Variação temporal e espacial na abundância das lagartas de Stenoma cathosiota Meyrick (Lepidoptera: Elachistidae) no cerrado de Brasilia, DF

Helena C. Morais Bérites C. Cabral Jacimary A. Mangabeira Ivone R. Diniz Sobre os autores

As lagartas da mariposa Stenoma cathosiota Meyrick alimentam-se de folhas de Roupala montana Aubl. (Proteaceae) em áreas de cerrado do Distrito Federal. Elas constroem abrigos juntando folhas da planta onde se alimentam e empupam. São parasitadas por uma vespa (Hymenoptera: Braconidae) que emerge da pupa. A abundância de lagartas de S. cathosiota e a freqüência do parasitismo foram comparadas em duas áreas de estudo: uma com queimadas freqüentes (bienal) e a outra com queimadas esporádicas (1987 e 1994). Na área com baixa freqüência de queimada, a variação na abundância das lagartas entre anos foi significativamente diferente (chi² = 24,06; gl. = 1; P = 0,000). No entanto, a variação na abundância de lagartas entre áreas, para o mesmo período de tempo, não diferiu estatisticamente (chi² = 3,45; gl. = 1; P = 0,063). A freqüência do parasitismo foi alta, ocorrendo em 29% das lagartas coletadas e não diferiu entre as áreas. A grande variação temporal na abundância de lagartas no cerrado dificulta a determinação dos efeitos do fogo sobre essa fauna.

Braconidae; Stenomatinae; fogo; parasitismo; planta hospedeira


Sociedade Entomológica do Brasil Sociedade Entomológica do Brasil, R. Harry Prochet, 55, 86047-040 Londrina PR Brasil, Tel.: (55 43) 3342 3987 - Londrina - PR - Brazil
E-mail: editor@seb.org.br