Agenciamentos sociais, subjetividade e sintoma: a seleção hierarquizada da clientela em um ambulatório público de saúde mental

Social arrangements, subjectivity and sympton: the hierarchized selection of patients in a public mental health ambulatory

Agencements sociales, subjectivité et symptôme: la sélection hiérarchisé de la clientèle dans un ambulatoire public de santé mentale

Erimaldo Matias Nicacio Sobre o autor

Resumos

A pesquisa apresentada neste artigo teve por objetivo o estudo da lógica implícita no padrão de seleção dos pacientes de um ambulatório público pelos Serviços de Psicologia e Psiquiatria. Os pacientes que afluem a esses dois serviços foram classificados em três grupos, com base nos enunciados produzidos para tematização do sofrimento: o dos sujeitos psicológicos, o dos doentes dos nervos e o dos loucos. No processo de investigação, constatou-se que os pacientes do primeiro grupo tendem a ser encaminhados para o Serviço de Psicologia, no qual têm acesso ao dispositivo de escuta psicoterápica, podendo, assim, emitir um discurso sobre seu próprio sofrimento, enquanto os que se situam nos outros dois grupos são encaminhados para o Serviço de Psiquiatria, onde são submetidos ao tratamento medicamentoso. Conclui-se que tal padrão de seleção se caracteriza por uma hierarquização da clientela,iegundo uma lógica que implica a desqualificação da diferença, a normalização da loucura, a garantia da produtividade e a realização do mínimo.

Sujeito psicológico; doentes dos nervos; loucos; loucura; psiquiatria; saúde mental; saúde pública; saúde coletiva


The research presented in this paper had as aim the study of implicit Iogic underlying the pattems of patients seIection by psychoIogy and psychiatry services in a public ambuIatory. The patients that flow to these two services were cIassificated in three groups, take into consideration the statements produced about theirs own suffering: the psychoIogical subjects, the nervous and the mads. The patients of the first group are, generally, Ied to the psychoIogy service, where they can speak about theirs suffering in a psychoterapy setting, while the others are Ied to the psychiatry service. where they are subjected to pharmacoIogical treatment. The research conc1uded that one can find a hierarchized care in that pattem of seIection. whose Iogic is based on disqualification of the difference. normalization of the madness, assurance of the productivity and actualization of the minimum.

PsychoIogicaI subjects; nervous subjects; madness; psychiatry; mental illness; public health


La recherche présenté dans cet articIe eut pour but étudier Ia IQgique subjacent au modéIe de seIection des patients pour Ies services de psychoIogie et psychiatrie d'un ambuIatoire publico Les patients qui affluent à ces deux services on été divisé dans trois groups, selon des énoncés utilisés pour décrire Ia souffrance: Ies sujets psychologiques, Ies malades des nerfs et Ies fous. On a pu vérifier que Ies patients de Ie prernier group. en général, sont conduits vers Ie Service de PsychoIogie. oú ils peuvent parIer sur sa souffrance. pendant que ceux situés dans Ies autres groups sont conduits vers Ie Service de Psychiatrie, oú ils demande traitrnent médicamenteux. On a pu conc1ure que ce modéIe de séléction est caracterizé par une hierarchisation de Ia clientéIe, dont Iogique implique Ia disqualification de Ia différence, Ia normalisation de Ia folie. Ia garantie de Ia productibilité et Ia réalisation du minimum.

Sujets psychologiques; mal adie des nerfs; sujets fous; maladie mentale; psychiatrie; folie


Agenciamentos sociais, subjetividade e sintoma: a seleção hierarquizada da clientela em um ambulatório público de saúde mental* * Este artigo constitui a versão resumida e ligeiramente modificada da dissertação de mestrado, de mesmo título, defendida no Instituto de Medicina Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, em agosto de 1994.

Social arrangements, subjectivity and sympton. The hierarchized selection of patients in a public mental health ambulatory

Agencements sociales, subjectivité et symptôme. La sélection hiérarchisé de la clientèle dans un ambulatoire public de santé mentale

Erimaldo Matias Nicacio

Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva do Instituto de Medicina Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro; psicólogo do IASERJ; professor do curso de Especialização em Medicina do Trabalho da Fundação Técnico-Educacional Souza Marques

RESUMO

A pesquisa apresentada neste artigo teve por objetivo o estudo da lógica implícita no padrão de seleção dos pacientes de um ambulatório público pelos Serviços de Psicologia e Psiquiatria. Os pacientes que afluem a esses dois serviços foram classificados em três grupos, com base nos enunciados produzidos para tematização do sofrimento: o dos sujeitos psicológicos, o dos doentes dos nervos e o dos loucos. No processo de investigação, constatou-se que os pacientes do primeiro grupo tendem a ser encaminhados para o Serviço de Psicologia, no qual têm acesso ao dispositivo de escuta psicoterápica, podendo, assim, emitir um discurso sobre seu próprio sofrimento, enquanto os que se situam nos outros dois grupos são encaminhados para o Serviço de Psiquiatria, onde são subme­tidos ao tratamento medicamentoso. Conclui-se que tal padrão de seleção se caracteriza por uma hierarquização da clientela,iegundo uma lógica que implica a desqualificação da diferença, a normalização da loucura, a garantia da produtividade e a realização do mínimo.

Palavras-chave: Sujeito psicológico; doentes dos nervos; loucos; loucura; psiquiatria; saúde mental; saúde pública; saúde coletiva.

ABSTRACT

The research presented in this paper had as aim the study of implicit Iogic underlying the pattems of patients seIection by psychoIogy and psychiatry services in a public ambuIatory. The patients that flow to these two services were cIassificated in three groups, take into consideration the statements produced about theirs own suffering: the psychoIogical subjects, the nervous and the mads. The patients of the first group are, generally, Ied to the psychoIogy service, where they can speak about theirs suffering in a psychoterapy setting, while the others are Ied to the psychiatry service. where they are subjected to pharmacoIogical treatment. The research conc1uded that one can find a hierarchized care in that pattem of seIection. whose Iogic is based on disqualification of the difference. normalization of the madness, assurance of the productivity and actualization of the minimum.

Keywords: PsychoIogicaI subjects; nervous subjects; madness; psychiatry; mental illness; public health.

RESUMÉ

La recherche présenté dans cet articIe eut pour but étudier Ia IQgique subjacent au modéIe de seIection des patients pour Ies services de psychoIogie et psychiatrie d'un ambuIatoire publico Les patients qui affluent à ces deux services on été divisé dans trois groups, selon des énoncés utilisés pour décrire Ia souffrance: Ies sujets psychologiques, Ies malades des nerfs et Ies fous. On a pu vérifier que Ies patients de Ie prernier group. en général, sont conduits vers Ie Service de PsychoIogie. oú ils peuvent parIer sur sa souffrance. pendant que ceux situés dans Ies autres groups sont conduits vers Ie Service de Psychiatrie, oú ils demande traitrnent médicamenteux. On a pu conc1ure que ce modéIe de séléction est caracterizé par une hierarchisation de Ia clientéIe, dont Iogique implique Ia disqualification de Ia différence, Ia normalisation de Ia folie. Ia garantie de Ia productibilité et Ia réalisation du minimum.

Mots-clé: Sujets psychologiques; mal adie des nerfs; sujets fous; maladie mentale; psychiatrie; folie.

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

Referências Bibliográficas:

EZERRA Jr., B. (1990), "Considerações sobre as Terapêuticas Ambulatoriais em Saúde Mental", in N. do R. Costa e S. Tundis (orgs.), Cidadania e Loucura. Petrópolis, Vozes/ Abrasco.

_______. (1994). "De Médico, de Louco e de Todo Mundo um Pouco", in R. Guima­rães e R. Tavares (orgs.), Saúde e Sociedade no Brasil - Anos 80. Rio de Janeiro, Relume-Dumará .

_______. e AMARANTE, P. (orgs.). (1992), Psiquiatria sem Hospício. Rio de Janeiro, Relume-Dumará .

BIRMAN, J. (1978), A Psiquiatria como Discurso da Moralidade. Rio de Janeiro, Graal.

_______. (1992), "A Cidadania Tresloucada", in B. Bezerra Jr. e P. Amarante (orgs.), Psiquiatria sem Hospício. Rio de Janeiro, Relume-Dumará .

CASTEL, R. (1980), A Gestão dos Riscos. São Paulo, Francisco Alves.

CASTEL, E, CASTEL, R. e LOVELL, A. (1980), La Sociedad Psiquiatrica Avanzada

_______. El Modelo Norteamericano. Barcelona, Editorial Anagrama.

CHACAL. (1987), Comício de Tudo. São Paulo, Brasiliense.

COSTA, J. F. (1987), "Consciência da Doença como Consciência do Sintoma: A 'Doença dos Nervos' e a Identidade Psicológica". Cadernos do IMS, voI. 1, n° 1, março/abril.

_______. (1989), Psicanálise e Contexto Cultural. Rio de Janeiro, Campus.

DELEUZE, G. (1992), Conversações. Rio de Janeiro, Ed. 34.

_______. e GUATTARI, E (1976), O Anti-Édipo. Rio de Janeiro, Imago.

DUARTE, L. F. D. (1986), Da Vida Nervosa nas Classes Trabalhadoras Urbanas. Rio de Janeiro, Jorge Zahar Editores.

FOUCAULT, M. (1988), História da Loucura. São Paulo, Perspectiva.

GOFFMAN, E. (1988), Manicômios, Conventos e Prisões. São Paulo, Perspectiva. GUATTARI, E e ROLNIK, S. (1982), Micropolítica - Cartografias do Desejo. Petrópolis, Vozes.

LANCETTI, A. (1989), "Prevenção em Saúde Mental". SaúdeLoucura. São Paulo, Hucitec.

LAPASSADE, G. (1980), Socioanalisis y Potencial Humano. Barcelona, Gedisa. ROTELLI, F. et alii. (1990), Desinstitucionalização. São Paulo, Hucitec.

_______. e AMARANTE, P. (1992), "Reformas Psiquiátricas na Itália e no Brasil: Aspectos Históricos e Metodológicos", in B. Bezerra Jr. e P. Amarante (orgs.), Psiquiatria sem Hospício. Rio de Janeiro, Relume-Dumará .

Recebido em 28/08/95.

Aprovado em 06/12/95.

  • *
    Este artigo constitui a versão resumida e ligeiramente modificada da dissertação de mestrado, de mesmo título, defendida no Instituto de Medicina Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, em agosto de 1994.
    • EZERRA Jr., B. (1990), "Considerações sobre as Terapêuticas Ambulatoriais em Saúde Mental", in N. do R. Costa e S. Tundis (orgs.), Cidadania e Loucura. Petrópolis, Vozes/ Abrasco.
    • _______. (1994). "De Médico, de Louco e de Todo Mundo um Pouco", in R. Guimarães e R. Tavares (orgs.), Saúde e Sociedade no Brasil - Anos 80. Rio de Janeiro, Relume-Dumará
    • _______. e AMARANTE, P. (orgs.). (1992), Psiquiatria sem Hospício. Rio de Janeiro, Relume-Dumará
    • BIRMAN, J. (1978), A Psiquiatria como Discurso da Moralidade. Rio de Janeiro, Graal.
    • _______. (1992), "A Cidadania Tresloucada", in B. Bezerra Jr. e P. Amarante (orgs.), Psiquiatria sem Hospício. Rio de Janeiro, Relume-Dumará
    • CASTEL, R. (1980), A Gestão dos Riscos. São Paulo, Francisco Alves.
    • CASTEL, E, CASTEL, R. e LOVELL, A. (1980), La Sociedad Psiquiatrica Avanzada
    • _______. El Modelo Norteamericano. Barcelona, Editorial Anagrama.
    • CHACAL. (1987), Comício de Tudo. São Paulo, Brasiliense.
    • COSTA, J. F. (1987), "Consciência da Doença como Consciência do Sintoma: A 'Doença dos Nervos' e a Identidade Psicológica". Cadernos do IMS, voI. 1, n° 1, março/abril.
    • _______. (1989), Psicanálise e Contexto Cultural. Rio de Janeiro, Campus.
    • DELEUZE, G. (1992), Conversações. Rio de Janeiro, Ed. 34.
    • _______. e GUATTARI, E (1976), O Anti-Édipo. Rio de Janeiro, Imago.
    • DUARTE, L. F. D. (1986), Da Vida Nervosa nas Classes Trabalhadoras Urbanas. Rio de Janeiro, Jorge Zahar Editores.
    • FOUCAULT, M. (1988), História da Loucura. São Paulo, Perspectiva.
    • GOFFMAN, E. (1988), Manicômios, Conventos e Prisões. São Paulo, Perspectiva.
    • GUATTARI, E e ROLNIK, S. (1982), Micropolítica - Cartografias do Desejo. Petrópolis, Vozes.
    • LANCETTI, A. (1989), "Prevenção em Saúde Mental". SaúdeLoucura. São Paulo, Hucitec.
    • LAPASSADE, G. (1980), Socioanalisis y Potencial Humano. Barcelona, Gedisa.
    • ROTELLI, F. et alii. (1990), Desinstitucionalização. São Paulo, Hucitec.
    • _______. e AMARANTE, P. (1992), "Reformas Psiquiátricas na Itália e no Brasil: Aspectos Históricos e Metodológicos", in B. Bezerra Jr. e P. Amarante (orgs.), Psiquiatria sem Hospício. Rio de Janeiro, Relume-Dumará

    * Este artigo constitui a versão resumida e ligeiramente modificada da dissertação de mestrado, de mesmo título, defendida no Instituto de Medicina Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, em agosto de 1994.

    Datas de Publicação

    • Publicação nesta coleção
      12 Maio 2010
    • Data do Fascículo
      1996

    Histórico

    • Aceito
      06 Dez 1995
    • Recebido
      28 Ago 1995
    IMS-UERJ PHYSIS - Revista de Saúde Coletiva, Instituto de Medicina Social Hesio Cordeiro - UERJ, Rua São Francisco Xavier, 524 - sala 6013-E- Maracanã, 20550-013 - Rio de Janeiro - RJ, Tel.: (21) 2334-0504 - ramal 268 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
    E-mail: publicacoes@ims.uerj.br