A biomedicina

The biomédice

La biomedicine

Resumos

A construção teórica de categorias nosológicas desempenha um papel fundamental para a racionalidade médica. Estruturado a partir dos modelos de cientificidade oriundos do desenvolvimento da física clássica, o saber médico apresenta-se, contudo, como um agregado irregular de disciplinas onde muitas das noções fundamentais são implícitas, levando ao surgimento de contradições insuperáveis no seu interior e na sua relação com a prática. Este trabalho analisa em detalhe alguns dos pressupostos desta racionalidade, procurando explicitar os obstáculos que estes produzem para que se alcancem os objetivos éticos da prática terapêutica.

Epistemologia; racionalidade médica; história da medicina


The theoretical construction of nosologic categories plays a major role in medical rationality. Structured upon scientific models originated from the development of classical physics, medical knowledge is, however an irregular aggregate of disciplines where many of its fundamental notions are implicit, leading to the production of contradictions that cannot be overcome, both intemally and in it's relations to clinics. This paper analyses in detail some of the preconceptions of this rationality, attempting to outline the obstacles that they produce, which in tum hamper the fulfillment of the ethical goals of the therapeutic practices.

Epistemology; medical rationality; history of medicine


La construction théorique des categories diagnostiques est fondamental pour la racionalité medicale. Le savoir médical est structuré sur les modéles scientifiques produites par la phisique classique, mais il paraitre un ensemble irrégulier de disciplines oú les idées fondamentales sont implicites, donc contradictions insurmontables surgent. Cet travail annalises la racionalité biomedicale, en cherchant de montrer les obstacles que cette racionalité produit, empêchant la consecution pleine de les objectifs de la practique therapeutique.

Epistemologie; racionalité médicale; histoire de la médécine


A biomedicina* * Este trabalho é um desdobramento de um texto originalmente publicado em Camargo Jr. (1995). A ampliação deste trabalho deve-se em muito aos próprios desenvolvimentos do Projeto Racionalidades Médicas e a sugestões do professor Mirko Grmek, quando de sua estada mais recente no Brasil.

The biomédice

La biomedicine

Kenneth Tochel de Camargo Jr.

Doutor em Saúde Coletiva, professor adjunto do Instituto de Medicina Social da UERJ

RESUMO

A construção teórica de categorias nosológicas desempenha um papel fundamental para a racionalidade médica. Estruturado a partir dos modelos de cientificidade oriundos do desenvolvimento da física clássica, o saber médico apresenta-se, contudo, como um agregado irregular de disciplinas onde muitas das noções fundamentais são implícitas, levando ao surgimento de contradições insuperáveis no seu interior e na sua relação com a prática. Este trabalho analisa em detalhe alguns dos pressupostos desta racionalidade, procurando explicitar os obstáculos que estes produzem para que se alcancem os objetivos éticos da prática terapêutica.

Palavras-chave: Epistemologia; racionalidade médica; história da medicina.

ABSTRACT

The theoretical construction of nosologic categories plays a major role in medical rationality. Structured upon scientific models originated from the development of classical physics, medical knowledge is, however an irregular aggregate of disciplines where many of its fundamental notions are implicit, leading to the production of contradictions that cannot be overcome, both intemally and in it's relations to clinics. This paper analyses in detail some of the preconceptions of this rationality, attempting to outline the obstacles that they produce, which in tum hamper the fulfillment of the ethical goals of the therapeutic practices.

Keywords: Epistemology; medical rationality; history of medicine.

RÉSUMÉ

La construction théorique des categories diagnostiques est fondamental pour la racionalité medicale. Le savoir médical est structuré sur les modéles scientifiques produites par la phisique classique, mais il paraitre un ensemble irrégulier de disciplines oú les idées fondamentales sont implicites, donc contradictions insurmontables surgent. Cet travail annalises la racionalité biomedicale, en cherchant de montrer les obstacles que cette racionalité produit, empêchant la consecution pleine de les objectifs de la practique therapeutique.

Mots·clé: Epistemologie; racionalité médicale; histoire de la médécine.

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

Bibliografia

Recebido em 23/10/97.

Aprovado em 17/11/97.

  • ACKERNECHT, E. W. La médicine hospitaliere a Paris: 1794-1848 Paris: Payot, 1986.
  • ALMEIDA FILHO, N. Epidemiologia sem números Rio de Janeiro: Campus, 1989.
  • ALMEIDA, E. Medicina hospitalar, medicina extra-hospitalar: duas medicinas? Rio de Janeiro, IMS-UERJ, dissertação de mestrado, 1988.
  • BACHELARD. A epistemologia Lisboa: Edições 70, 1977.
  • BALINT, M. O médico, seu paciente e a doença Rio de Janeiro: Ateneu, 1975.
  • BLANK, N. O raciocínio clínico e os equipamentos médicos. Rio de Janeiro, IMS-UERJ, dissertação de mestrado, 1985.
  • BURTT, E. A. As bases meta físicas da ciência moderna Brasília: Ed. da UnB, 1983.
  • CAMARGO JR., K. R. (Ir)Racionalidade médica: os paradoxos da clínica. Rio de Janeiro, IMS-UERJ, dissertação de mestrado, 1990.
  • CAMARGO JR., K. R. A medicina ocidental contemporânea. Cadernos de Sociologia, Porto Alegre, v. 7, p. 129-150, dez. 1995.
  • CANGUILHEM, G. O normal e o patológico Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1982.
  • CANGUILHEM, G. O que é uma ideologia científica? In: CANGUlLHEM, G., Ideologia e racionalidade nas ciências da vida Lisboa: Edições 70, 1977.
  • CLAVREUL, J. A ordem médica São Paulo: Brasiliense, 1983.
  • FLECK, L. Genesis and development of a scientific facto. Chicago: University of Chicago Press, 1979.
  • FOUCAULT, M. Las formaciones discursivas. In: FOUCAULT, M., La arqueología del saber Mexico: Siglo Veintiuno, 1972.
  • FOUCAULT, M. o nascimento da medicina social. In: FOUCAULT, M., Microfísica do poder Rio de Janeiro: Graa1, 1981.
  • FOUCAULT, M. O nascimento do hospital. In: FOUCAULT, M., Microfúica do poder Rio de Janeiro: Graa1, 1981.
  • GINZBURG, C. Sinais: raízes de um paradigma indiciário. In: GINZBURG, C., Mitos, emblemas, sinais. São Paulo: Cia. Das Letras, 1989.
  • GRMEK, M. La réception du De Sedibus de Morgagni en France au 18e. siecle. Dixhuitieme Siecle, n. 23, p. 59-73, 1991.
  • HALL, A. R. A revolução na ciência, 1500-1750. Lisboa: Edições 70, 1988.
  • KLEINENBAUM, D. G. et alii Epidemiologic research Belmont, CA: Lifetime Learning Publications, 1982.
  • LEAVELL, H. e CLARK, E. G. Medicina preventiva São Paulo: McGraw-Hill do Brasil, 1976.
  • LILLIENFELD, D. Foundations of epidemiology New York: Oxford University Press, 1980.
  • LÖWY, I. Ludwik Fleck e a presente história das ciências. História, Ciências, Saúde - Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 7-18, 1994.
  • LUZ, M. T. Introdução. In: LUZ, M. T. et alii Primeiro seminário - Projeto Racionalidades Médicas. Rio de Janeiro, IMS-UERJ, mimeo, 1992.
  • PINTO, P. G. H. R. Saber ver: recursos visuais e a formação médica. Rio de Janeiro, IMS-UERJ, dissertação de mestrado, 1997.
  • PLASTINO, C. Os horizontes de Prometeu. Considerações para uma crítica da modernidade. Physis, Rio de Janeiro, v. 6, n. 112, p. 195-216, 1996.
  • RODRIGUES, R. D. A crise da medicina: prática e saber. Rio de Janeiro, IMS-UERJ, 1979.
  • SACKETT, D., HAYNES, B. e TUGWELL, P. Clinical epidemiology Boston: Litt1e, Brown & Co., 1985.
  • SAYD, J. D. Mediar, medicar, remediar. Terapêutica na medicina contemporânea: o pensamento médico brasileiro. Rio de Janeiro, IMS-UERJ, tese de doutorado, 1995.

  • *
    Este trabalho é um desdobramento de um texto originalmente publicado em Camargo Jr. (1995). A ampliação deste trabalho deve-se em muito aos próprios desenvolvimentos do Projeto Racionalidades Médicas e a sugestões do professor Mirko Grmek, quando de sua estada mais recente no Brasil.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    04 Fev 2009
  • Data do Fascículo
    Jun 1997

Histórico

  • Aceito
    17 Nov 1997
  • Recebido
    23 Out 1997
IMS-UERJ PHYSIS - Revista de Saúde Coletiva, Instituto de Medicina Social Hesio Cordeiro - UERJ, Rua São Francisco Xavier, 524 - sala 6013-E- Maracanã, 20550-013 - Rio de Janeiro - RJ, Tel.: (21) 2334-0504 - ramal 268 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: publicacoes@ims.uerj.br