Emergência de Plantas Daninhas em Solo com Plantas de Cobertura em Sistema Plantio Direto Agroecológico

M. SOUZA V. MÜLLER JR. C. KURTZ G. BRUNETTO R.R. COUTO J.J. COMIN Sobre os autores

RESUMO:

O cultivo e a deposição dos resíduos de plantas de cobertura sobre a superfície do solo em sistema de plantio direto podem reduzir a emergência de plantas espontâneas. Este trabalho objetivou avaliar, em casa de vegetação, a emergência de plantas daninhas em solo com plantas de cobertura em sistema de plantio direto agroecológico de cebola. O experimento foi conduzido nos anos de 2010 e 2011, com amostras de solo de Ituporanga-SC. Em abril, foram implantados os tratamentos: testemunha com planta daninha (Test), cevada (2010)/aveia-preta (2011) (CV/AV), centeio (CE), nabo forrageiro (NF), nabo forrageiro + centeio (NF+CE) e nabo forrageiro + cevada/aveia-preta (NF+CV/NF+AV). Em julho, foram coletadas as amostras de solo. A identificação e a avaliação de emergência das espécies em casa de vegetação ocorreram aos 15, 30, 45, 60, 75, 90 e 105 dias após a instalação do experimento. As espécies com maior ocorrência foram: Amaranthus lividus, Cyperus spp., Oxalis spp., Stachys arvensis, Rumex obtusifolius e Galinsoga parviflora. Os resíduos das gramíneas centeio, cevada e aveia-preta solteiros sobre a superfície do solo apresentaram maior capacidade de supressão da emergência de plantas daninhas, principalmente nos primeiros 45 dias de avaliação, o que corresponde, em campo, ao início do período crítico de desenvolvimento da cebola e de maior competição com as plantas daninhas.

Palavras-chave:
adubação verde; banco de sementes; Allium cepa

Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas Departamento de Fitotecnia - DFT, Universidade Federal de Viçosa - UFV, 36570-000 - Viçosa-MG - Brasil, Tel./Fax::(+55 31) 3899-2611 - Viçosa - MG - Brazil
E-mail: rpdaninha@gmail.com