatoriamente em cinco grupos que receberam instilação intra-traqueal de solução de papaína ou veículo: (i) papaína, exercício de alta intensidade, (ii) papaína, exercício moderado, (iii) soro fisiológico, exercício de alta intensidade, (iv) soro fisiológico, sedentário e (v) papaína, sedentário. Quarenta dias após a instilação intra-traqueal os grupos de exercício foram submetidos a um protocolo de treinamento físico em esteira durante 10 semanas, 5 dias/ semana, a 0.9 km/h (papaína e solucão salina exercício de alta intensidade), ou em 0.6km/h (papaína exercício moderado). Medimos elastância do sistema respiratório e resistência, as fibras de colágeno no parênquima pulmonar, e a intercepção linear média pulmonar. RESULTADOS: Todos os grupos de animais que receberam instilação de papaína apresentaram maior destruição da parede alveolar em comparação com animais que receberam apenas solução salina. O grupo papaína exercício de alta intensidade apresentou maiores valores de intercepto linear médio em comparação com grupos de enfisema que foram treinados em uma intensidade moderada ou não submetidos ao exercício. CONCLUSÃO: A alta intensidade de treinamento físico produziu mais destruição alveolar em um modelo experimental de enfisema em ratos quando comparada ao exercício de intensidade moderada, ou a nenhum exercício.

    Abstract in English:

    OBJECTIVE: Investigation of standard intensities of physical exercise is important to better comprehend and develop rehabilitation programs for emphysema. We aimed to evaluate the effects of different intensities (moderate and high-intensity) of physical exercise on the development of a protease-induced (papain intratracheal instillation) emphysema in rats. METHODS: Male Wistar rats were randomly separated into five groups that received intratracheal instillation of papain solution or vehicle: (i) papain high intensity exercise, (ii) papain moderate exercise, (iii) saline high intensity exercise, (iv) saline sedentary and (v) papain sedentary. Forty days after intratracheal instillation, the exercise groups were submitted to an exercise-training protocol on a treadmill during 10 weeks, 5 days/week, at 0.9 km/h (Papain and saline high exercise), or at 0.6 km/h (papain moderate exercise).We measured respiratory system elastance and resistance, the collagen fiber lung parenchyma, and the pulmonary mean linear intercept. RESULTS: All animal groups that received papain instillation presented higher alveolar wall destruction compared to animals that received only saline solution. The papain high intensity exercise group presented higher values of mean linear intercept compared to emphysema groups that were trained at a moderate intensity or not submitted to exercise. CONCLUSION: High intensity exercise training worsened alveolar destruction in an experimental model of emphysema in rats when compared to moderate intensity exercise, or to no exercise.
  • Yoga Relaxation (savasana) decreases cardiac sympathovagal balance in hypertensive patients Original Research

    Santaella, Danilo F; Lorenzi-Filho, Geraldo; Rodrigues, Marcos R; Tinucci, Taís; Malinauskas, Ana Paula; Mion-Júnior, Décio; Montano, Nicola; Forjaz, Cláudia LM

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO OBJETIVO: Embora o relaxamento seja recomendado como terapia complementar no tratamento da hipertensão, seus efeitos na modulação autonômica cardiovascular ainda não estão claros. O objetivo desse trabalho foi investigar os efeitos do relaxamento na modulação autonômica cardíaca de indivíduos hipertensos. MÉTODOS: Este estudo aleatorizado e controlado foi realizado no Laboratório de Hemodinâmica da Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo/Brasil. Dezesseis hipertensos (6-mulheres) e 14 normotensos controle (6-mulheres) não-obesos participaram de 2 sessões aleatórias: relaxamento (R) e controle (C). Os participantes permaneceram supinos por 55 minutos após as intervenções. Eletrocardiograma, pressão arterial batimento a batimento, e respiração foram adquiridos durante e após as intervenções para a posterior análise espectral autorregressiva das variabilidades do intervalo R-R e da pressão arterial. RESULTADOS: Hipertensos e normotensos apresentaram respostas semelhantes de modulação autonômica cardíaca durante e após as sessões experimentais. Durante o relaxamento, a baixa frequência e o equilíbrio simpatovagal da variabilidade da frequência cardíaca estavam significantemente mais baixas no R do que no repouso supino em C. Quinze minutos após a intervenção a baixa frequência e o equilíbrio simpatovagal ainda estavam inferiores em R do que em C, o que ocorreu também nos 35 minutos, mas não aos 55 minutos. A variabilidade da pressão arterial foi semelhante entre as sessões. CONCLUSÃO: O relaxamento savasana reduz a modulação autonômica simpática cardíaca de hipertensos; essa redução perdura por pelo menos 35 minutos após o término do relaxamento e não é prejudicada nos hipertensos quando comparados com normotensos. Dessa forma, o relaxamento savasana tem efeitos positivos na modulação autonômica cardíaca de hipertensos e pode ser incluído como estratégia para o tratamento não-medicamentoso da hipertensão arterial.

    Abstract in English:

    OBJECTIVE: Although relaxation is recommended as complementary therapy for hypertension, its post-intervention cardiovascular autonomic effects are unclear. The objective of this research was to investigate the effects of savasana relaxation on cardiovascular autonomic modulation in hypertensive patients. METHODS: This randomized controlled trial was performed at the Hemodynamic Laboratory of the Physical Education School of the University of São Paulo/Brazil. Sixteen hypertensive (6-women) and 14 normotensive patients (6-women) non-obese subjects participated in 2 random sessions: savasana relaxation and control. Patients remained supine for 55 min after interventions. Electrocardiogram, beat-to-beat blood pressure and respiration were acquired during and after interventions for posterior autoregressive spectral analysis of the R-R interval and blood pressure variability. RESULTS: Hypertensive and normotensive patients presented similar cardiac autonomic modulation responses during and after experimental sessions. During relaxation, low frequency and sympathovagal balance were significantly lower in the Relaxation sessions than during supine rest in the Control sessions. Fifteen minutes after interventions, low frequency and sympathovagal balance were still lower in Relaxation than in Control, and remained lower for 35 min; at 55 min, the variables were similar between sessions. Systolic blood pressure variability did not differ among sessions. CONCLUSIONS: Savasana Relaxation decreases cardiac sympathetic autonomic modulation after its performance in hypertensive patients; this reduction lasts at least 35 minutes and is not blunted in hypertensive patients when compared to normotensive controls. Thus, savasana relaxation has positive effects on cardiac autonomic modulation of hypertensive patients, and may be included as a strategy for the non-drug treatment of hypertension.
  • The prevalence of mitochondrial DNA mutations in Leigh syndrome in a Brazilian series Original Research

    Marie, Suely Kazue Nagahashi; Oba-Shinjo, Sueli Mieko; Marques-Dias, Maria Joaquina; Rosemberg, Sergio; Kok, Fernando; Reed, Umbertina Conti

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO OBJETIVO: Determinar a prevalência de mutações no DNA mitocondrial (DNAmt) em casos com achados compatíveis com o diagnóstico de síndrome de Leigh em um Servicro de Neurologia brasileiro, e comparar essas descobertas entre os pacientes que apresentam ou não essas mutações. MÉTODO: Seis pontos de mutações do DNAmt (T8993G, T8993C, T8851C, G1644T, T9176C e T3308C) foram analisados por PCR e digestão com endonuclease em 32 pacientes com diagnóstico presuntivo de síndrome de Leigh, de acordo com a distribuição em diferentes faixas etárias. RESULTADOS: Dois pacientes no subgrupo abaixo de 4 anos de idade apresentaram as mutações T8993G e T8993C do DNAmt. Os sintomas clínicos e os achados de neuroimagens destes dois pacientes foram similares aos dos casos sem mutações detectadas. CONCLUSÃO: Como a confirmaçãoo molecular é fundamental tanto para o aconselhamento genético como para a orientação terapêutica, enfatizamos o benefício da pesquisa de mutações no DNAmt em pacientes com fenótipo de Síndrome de Liegh abaixo de 4 anos de idade. O sequenciamento em larga escala do genoma mitocondrial e do exoma completo por tecnologia de sequenciamento de nova geração poderá ser uma alternativa futura no estabelecimento do diagnóstico molecular nesta síndrome genética extensamente heterogênea.

    Abstract in English:

    OBJECTIVE: To determine the prevalence of mitochondrial DNA (mtDNA) mutations in cases with findings compatible with the diagnosis of Leigh syndrome in a Brazilian Neurological Service, and to compare those findings between the patients presenting or not these mutations. METHOD: We analyzed six mtDNA point mutations (T8993G, T8993C, T8851C, G1644T, T9176C, and T3308C) by PCR and endonuclease digestion in 32 patients with presumptive diagnosis of Leigh syndrome, according to distribution across different age ranges. RESULTS: We found two patients, in the subgroup under 4 years of age, presenting T8993G and T8993C mutations. Their clinical symptoms and neuroimaging findings were similar when compared to those patients not harboring these mutations. CONCLUSION: As the molecular confirmation is pivotal for both the precise genetic counselling and therapeutic guidance, we emphasise the benefit of screening for mtDNA mutation in Leigh syndrome patients under 4 years old. Mitochondrial whole genome and whole exome analysis by next-generation sequencing technology maybe a future alternative for molecular diagnosis of this extensive genetic heterogeneous syndrome.
  • Clinical Pharmacology of Caffeine Citrate in Preterm Infants Reviews

    Pacifici, Gian Maria

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO OBJETIVO: A apneia de prematuridade é definida como a interrupção respiratória de 15 a 20 segundos; é o distúrbio respiratório mais importante em prematuros. A apnéia é normalmente tratada com citrato de cafeína. Os objetivos deste artigo são rever: (1) os mecanismos de ação, (2) os efeitos, (3) o metabolismo, (4) a farmacocinética, e (5) os efeitos adversos do citrato de cafeína em prematuros. MÉTODOS: A pesquisa bibliográfica foi realizada utilizando as bases de dados PubMed e EMBASE como motores de busca e abril 2014 foi o ponto de corte. RESULTADOS: Ocitrato de cafeía é um estimulante dos centros respiratórios do sistema nervoso central. Liga-se competitivamente aos receptores de adenosina A2A e A1, causando sua inibição. A cafeína aumenta a frequência respiratória e o volume minuto, estimula os centros respiratórios e aumenta o fluxo sanguíneo e a sensitividade das áreas medulares centrais à hipercapnia. O citrato de cafeína administrado por via oral é rápida e completamente absorvido. O fármaco é desmetilado pelo CYP1A2 e N-acetilado pela N-acetil-transferase. A meia-vida de citrato de cafeína é de 100 horas ao nascimento. Há uma redução notável da meia vida durante a maturação neonatal. Os efeitos adversos da cafeína geralmente são pouco importantes e incluem agitação, vômito e sintomas cardíacos funcionais. CONCLUSÕES: O citrato de cafeína é a droga de escolha para o tratamento da apneia da prematuridade. E droga fácil de usar. Administrado por via oral ou por via intravenosa, uma vez por dia, não requer monitorização das concentrações de soro e tem poucos efeitos colaterais.

    Abstract in English:

    ABSTRACT BACKGROUND: Apnea of prematurity consists in 15 to 20 sec. of breathing cessation and is the most important disorder in the control of breathing in preterm infants. It is treated with caffeine citrate. OBJECTIVES: The objectives of this article are to review: (1) the mechanisms of action, (2) the effects, (3) the metabolism, (4) the pharmacokinetics, and (5) the adverse effects of caffeine citrate in preterms. METHODS: The bibliographic search was performed using PubMed and EMBASE databases as search engines and April 2014 was the cutoff point. RESULTS: Caffeine citrate is a stimulant of the respiratory and central nervous systems. It binds competitively to the receptors for adenosine A1 and A2A, causing inhibition. Caffeine increases respiratory rate and minute volume, stimulates respiratory centers, and increases pulmonary blood flow and the sensitivity of central medullary areas to hypercapnia. Orally administered caffeine citrate is rapidly and completely absorbed. It is N-demethylated by CYP1A2 and is N-acetylated by N-acetyltransferase. The half-life of caffeine citrate is 100 hours at birth and 5 hours at a gestational age >29 weeks. There is a remarkable shortening of the half-life during neonatal maturation. Adverse effects of caffeine are usually mild, and include restlessness, vomiting, and functional cardiac symptoms. CONCLUSIONS: Caffeine citrate is the drug of choice for the treatment of apnea of prematurity. It is an easy drug to use. Administered orally or intravenously once a day, it does not require monitoring of serum concentrations and has few side effects.
  • Clinical and therapeutic controversies on subclinical hyperthyroidism Reviews

    Salles, Fernanda; Salles, Daniela

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Hipertireoidismo subclínico é definido como a condição que ocorre quando a concentração de tirotropina sérica é baixa ou indetectável na presença de níveis de triiodotironina livre e tiroxina dentro dos respectivos intervalos de referência. Apesar dos resultados conflitantes de vários estudos observacionais, este distúrbio de função tireoidiana tem sido associado com um risco aumentado de fibrilação atrial, hipertrofia ventricular esquerda, aumento da frequência cardíaca e comprometimento da função diastólica. Além disso, tem sido relatada uma relação entre hipertireoidismo subclínico e alterações esqueléticas ou cognitivas. O tratamento do hipertireoidismo subclínico permanece controverso, dada a falta de estudos prospectivos randomizados mostrando benefício clínico com a restauraçãodo estado normal. No entanto, esta revisão recomenda o tratamento de hipertireoidismo subclínico de indivíduos com idade superior a 65 anos, em mulheres na pós-menopausa, e em pacientes com fatores de risco cardíaco, com sintomas de doenças cardíacas, osteoporose ou hipertireoidismo, sempre que a tireotropina esteja persistentemente abaixo de <0,1 mU/L. Quando estiver entre 0,1-0,5 mU/L, o tratamento deve ser considerado para os indivíduos com idade superior a 65 anos, portadores de doença cardíaca ou sintomas de hipertireoidismo.

    Abstract in English:

    Subclinical hyperthyroidism is defined as low or undetectable serum thyrotropin concentration in the presence of levels of free thriiodothyronine and thyroxine within the reference range. Despite the conflicting results from many observational studies, this thyroid disorder has been associated with an increased risk of developing atrial fibrillation, left ventricular hypertrophy, increased heart rate and diastolic function impairment. In addition, a relation between subclinical hyperthyroidism, skeletal disorders and cognitive changes has been reported. Treatment of subclinical hyperthyroidism remains controversial, given the lack of prospective randomized studies showing clinical benefits with restoration of the euthyroid state. Nevertheless, this review recommends the treatment of subclinical hyperthyroidism to individuals aged over 65, postmenopausal women, patients with cardiac risk factors, heart disease, osteoporosis or hyperthyroidism symptoms, whenever TSH is persistently suppressed(<0.1 mU/L). When TSH is between 0.1 - 0.5 mU/L, treatment should be considered for individuals over age 65, patients with heart disease or hyperthyroidism symptoms.
  • Adding triamcinolone to viscosupplementation: one year outcome of randomized trial Rapid Communication

    Campos, Gustavo Constantino; Hissadomi, Marcelo Issao; Frucchi, Renato; Pasqualin, Thiago; Rezende, Marcia Uchôa de

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO OBJETIVO: Este é o seguimento prolongado de um ensaio clínico randomizado para avaliar se a adição de triancinolona à viscosuplementação poderia alterar a dor e o efeito da viscosuplementação usada isoladamente, um ano após a aplicação terapêutica. Este é um estudo terapêutico Nível I. MÉTODOS: Em um estudo relatado anteriormente, 104 pacientes foram prospectivamente incluídos. Os pacientes apresentavam osteoartrite do joelho e foram randomizados para receber uma única injeção intra-articular (6 mL) de hylan GF-20 (grupo viscosupplemenção) ou a mesma aplicação acrescida de 1 ml (20 mg) de hexacetonida de triancinolona. Foram preenchidos os questionários Escala Visual Analógica, WOMACTM e Lequesne no início do estudo e nas semanas 1, 4, 12, 24 pós-tratamento. Ao fim de um ano de acompanhamento todos os pacientes foram recrutados e reavaliados. RESULTADOS: Em um ano, os efeitos do tratamento observado nos períodos anteriores estavam presentes, sem diferenças entre os grupos; apenas o grupo que recebeu hylan + triancinolona hexacetonida ainda mostrou uma diferença em relação linha de base no questionário Escala Visual Analógica. CONCLUSÕES: A adição de hexacetonida de triancinolona melhora os sintomas e escores funcionais observados com viscosuplementação simples na primeira semana pós-tratamento e não altera os seus efeitos adversos. Pode haver benefícios para a dor após um ano.

    Abstract in English:

    OBJECTIVE: This is an extended follow-up of a randomized controlled trial to evaluate if the addition of triamcinolone to viscosupplementation could alter one-year pain and function of viscosupplementation alone. This is a Level I Therapeutic study (See Guidelines for Authors for a complete description of levels of evidence). METHODS: In a previously reported study we prospectively enrolled 104 patients with knee osteoarthritis and randomized them to receive either a single intra-articular injection (6 mL) of hylan GF-20 (Group viscosupplementation [Group VS]), or a single intra-articular injection of hylan GF-20 (6 mL) and 1 mL (20 mg) of triamcinolone hexacetonide (Group VS + T). Visual Analogue Scale, WOMACTM, and Lequesne questionnaires were completed at baseline, at weeks 1, 4, 12, 24. At the one-year follow-up point, all patients were recruited and reassessed. RESULTS: At one year, the effects of treatment observed in the previous periods were present, with no differences between groups; only the Group receiving hylan + triamcinolone hexacetonide still showed a difference from baseline in the Visual Analogue Scale questionnaire. CONCLUSIONS: The addition of triamcinolone hexacetonide improves first-week symptoms and functional scores of viscosupplementation and does not alter its adverse effects. There might be benefits for the one-year pain results.
  • Low dose of green tea catechins improves endothelial function and vascular smooth muscle cell reactivity in obese women Original Research

    Bottino, Daniel Alexandre; Nogueira, Débora Cherfan Goulart; Lourenço, Ana Cláudia; Fortes, Vanessa Silveira; Berretta, Andresa A.; Bouskela, Eliete

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO OBJETIVO: A alta prevalência de obesidade no mundo traz vários problemas de saúde com a disfunção endotelial como um problema frequente. Investigamos se o consumo de baixa dose de extrato de chá verde (catequinas < 200 mg/dia) pode modificar a função endotelial, o perfil lipídico, a glicemia e a insulina de jejum, a glicose plasmática pós carga, todos biomarcadores inflamatórios de estresse oxidativo e a pressão arterial em mulheres obesas. MÉTODOS: Dezesseis mulheres obesas com índice de massa corporal (IMC) entre 30 e 40 kg/m2, com idade média de 38 [33-40] anos, consumiram 600 ml (3 × 200 ml) chá verde por dia, contendo 153,3 mg de catequinas e 72,5 mg de cafeína, durante três meses. A função endotelial foi avaliada através da pletismografia de oclusão venosa por aumento de pico de fluxo sanguíneo no antebraço, após 5 min de isquemia, durante a resposta hiperemia reativa comparada com a condição basal do fluxo sanguíneo de antebraço. A vasodilatação endotélio-independente foi analisada através de pico fluxo sanguíneo de antebraço após 0,4mg de nitroglicerina sublingual vs fluxo basal. RESULTADOS: Após três meses, o consumo de chá verde reduziu o índice de massa corpórea 34,02 de 33,13 e pressão arterial diastólica em 4 mmHg; a resposta de hiperemia reativa vs. fluxo basal de antebraço melhorou em 27%; a vasodilatação endotélio-independente melhorou em 12%; o perfil bioquímico do sangue, onde todos os parâmetros estiveram sempre dentro da faixa de normalidade, permaneceu inalterado. CONCLUSÕES: Uma dose baixa de chá verde melhorou o quadro de disfunção endotelial presente na obesidade, reconhecidamente um marcador precoce da aterosclerose, indicando que o seu consumo deve ser incentivado nesses pacientes.

    Abstract in English:

    BACKGROUND: The high prevalence of obesity in the world is associated with several health problems, with endothelial dysfunction figuring as a frequent feature. We investigated whether low dose consumption of green tea extract (catechins,< 200 mg/day) could modify endothelial function, lipid profile, fasting glucose and insulin, post load plasma glucose, inflammatory/oxidative stress biomarkers and blood pressure in obese women. METHODS: Sixteen obese women with body mass index (BMI) between 30 and 40 Kg/m2, mean age 38 [33-40] years, consumed 600 ml green tea (3 × 200 ml) per day, containing 153.3 mg of catechins and 72.5 mg of caffeine, during three months. Endothelial function was evaluated through venous occlusion plethysmography by increment of peak forearm blood flow (FBF), after 5 min ischemia, during the reactive hyperemia response/baseline FBF. Endothelium-independent vasodilation was analyzed through peak FBF after 0.4 mg sublingual nitroglycerin/baseline FBF. RESULTS: After 3 months, this consumption of green tea reduced BMI from 34.02 to 33.13, and diastolic blood pressure by 4 mmHg. The reactive hyperemia response/baseline FBF improved by 27%, and the endothelium-independent vasodilation by 12%. The blood biochemical profile, where all parameters were within the normal range, remained unaltered. CONCLUSIONS: A low dose of green tea ameliorated the endothelial dysfunction present in obesity, indicating that its consumption should be encouraged in these patients, because endothelial dysfunction is an early marker of atherosclerosis.
  • Antinociceptive action of Light Emitting Diode in an experimental model with hyperalgesia by capsaicin Original Research

    Kerppers, Ivo Ilvan; Paz, Isabel de Almeida; Pires, Juliana Aparecida Wosch; Ribeiro, Larissa Gulogurski; Rolão, Marcos Paulo Polowei; Furmann, Meiriélly; Oliveira, Thais Barbosa de; Eltchechem, Camila da Luz; Pereira, Mario César da Silva; Fréz, Andersom Ricardo

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO OBJETIVO: Avaliar o efeito antinociceptivo de um diodo emissor de luz (LED) na fase aguda da dor induzida por capsaicina. MÉTODO: Foram utilizados doze ratos Wistar, divididos em grupos controle e experimental. O processo da dor foi induzida em ambos os grupos, aplicando 50 microlitros de uma solução a 2% de capsaicina na região plantar da pata traseira direita. No grupo experimental, uma única aplicação de LED 627nm (70mw, 7 Joule/cm2) também foi realizada. A nocicepção foi avaliada 30 minutos e 24 horas após a aplicação de LED através de um analgesímetro digital. RESULTADOS: Vinte e quatro horas após a irradiação, observou-se um aumento do limiar nociceptivo no grupo de LED, em comparação com o valor observado 30 min após a aplicação bem como na comparação entre os grupos. CONCLUSÕES: A utilização de LED pode ser considerado como um método analgésico não-invasivo, uma vez que aumenta o limiar nociceptivo de 24 horas após a indução da dor.

    Abstract in English:

    OBJECTIVE: To assess the antinociceptive effect of a light emitting diode (LED) in the acute phase of pain induced by capsaicin. METHOD: Twelve Wistar rats were used, divided into a control and an experimental group. The pain process was induced in both groups by applying 50 microliters of a 2% capsaicin solution in the plantar region of the right hind limb. In the experimental group, a single application of LED 627nm (70mw, 7 Joules/cm2 dose) was also applied. Nociception was assessed 30 minutes and 24 hours after LED application using a digital analgesymeter (Von Frey). RESULTS: Twenty four hours after irradiation, an increase in the nociceptive threshold was observed in the LED group in comparison to the 30 min level, as well as in the inter-group comparison. CONCLUSIONS: The use of LED can be considered as a non-invasive analgesic method as it increases of the nociceptive threshold 24 hours after pain is induced.
  • Delayed Gastric Emptying of Semi-solid diets in Patients with Chagasic Megaesophagus Original Research

    Chinzon, Decio; Navarro-Rodriguez, Tomas; Dal-Paz, Karine; Dib, Ricardo Anuar; Moraes-Filho, Joaquim Prado Pinto de

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO OBJETIVO: Medir o tempo de esvaziamento gástrico de uma dieta semi-sólida em indivíduos com megaesôfago chagásico, em comparação com um grupo controle não-chagásico. MÉTODO: O tempo necessário para o esvaziamento gástrico de uma dieta semi-sólida foi avaliada por meio de ultrassonografia, em 28 pacientes com megaesôfago Chagásico (graus I, II, e III) e comparado com o de um grupo de controle (n = 15). Após medida do diâmetro antral em jejum, 400mL de uma dieta semi-sólida foram administradas e medidas consecutivas foram realizadas a cada 30min. RESULTADOS: A duração da disfagia foi significativamente menor nos pacientes com megaesôfago grau I do que naqueles com graus II ou III. O tempo de esvaziamento gástrico foi significativamente aumentado no grupo megaesôfago em comparação com o grupo de controle. As médias de áreas antrais medidas em jejum e após a distensão antral máxima não diferiram entre os grupos megaesôfago e controle. CONCLUSÃO: O tempo de esvaziamento gástrico de uma dieta semi-sólida foi significativamente maior em pacientes com megaesôfago chagásico que nos controles. O atraso não depende da extensão da dilatação do megaesôfago ou da duração clínica da disfagia.

    Abstract in English:

    OBJECTIVE: To measure the time to gastric emptying of a semi-solid diet in individuals with Chagasic megaesophagus, in comparison with a non-Chagasic control group. METHOD: The time to gastric emptying of a semi-solid diet was assessed via ultrasonography in 28 patients with Chagasic megaesophagus (grades I, II, and III) and compared to that of a control group (n = 15). After measurement of antral diameter under fasting conditions, 400mL of a semi-solid diet were administered and consecutive measurements were performed every 30 min. RESULTS: The duration of dysphagia was significantly lower in patients with megaesophagus grade I than in those with grades II or III. The time to gastric emptying was significantly increased in the megaesophagus group compared to the control group. The means of antral areas measured under fasting conditions and after maximal antral distension did not differ between the megaesophagus and control groups. CONCLUSION: The time to gastric emptying of a semi-solid diet was significantly greater in patients with Chagasic megaesophagus than in controls. The delay did not depend on the extent of dilatation of the megaesophagus or the duration of dysphagia.
  • Clinical pharmacology of dobutamine and dopamine in preterm neonates Review

    Pacifici, Gian Maria

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO A dobutamina é um estimulante seletivo β1. Agonistas de receptores β são usados para estimular a taxa e a força de contração cardíaca. O efeito cronotrópico é útil para o tratamento de arritmias e o efeito inotrópico é útil para aumentar a contratilidade do miocárdio. A dobutamina é cerca de quatro vezes mais potente que a dopamina para estimular a contratilidade miocárdica em baixas concentrações e o volume de ejeção ventricular nos prematuros hipotensos. A dobutamina possui um núcleo de assimetria. O (-) - isómero da dobutamina é um agonista potente dos receptores α1 e é capaz de provocar respostas pressoras marcados. Em contraste, o isômero (+) – A dobutamina é um potente antagonista de dobutamina que pode bloquear os efeitos de (2)-dobutamina. A dobutamina é relativamente cardiosseletiva em dosagens utilizadas na prática clínica; sua ação principal incide sobre os receptores β1-adrenérgicos. A dobutamina e a dopamina sofrem intenso metabolismo em recém-nascidos, onde são conjugados com sulfato e ortometilados. A depuração e a meia-vida de dobutamina e dopamina apresentam variações de uma ordem de grandeza em recém-nascidos. A dopamina é amplamente utilizada para aumentar a pressão arterial, o débito cardíaco, a produção de urina e a perfusão periférica em recém-nascidos com choque e insuficiência cardíaca. A dopamina é mais eficaz do que a dobutamina no tratamento a curto prazo de hipotensão sistêmica em prematuros. Altas doses de dopamina causam vasoconstrição, aumento da resistência vascular sistêmica e, eventualmente, diminuem o fluxo sanguíneo renal. O tratamento com dobutamina está associada com um aumento significativamente maior na vazão do ventrículo esquerdo no único estudo relatando esse resultado. A dobutamina é indicada para o tratamento de curto prazo da descompensação cardíaca.

    Abstract in English:

    Dobutamine is a β1 selective stimulant. β Receptor agonists are used to stimulate the rate and the force of cardiac contraction. The chronotropic effect is useful for the treatment of arrhythmias whereas the inotropic effect is useful to augment the myocardial contractility. Dobutamine is about four times as potent as dopamine in stimulating myocardial contractility in low concentrations and increases left ventricular output in the hypotensive preterm infants. Dobutamine possesses a center of asymmetry. The (-)-isomer of dobutamine is a potent agonist of α1 receptors and is capable of causing marked pressor responses. In contrast, (+)-dobutamine is a potent α1 receptor antagonist which can block the effects of (-)-dobutamine. Dobutamine is relatively cardioselective at dosages used in clinical practice with its main action being on β1-adrenergic receptors. Dobutamine and dopamine undergo intense metabolism in neonates where they are conjugated with sulphate and O-methylated. The clearance and the half-life of dobutamine and dopamine range over one order of magnitude in neonates. Dopamine is widely used to increase blood pressure, cardiac output, urine output and peripheral perfusion in neonates with shock and cardiac failure. Dopamine is more effective than dobutamine in the short-term treatment of systemic hypotension in preterm infants. High doses of dopamine cause vasoconstriction, increase systemic vascular resistance, and, eventually, decrease renal blood flow. Treatment with dobutamine is associated with a significantly greater increase in left ventricular output in the single study reporting that outcome. Dobutamine is indicated for the short-term treatment of cardiac decompensation.
  • Influence of resistance training on cardiac autonomic modulation: literature review Review

    Barbosa, Marianne Penachini da Costa de Rezende; Silva, Anne Kastelianne França da; Bernardo, Aline Fernanda Barbosa; Souza, Naiara Maria de; Neto Junior, Jayme; Pastre, Carlos Marcelo; Vanderlei, Luiz Carlos Marques

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Entre os benefícios promovidos pelo treinamento resistido, a sua influência sobre a modulação autonômica cardíaca nos chama a atenção, tendo em vista a importância do sistema nervoso autônomo (SNA) no controle das funções internas do organismo. O objetivo da presente revisão narrativa foi reunir informações a respeito dos efeitos do treinamento resistido sobre a modulação autonômica em adultos jovens saudáveis, avaliados por meio da variabilidade da frequência cardíaca (VFC). Para isso foram realizadas consultas em maio de 2013 nas bases de dados: Medical Literature Analysis and Retrieval System Online (MedLine/Pubmed), Physiotherapy Evidence Database (PEDro), Scientific Electronic Library Online (SciELO) e Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (Lilacs), com artigos publicados no período de janeiro de 2003 a marco de 2013; as palavras-chaves utilizadas foram: "resistance training", "lifting", "exercise therapy" em cruzamento "autonomic nervous system" e "parasympathetic nervous system" e tambe´m o termo "heart rate variability". Dos 1940 títulos encontrados foram selecionados 3 artigos completos para compor esta revisão. Os dados foram analisados de forma qualitativa. A reunião desses estudos sugere que o treinamento resistido pode alterar os índices de VFC na população de adultos jovens saudáveis e que essa alteração ocorre em função do aumento da atividade vagal, proporcionado pela prática deste tipo de treinamento.

    Abstract in English:

    Among the benefits provided by resistance training, its influence on cardiac autonomic modulation draws attention, given the importance of the autonomic nervous system in the control of the internal functions of the body. The objective of this narrative review was to gather information about the effects of resistance training on autonomic modulation in healthy young adults, assessed through heart rate variability. This search was performed in May 2013 in the following databases: Medical Literature Analysis and Retrieval System Online (MEDLINE/PubMed), Physiotherapy Evidence Database (PEDro), Scientific Electronic Library Online (SciELO) and Literature and Latin American and Caribbean Health Sciences (LILACS), with articles published between January 2003 and March 2013. The keywords used were: "resistance training," "lifting," "exercise therapy" crossreferenced with "autonomic nervous system" and "parasympathetic nervous system" and also the term "heart rate variability". Of the 1,940 titles found, 3 complete articles were selected to compose the review. Data were analyzed qualitatively. The analysis of these studies suggests that resistance training can change the heart rate variability indices in the population of healthy young adults and that this change is due to increased vagal activity, provided by the practice of this type of training.
Mavera Edições Técnicas e Científicas Ltda Rua Professor Filadelfo Azevedo, 220, Cep: 04508-010, tel: (11) 3051 3043 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: medicalexpress@me.net.br