O Tempo vivido em Mrs. Dalloway à Luz da Fenomenologia de Merleau-Ponty

Experienced Time in Mrs. Dalloway in Light of Merleau-Ponty’s Phenomenology

El Tiempo Vivido en La Señora Dalloway a la Luz de la Fenomenología de Merleau-Ponty

Resumo

O romance Mrs. Dalloway, escrito pela inglesa Virginia Woolf (1882-1941), é um marco na literatura universal por apresentar um novo formato na arte da escrita intitulado fluxo de consciência. Esta forma estilística visa descrever as falas e os pensamentos dos personagens por meio do discurso indireto livre, integrado à preleção do narrador. O enredo se passa em um único dia da vida da protagonista Clarissa Dalloway, no qual são captados os ínfimos detalhes do que ela experiencia. Dentre os fenômenos vivenciados encontramos a noção de tempo, por meio da qual o narrador mistura homogeneamente o fluxo passado, presente e futuro. O objetivo deste artigo é discutir a vivência do tempo na referida obra literária pautada numa discussão fenomenológica. Para isto, utilizamos como método a revisão narrativa da literatura de autores que contribuíram para o desenvolvimento da noção de tempo vivido na fenomenologia. É no fluxo do tempo que se dão os significados das experiências na história dos personagens no seu contato ambíguo com o mundo. Concluímos que as descrições elaboradas por Virginia Woolf possibilitam uma aproximação à vivência do tempo, que atravessa a totalidade da dimensão do ser.

Palavras-chave:
Fenomenologia; Tempo vivido; Mrs. Dalloway; Virginia Woolf; Merleau-Ponty

Conselho Federal de Psicologia SAF/SUL, Quadra 2, Bloco B, Edifício Via Office, térreo sala 105, 70070-600 Brasília - DF - Brasil, Tel.: (55 61) 2109-0100 - Brasília - DF - Brazil
E-mail: revista@cfp.org.br