Crítica ao uso de tipos ideais nos estudos da lógica institucional

Guillermo Cruz Sobre o autor

Resumo

Nos últimos anos tem se consolidado dentro da vertente institucional uma linha de pesquisa interessada no estudo do modo como preferências, identidades, valores e pressupostos de indivíduos e organizações se encontram imersos em lógicas institucionais. Uma das alternativas propostas para o estudo da lógica dos campos organizacionais consiste no uso de “tipos ideais”. No presente ensaio busco refletir sobre o uso de tipos ideais por parte de alguns autores do institucionalismo nos estudos das lógicas presentes nos contextos estudados. Argumento que é feita uma leitura equivocada por parte de alguns desses autores daquilo que é defendido por Weber com relação à construção ideal-típica, ignorando a questão da neutralidade axiológica e a impossibilidade de encontrar empiricamente os tipos na realidade. Neste aspecto, defendo que o modo como os estudos nesta linha fazem uso de tipos ideais precisa ser repensado, levando em consideração essas questões.

Palavras-chave
Institucionalismo; Lógica Institucional; Tipos Ideais; Ensaio Teórico

Escola de Administração da Universidade Federal da Bahia Av. Reitor Miguel Calmon, s/n 3o. sala 29, 41110-903 Salvador-BA Brasil, Tel.: (55 71) 3283-7344, Fax.:(55 71) 3283-7667 - Salvador - BA - Brazil
E-mail: revistaoes@ufba.br