Longitudinal use of feeding resources and distribution of fish trophic guilds in a coastal Atlantic stream, southern Brazil

Este estudo descreve o uso dos recursos alimentares e a distribuição das guildas tróficas de peixes ao longo do gradiente longitudinal de um riacho da encosta Atlântica, Sul do Brasil. Recursos alóctones (insetos terrestres) foram consumidos com maior frequência na cabeceira, entretanto, recursos de origem autóctone (algas, peixes) e detritos foram mais frequentemente registrados na foz. Espécies detritívoras, invertívoras aquáticas, insetívoras terrestres e aquáticas ocorreram ao longo de todo gradiente, enquanto que as onívoras e piscívoras na cabeceira e meio, respectivamente, e herbívoras no meio e foz. Detritívoras e insetívoras aquáticas foram significativamente mais especializadas em relação às demais guildas; entretanto, não houve nenhuma evidência de aumento longitudinal da especialização trófica. A densidade e a biomassa de invertívoras e insetívoras aquáticas diminuíram, enquanto que das detritívoras aumentaram no sentido cabeceira-foz. A distribuição das guildas tróficas foi significativamente associada com a secção do riacho, onde insetívoras aquáticas e terrestres foram mais frequentes em trechos rochosos e de elevado fluxo da cabeceira, enquanto que detritívoras em ambientes mais profundos com partículas finas de substrato da foz. Tais resultados sugerem que assembleias de peixes de riachos tropicais de encosta, os quais apresentam acentuado gradiente longitudinal, podem seguir padrões de uso dos recursos alimentares de acordo com a disponibilidade alimentar ao longo do rio, como previstos no Conceito de Continuidade de Rios


Sociedade Brasileira de Ictiologia Universidade Estadual de Maringá, Núcleo de Pesquisas em Limnologia, Ictiologia e Aquicultura/Coleção Ictiologia, Av. Colombo, 5790, 87020-900 Maringá, PR, Brasil, Tel.: (55 44)3011 4632 - Maringá - PR - Brazil
E-mail: neoichth@nupelia.uem.br