Eficiência do parasitismo natural por Billaea rhynchophorae (Blanchard) (Diptera: Tachinidae) para o controle de Rhynchophorus palmarum (L.) (Coleoptera: Curculionidae)

Foi avaliada a ocorrência do parasitóide Billaea rhynchophorae (Blanchard) em larvas de Rhynchophorus palmarum (L.) em plantações das palmeiras piaçava (Attalea funifera Mart.) e dendê (Elaeis guineensis Jacquin) no Sudeste da Bahia. As porcentagens mensais de parasitismo foram determinadas durante 13 meses, entre novembro de 2000 e novembro de 2001, comparando-se o número de casulos de R. palmarum parasitados e não-parasitados. O índice médio de parasitismo foi 40%, variando de 57% em novembro de 2000 a 18% em julho de 2001. Enquanto não existe método de criação massal do parasitóide, recomenda-se uma prática simples de manejo que visa a preservar seu efeito benéfico nas plantações de palmeiras.

Attalea funifera; Elaeis guineensis; palmeira; Bursaphelenchus cocophilus; doença do anel vermelho


Sociedade Entomológica do Brasil Sociedade Entomológica do Brasil, R. Harry Prochet, 55, 86047-040 Londrina PR Brasil, Tel.: (55 43) 3342 3987 - Londrina - PR - Brazil
E-mail: editor@seb.org.br