Recommendations for monitoring avian populations with point counts: a case study in southeastern Brazil

Vagner Cavarzere Gabriel Parmezani Moraes James Joseph Roper Luís Fábio Silveira Reginaldo José Donatelli Sobre os autores

No hemisfério norte, o censo de aves é fundamental para gerar informações que auxiliam na compreensão de tendências populacionais. Tais censos, devido à marcada sazonalidade deste hemisfério, são realizados durante dois momentos distintos: na estação reprodutiva (aves residentes) e no inverno (quando as aves migratórias deixam determinadas regiões). Na região neotropical, porém, dependendo da localidade, as aves podem se reproduzir durante qualquer ou vários períodos do ano; podem ou não migrar, e aquelas que o fazem podem apresentar um padrão assincrônico. Em contraste com o hemisfério norte, tendências populacionais são desconhecidas, bem como o impacto das taxas rápidas de urbanização e desmatamento, que também são pouco monitoradas. Para melhor entender padrões temporais de riqueza e abundância de aves, e avaliar como um censo similar pode ser implementado na América tropical, foram utilizados pontos de escuta ao longo de 12 meses em uma localidade no Estado de São Paulo, sudeste do Brasil. Os censos ocorreram duas vezes por dia (manhãs/tardes) em uma floresta semidecidual ao longo de transecções com 10 pontos (20 pontos por dia) distantes 200 m entre si e com raio de detecção limitado em 100 m. Ambas as riquezas e abundâncias de aves foram maiores durante as manhãs, mas as curvas de acumulação sugerem que os censos vespertinos com maior esforço amostral podem fornecer resultados similares aos censos matutinos. Riqueza e abundância das aves não variam de acordo com estações (i.e., sem padrão aparente entre reprodução e migração), enquanto espécies exclusivas foram encontradas todos os meses e relativamente poucas espécies (20%) foram registradas em todos os meses do ano. Durante este ano, 84% de todas as aves florestais da área estudada foram registradas. Sugerimos que a metodologia de pontos de escuta pode ser utilizada à semelhança dos censos do hemisfério norte. Recomendamos ainda que o esforço amostral em transecções deva incluir ao menos 20 pontos, e que o início da contagem das aves deva ser sazonal, utilizando o período de migração das espécies austrais (e os seis meses seguintes) para coordenar pontos de escuta. Por último, sugerimos que os censos no Brasil e até mesmo na América Latina podem ajudar no entendimento de tendências populacionais, mas também demandam maior esforço do que o observado em latitudes temperadas, devido à maior riqueza de espécies e diferenças nas dinâmicas de reprodução e migração. Por meio do uso de censos de aves coordenados poderá ser desenvolvida uma técnica para os trópicos que irá gerar informações que permitam acompanhar tendências populacionais, com benefícios para a conservação das aves, similarmente aos censos realizados em países do hemisfério norte.

Breeding Bird Survey; Christmas Bird Count; Método de censo para avifauna; Pan-European Common Bird Monitoring Scheme; Protocolos metodológicos; Variação temporal; Variação sazonal


Museu de Zoologia da Universidade de São Paulo Av. Nazaré, 481, Ipiranga, 04263-000 São Paulo SP Brasil, Tel.: (55 11) 2065-8133 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: einicker@usp.br