Plant stimulant effect on Brasil-Bahia tobacco growth and production

Efeito de estimulante vegetal no crescimento e produção de fumo Brasil-Bahia

Abstracts

The purpose of the study was to evaluate the effect of the Stimulate® plant stimulant, applied to leaves by spraying, on tobacco (Nicotiana tabacum L.) growth and production. The Brasil-Bahia tobacco and Stimulate®, at the doses of 0.0 mL L-1 (control - water); 1.0 mL L-1; 3.0 mL L-1; 5.0 mL L-1; and 11.0 mL L-1, in watery solution, were used. On the fifteenth day after sowing (DAS), the treatments were applied. A total of six sprayings were made, once a day, each five days. After forty-three DAS, the number of leaves; stem and root length; stem, roots, and leaves dry matter; and leaf area were evaluated, under nursery conditions. In the field, the plants remained for 64 days (107 DAS) and the number of leaves; number of viable leaves; plant height; stem and leaves dry matter; and leaf area were evaluated. Stimulate®, under nursery conditions, decreased stem, root and leaf dry matter and leaf area for tobacco. Stimulate® was also efficient to increase the number of leaves and stem length, under nursery conditions, for the Brasil-Bahia tobacco. Under field conditions, Stimulate®, applied during the vegetative stage, was not efficient to increase leaf production, however, it increased stem height and dry matter.

Nicotiana tabacum L; leaf pulverization; plant regulator; Stimulate®


Objetivou-se avaliar o efeito do estimulante vegetal Stimulate®, via pulverização foliar, sobre o crescimento e produção de fumo (Nicotiana tabacum L.). Foram utilizados fumo Brasil-Bahia e Stimulate®, nas doses 0,0 mL L-1; 1,0 mL L-1; 3,0 mL L-1; 5,0 mL L-1; e 11,0 mL L-1. A partir de 15 dias após a semeadura (DAS), foram aplicadas um total de seis pulverizações, uma vez por dia, a cada cinco dias. No viveiro convencional, após 43 DAS, avaliou-se o número de folhas; comprimentos da haste e raiz; massa de matéria seca de hastes, folhas e raízes; e área foliar. No campo, as plantas permaneceram por 64 dias (107 DAS) e avaliou-se o número de folhas; número de folhas viáveis; altura da planta; massa de matéria seca de folhas e hastes; e área foliar. No viveiro convencional, o Stimulate® diminuiu a massa de matéria seca da haste, raiz e folha e a área foliar do fumo, porém, foi eficiente no aumento do número de folhas e comprimento da haste, para o fumo Brasil-Bahia. No campo, o Stimulate® não foi eficiente no aumento da produção de folhas, porém, incrementou a altura e a massa de matéria seca do caule.

Nicotiana tabacum L; pulverização foliar; regulador vegetal; Stimulate®


PRODUÇÃO VEGETAL

Plant stimulant effect on Brasil-Bahia tobacco growth and production

Efeito de estimulante vegetal no crescimento e produção de fumo Brasil-Bahia

Elvis Lima Vieira; Adriana Queiroz de Almeida

Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, Plant Physiology Department, Cruz das Almas, BA, Brazil. E-mails: elvieira@ufrb.edu.br, adrianaq_almeida@yahoo.com.br

ABSTRACT

The purpose of the study was to evaluate the effect of the Stimulate® plant stimulant, applied to leaves by spraying, on tobacco (Nicotiana tabacum L.) growth and production. The Brasil-Bahia tobacco and Stimulate®, at the doses of 0.0 mL L-1 (control - water); 1.0 mL L-1; 3.0 mL L-1; 5.0 mL L-1; and 11.0 mL L-1, in watery solution, were used. On the fifteenth day after sowing (DAS), the treatments were applied. A total of six sprayings were made, once a day, each five days. After forty-three DAS, the number of leaves; stem and root length; stem, roots, and leaves dry matter; and leaf area were evaluated, under nursery conditions. In the field, the plants remained for 64 days (107 DAS) and the number of leaves; number of viable leaves; plant height; stem and leaves dry matter; and leaf area were evaluated. Stimulate®, under nursery conditions, decreased stem, root and leaf dry matter and leaf area for tobacco. Stimulate® was also efficient to increase the number of leaves and stem length, under nursery conditions, for the Brasil-Bahia tobacco. Under field conditions, Stimulate®, applied during the vegetative stage, was not efficient to increase leaf production, however, it increased stem height and dry matter.

Key-Words:Nicotiana tabacum L.; leaf pulverization; plant regulator; Stimulate®.

RESUMO

Objetivou-se avaliar o efeito do estimulante vegetal Stimulate®, via pulverização foliar, sobre o crescimento e produção de fumo (Nicotiana tabacum L.). Foram utilizados fumo Brasil-Bahia e Stimulate®, nas doses 0,0 mL L-1; 1,0 mL L-1; 3,0 mL L-1; 5,0 mL L-1; e 11,0 mL L-1. A partir de 15 dias após a semeadura (DAS), foram aplicadas um total de seis pulverizações, uma vez por dia, a cada cinco dias. No viveiro convencional, após 43 DAS, avaliou-se o número de folhas; comprimentos da haste e raiz; massa de matéria seca de hastes, folhas e raízes; e área foliar. No campo, as plantas permaneceram por 64 dias (107 DAS) e avaliou-se o número de folhas; número de folhas viáveis; altura da planta; massa de matéria seca de folhas e hastes; e área foliar. No viveiro convencional, o Stimulate® diminuiu a massa de matéria seca da haste, raiz e folha e a área foliar do fumo, porém, foi eficiente no aumento do número de folhas e comprimento da haste, para o fumo Brasil-Bahia. No campo, o Stimulate® não foi eficiente no aumento da produção de folhas, porém, incrementou a altura e a massa de matéria seca do caule.

Palavras-Chave:Nicotiana tabacum L.; pulverização foliar; regulador vegetal; Stimulate®.

Full text available only in PDF format.

Texto completo disponível apenas em PDF.

Trabalho recebido em maio/2009 e aceito para publicação em nov./2010 (nº registro: PAT 6297/ DOI: 10.5216/pat.v40i4.6297).

  • ALBUQUERQUE, R. C. Efeitos do bioestimulante Stimulate® em sementes pré-embebidas de mamona (Ricinus communis L.). In: CONGRESSO BRASILEIRO DE MAMONA, 1., 2004, Campina Grande. Anais.. Campina Grande: Embrapa, 2004. 1 CD-ROM.
  • ALLEONI, B. et al. Efeito dos reguladores vegetais de Stimulate® no desenvolvimento e produtividade do feijoeiro (Phaseolus vulgaris L.). Ciências Exatas e da Terra, Ciências Agrárias e Engenharia, Ponta Grossa, v. 6, n. 1, p. 23-35, 2000.
  • ANUÁRIO brasileiro do fumo. Santa Cruz do Sul: Gazeta Santa Cruz, 2007.
  • CASTRO, P. R. C. et al. Efeitos de estimulante vegetal e fertilizante foliar na vegetação e produção de laranja 'Pêra'. Laranja, Cordeirópolis, v. 22, n. 2, p. 113-119, 2001.
  • CASTRO, P. R. C.; VIEIRA, E. L. Aplicações de reguladores vegetais na agricultura tropical Guaíba: Agropecuária, 2001.
  • CASTRO, P. R. C.; VIEIRA, E. L. Utilização de rizotrons para avaliação do desenvolvimento do sistema radicular de sementes de soja (Glycine max L.) sob pré-tratamentos com Stimulate® In: CONGRESSO BRASILEIRO DE FISIOLOGIA VEGETAL, 7., 1999, Brasília, DF. Resumos.. Brasília, DF: Sociedade Brasileira de Fisiologia Vegetal, 1999. p. 60.
  • CATO, S. C. Ação de bioestimulante nas culturas do amendoinzeiro, sorgo e trigo e interações entre auxinas, citocininas e giberelinas 2006. 122 f. Tese (Doutorado em Fitotecnia)Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2006.
  • CATO, S. C.; CASTRO, P. R. C.; OLIVEIRA, R. F. Desenvolvimento radicular de plantas de soja (Glycine max L. Merril) influenciado por bioestimulate. In: REUNIÃO DE PESQUISA DE SOJA NA REGIÃO CENTRAL DO BRASIL, 27., 2005, Cornélio Procópio. Resumos.. Cornélio Procópio: Embrapa Soja, 2005. p. 493.
  • DARIO, G. J. A. et al. Influência do uso de fitorregulador no crescimento da soja. Revista da Faculdade de Zootecnia, Veterinária e Agronomia, Uruguaiana, v. 12, n. 1, p. 126-134, 2005.
  • DOURADO NETO, D. et al. Aplicação e influência do fitorregulador no crescimento das plantas de milho. Revista da Faculdade de Zootecnia, Veterinária e Agronomia, Uruguaiana, v. 11, n. 1, p. 93-102, 2004.
  • ERCHER, M. de M. et al. Uso de bioestimulante na formação de mudas de maracujazeiro amarelo. Semina: Ciências Agrárias, Londrina, v. 27, n. 3, p. 351-360, 2006.
  • HUTCHENS, T. W. Physiology and agronomy. In: DAVIS, D. L.; NIELSEN, M. T. (Eds.). Tobacco: production, chemistry and technology. Oxford: Blackwell Science, 1999. p. 66-69.
  • KLAHOLD, C. A. et al. Resposta da soja (Glycine max (L.) Merrill) à ação de bioestimulante. Acta Scientiarum Agronomy, Maringá, v. 28, n. 2, p. 179-185, 2006.
  • MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO (MAPA). Estatísticas-culturas 2010. Disponível em: <http://www.agricultura.gov.br>. Acesso em: 14 jan. 2010.
  • REGHIN, M. Y.; OTTO, R. F.; SILVA, J. B. C. Stimulate Mo e proteção com 'tecido não tecido' no pré-enraizamento de mudas de mandioquinha-salsa. Horticultura Brasileira, Campinas, v. 18, n. 1, p. 53-56, 2000.
  • RODRIGUES, J. D.; DOMINGUES, M. C. S.; MOREIRA, R. C. Incrementos da produtividade da cultura da soja (Glycine max L. Merril) cv. IAC-18 com aplicação de biorregulador Stimulate. In: REUNIÃO LATINO AMERICANA DE FISIOLOGIA VEGETAL, 11., 2002, Punta del Este. Actas.. Punta del Este: Sociedade Latino Americana de Fisiologia Vegetal, 2002. p. 124.
  • SAMPAIO, E. S. de. Fisiologia vegetal: teoria e experimentos. Ponta Grossa: Ed. UEPG, 1998.
  • SANTOS, C. M.; VIEIRA, E. L. Efeito de bioestimulante na germinação de sementes, vigor de plântulas e crescimento inicial do algodoeiro. Magistra, Cruz das Almas, v. 17, n. 3, p. 124-130, 2005.
  • STOLLER DO BRASIL. Stimulate Mo em hortaliças: informativo técnico Cosmópolis: Stoller do Brasil, 1998.
  • TAIZ, L.; ZEIGER, E. Fisiologia vegetal Porto Alegre: Artmed, 2004.
  • TAIZ, L.; ZEIGER, E. Fisiologia vegetal Porto Alegre: Artmed, 2009.
  • VIEIRA, E. L.; CASTRO, P. R. C. Ação de bioestimulante na cultura do feijoeiro (Phaseolus vulgaris L.). In: FANCELLI, A. L.; DOURADO NETO, D. (Eds.). Feijão irrigado: tecnologia & produtividade. Piracicaba: ESALQ/USP, 2003. p. 73-100.
  • VIEIRA, E. L.; CASTRO, P. R. C. Ação de bioestimulante na cultura da soja (Glycine max L. Merrill). Cosmópolis: Stoller do Brasil, 2004.
  • VIEIRA, E. L.; MONTEIRO, C. A. Hormônios vegetais. In: CASTRO, P. R. C.; SENA, J. O. A.; KLUGE, R. A. (Eds.). Introdução à fisiologia do desenvolvimento vegetal Maringá: Eduem, 2002. p. 79-104.

Publication Dates

  • Publication in this collection
    30 Sept 2014
  • Date of issue
    Dec 2010

History

  • Accepted
    Nov 2010
  • Received
    May 2009
Escola de Agronomia/UFG Caixa Postal 131 - Campus II, 74001-970 Goiânia-GO / Brasil, 55 62 3521-1552 - Goiânia - GO - Brazil
E-mail: revistapat.agro@ufg.br