Papéis Avulsos de Zoologia, Volume: 43, Issue: 4, Published: 2003
  • Systematic revision of the Phorusrhacidae (Aves: Ralliformes)

    Alvarenga, Herculano M.F.; Höfling, Elizabeth

    Abstract in Portuguese:

    Foram estudados os fósseis de aves atribuídos à família Phorusrhacidae depositados em diversos museus da América do Sul, da América do Norte e da Europa, com o objetivo principal de caracterizar esta família e reorganizar o estado caótico que até então envolvia a nomenclatura e classificação destas aves. A reconstituição de algumas espécies é feita, com o propósito de formar uma idéia sobre o tamanho, massa corpórea, postura e hábitos com base no esqueleto das mesmas. As formas européias, Ameghinornis minor e Aenigmavis sapea são refutadas como pertencentes à esta família. São refutadas ainda várias formas do Terciário da Argentina, descritas com base em segmentos de esqueleto, insuficientes para uma plena identificação como é o caso dos gêneros Cunampaia, Smiliornis, Pseudolarus, Lophiornis e Riacama, freqüentemente referidos como pertencentes aos Phorusrhacidae. A família Phorusrhacidae certamente originou-se na América do Sul pelo final do Cretáceo, como resultado de um endemismo formado pelo isolamento dessa porção de terra. Pelo final do Plioceno, com a emersão do istmo do Panamá, a família estendeu-se até a América do Norte onde pelo menos uma espécie, Titanis walleri que talvez represente a última conhecida desta família, que extinguiu-se no início do Pleistoceno. A revisão sistemática foi conduzida com inúmeros problemas de nomenclatura e a família Phorusrhacidae passa então a ser constituída de cinco subfamílias, ou seja: Brontornithinae, Phorusrhacinae, Patagornithinae, Psilopterinae e Mesembriornithinae, nas quais se distribuem 13 gêneros e 17 espécies. Os caracteres de todos os táxons são descritos e finalmente é apresentada uma distribuição geocronológica de todas as espécies.

    Abstract in English:

    Fossil remains of birds belonging to the family Phorusrhacidae were studied in several museums of South America, North America and Europe, the main objective being to characterize this family and solve the chaotic state of the nomenclature and classification of these birds. Reconstruction of some species has been done, with the purpose of having an idea about the size, body weight, posture and habit based in their skeletons. The European species, Ameghinornis minor and Aenigmavis sapea are refuted as belonging to this family. Also several forms described from the Tertiary of Argentina are refuted, because they are based on inadequate segments of the skeleton for a good identification, as is the case of the genera Cunampaia, Smiliornis, Pseudolarus, Lophiornis and Riacama, frequently refered to as belonging to the Phorusrhacidae. The Phorusrhacidae family probably originated in South America, since the end of the Cretaceous, as a result of an endemism formed by the isolation of this landmass. During the end of the Pliocene, with the emersion of the Panama isthmus, the family spread to the North America where at least one species is known Titanis walleri, which perhaps represents the last known species of this family, probably becoming extinct in the beginning of the Pleistocene. A systematic revision has been conducted, dealing with the countless problems of nomenclature, and the Phorusrhacidae is now composed of five subfamilies, which are: Brontornithinae, Phorusrhacinae, Patagornithinae, Psilopterinae and Mesembriornithinae in which 13 genera and 17 species are considered. Characters of all taxa are described and a geochronological distribution of all species is presented.
Museu de Zoologia da Universidade de São Paulo Av. Nazaré, 481, Ipiranga, 04263-000 São Paulo SP Brasil, Tel.: (55 11) 2065-8133 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: einicker@usp.br