Metabolic substrates are not mobilized from the osmoregulatory organs (gills and kidney) of the estuarine pufferfishes Sphoeroides greeleyi and S. testudineus upon short-term salinity reduction

Os baiacus marinhos Sphoeroides testudineus e S. greeleyi são freqüentadores de estuários e eficientes osmorreguladores. No entanto, eles diferem quanto à sua capacidade de tolerar a redução de salinidade. Durante a descida de maré S. testudineus permanece no estuário com salinidade reduzida e S. greeleyi retorna para a água do mar. A hipótese testada neste estudo foi a de que a mobilização em curto prazo dos substatos metabólicos armazenados nos órgãos osmorregulatórios poderia explicar esta tolerância diferencial a redução de salinidade. Peixes expostos a 5‰ (por 6 h) foram comparados com os mantidos em 35‰ . O conteúdo branquial e renal de triacilglicerol, proteína e glicogênio foram avaliados, e a atividade ATPásica total foi quantificada para representar o metabolismo do tecido. Osmolalidade, cloreto e glicose plasmáticos, o hematócrito e o conteúdo de água no músculo também foram mensurados. O conteúdo total de triacilglicerol foi maior em S. greeleyi do que em S. testudineus em ambas as salinidades e em ambos os órgãos. O conteúdo renal de glicogênio foi maior em S. greeleyi quando comparado a S. testudineus na duas salinidades. A atividade ATPásica total foi reduzida em 5‰ quando comparada a 35‰ no rim de S. greeleyi, e foi maior nas brânquias de S. greeleyi quando comparada aos valores para S. testudineus em ambas as salinidades. Após a exposição a água do mar diluída, ambas as espécies apresentaram padrão osmorregulatório similar: osmolalidade e cloreto plasmáticos foram reduzidos. Em ambas as espécies a estabilidade do conteúdo de água no músculo indicou capacidade de regular o conteúdo de água intracelular. Os substratos metabólicos estocados nos órgãos osmorregulatórios de ambas as espécies não foram mobilizados durante a exposição de curto-prazo a diluição da água do mar, porém algumas diferenças foram reveladas entre as duas espécies. S. greeleyi apresentou maior reserva metabólica (essencialmente triacilglicerol) em seus órgãos, e suas brânquias apresentaram maior atividade ATPásica total quando comparado a S. testudineus.


Sociedade Brasileira de Ictiologia Universidade Estadual de Maringá, Núcleo de Pesquisas em Limnologia, Ictiologia e Aquicultura/Coleção Ictiologia, Av. Colombo, 5790, 87020-900 Maringá, PR, Brasil, Tel.: (55 44)3011 4632 - Maringá - PR - Brazil
E-mail: neoichth@nupelia.uem.br