Manejo da Podridão Cinzenta no Feijão-Mungo por Meio de Duas Espécies de Trichoderma e da Biomassa Seca de Coronopus didymus

A. JAVAID I.H. KHAN A. SHOAIB Sobre os autores

RESUMO:

Um experimento em vaso foi realizado para verificar o efeito da aplicação da biomassa seca de Coronopus didymus (L.) Sm. (1%, 2% e 3% p/p) e duas espécies de Trichoderma (T. viride e T. aureoviride) sobre o crescimento e a fisiologia do feijão-mungo [Vigna radiata (L.) WIlczek] sob estresse biótico causado pelo fungo Macrophomina phaseolina (Tassi) Goid. A inoculação de M. phaseolina (controle positivo) reduziu a sobrevivência das plantas, o comprimento da parte aérea e da raiz e a biomassa seca das plantas em 22%, 52%, 61% e 64%, respectivamente, em relação ao controle negativo (sem qualquer alteração). Foram observados 100% de sobrevivência das plantas nos tratamentos com T. aureoviride isoladamente ou em combinação com 1% e 2% da biomassa de C. didymus. Da mesma forma, T. viride em combinação com 2% de biomassa também resultou em 100% de sobrevivência das plantas. A aplicação de 3% de biomassa de C. didymus teve efeito acentuado no crescimento da cultura, resultando em aumento de 101%, 233% e 342% no comprimento da parte aérea, comprimento da raiz e biomassa da planta, respectivamente, em relação ao controle positivo. A inoculação isolada de uma das duas espécies de Trichoderma spp. melhorou de forma significativa vários parâmetros de crescimento das plantas, em comparação ao controle positivo. Em geral, em combinação com 2% de biomassa de C. didymus, ambas as espécies de Trichoderma spp. provaram ser a escolha mais apropriada para melhorar a biomassa de feijão-mungo sob estresse causado por M. phaseolina. A atividade das enzimas relacionadas à defesa da planta, ou seja, peroxidase (PO), polifenol oxidase (PPO) e fenilalanina amônia liase (PAL), foi geralmente maior nos tratamentos em que 1% da biomassa de C. didymus foi aplicada isoladamente ou combinada com Trichoderma spp. em solo inoculado com M. phaseolina.

Palavras-chave:
controle biológico; correção do solo; mastruço; Vigna radiata

Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas Departamento de Fitotecnia - DFT, Universidade Federal de Viçosa - UFV, 36570-000 - Viçosa-MG - Brasil, Tel./Fax::(+55 31) 3899-2611 - Viçosa - MG - Brazil
E-mail: rpdaninha@gmail.com