Ion fluxes in silver catfish (Rhamdia quelen) juveniles exposed to different dissolved oxygen levels

Felipe Link de Rosso Keidi C. S. Bolner Bernardo Baldisserotto Sobre os autores

Baixos níveis de oxigênio dissolvido na água (hipóxia) podem ser causados pelo consumo de oxygênio por peixes e outros organismos, decomposição de matéria orgânica, "blooms" de fitoplâncton e aumento de temperatura. O objetivo do presente estudo foi analisar os fluxos de Na+, Cl-, K+ e amônia em jundiás (Rhamdia quelen) expostos a diferentes níveis de oxigênio dissolvido. Juvenis (9 ± 1g) mantidos em 6,0 mg.L-1 oxigênio dissolvido foram transferidos para quatro aquários de 40 L com diferentes níveis de oxigênio dissolvido (em mg.L-1): 6,0; 4,5; 3,5 e 2,5. Em outra série de experimentos, juvenis foram aclimatados a 6,0 ou 2,5 mg.L-1 oxigênio dissolvido e então colocados em dois aquários de 40 L com 6,0 mg.L-1 oxigênio dissolvido. Para ambas séries de experimentos, 1, 24, 48 ou 120 h depois da transferência os juvenis foram colocados em câmaras individuais de 200 mL (com os mesmos níveis de oxigênio dissolvido dos seus respectivos aquários) por 3 h. Amostras de água foram coletadas para análise dos níveis de Na+, Cl-, K+ e amônia. Os resultados obtidos permitem concluir que a exposição a 2,5 mg.L-1 oxigênio dissolvido promove uma perda de íons nos juvenis de jundiá, mas estas perdas são estabilizadas rapidamente no caso de Na+ e Cl-. A exposição a níveis não tão hipóxicos também altera os fluxos iônicos, mas não há nenhuma relação clara entre ambos parâmetros. Portanto, a osmorregulação do jundiá parece ser afetada quando exemplares são transferidos de águas normóxicas to hipóxicas e vice-versa.


Sociedade Brasileira de Ictiologia Universidade Estadual de Maringá, Núcleo de Pesquisas em Limnologia, Ictiologia e Aquicultura/Coleção Ictiologia, Av. Colombo, 5790, 87020-900 Maringá, PR, Brasil, Tel.: (55 44)3011 4632 - Maringá - PR - Brazil
E-mail: neoichth@nupelia.uem.br