Estudo Multianos Revela a Importância dos Herbicidas Residuais no Controle de Plantas Daninhas em Soja RR

A.L. NUNES J. LORENSET J.E. GUBIANI F.M. SANTOS Sobre os autores

RESUMO:

Um estudo de campo de três safras foi conduzido para avaliar o potencial de uso de herbicidas pré-emergentes misturados com glyphosate como meio de controlar as espécies de plantas daninhas na cultura da soja. Nas safras 2011/12, 2012/13 e 2013/14, o cultivar Brasmax Apollo RR foi semeado sob resíduos de colheita de centeio. Os tratamentos herbicidas foram o glyphosate (gly) (1.296 g i.a. ha-1), gly + S-metolachlor (1.296 + 1.920), gly + imazaquin (1.296 + 161), gly + pendimethalin (1.296 + 1.000), gly + metribuzin (1.296 + 480) e gly + 2,4-D (1.296 + 1.209) aspergidos em pré-emergência (PRE) dois dias antes da semeadura da soja. Além disso, foram incluídas as testemunhas capinada e sem capina. Gly + S-metolachlor e gly + pendimethalin reduziram a densidade de buva de 48 para 3 e 6 plantas m-2, respectivamente. A mistura contendo gly + metribuzin e gly + 2,4-D amina e o gly aplicado isoladamente não apresentaram controle dessa planta daninha. As misturas contendo gly + metribuzin, gly + 2,4-D amina, gly + imazaquin e gly aplicado isoladamente não mostraram qualquer efeito no controle de milhã. Em contraste, gly + S-metolachlor e gly + pendimethalin reduziram a densidade de milhã de 70 para 0 e 1 planta m-2, respectivamente. O rendimento de soja foi maior na testemunha sem capina, gly + S-metolachlor e gly + metribuzin. O uso de herbicida com efeito residual teve impacto no manejo de plantas daninhas e na produtividade da soja. Os maiores níveis de controle de buva e milhã ocorreram com os herbicidas S-metolachlor e metribuzin.

Palavras-chave:
Glycine max; 2,4-D; metribuzin; S-metolachlor; Conyza spp

Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas Departamento de Fitotecnia - DFT, Universidade Federal de Viçosa - UFV, 36570-000 - Viçosa-MG - Brasil, Tel./Fax::(+55 31) 3899-2611 - Viçosa - MG - Brazil
E-mail: rpdaninha@gmail.com