A analítica da finitude como uma semiologia dos saberes e das práticas sobre o homem: esboço de uma crítica ao pensamento antropológico na Educação

The analytic of finitude as a semiology of the knowledges and the practices about man: towards a criticism of anthropological thinking in Education

Rodrigo Barbosa Lopes Sobre o autor

Resumo

Neste trabalho, apresenta-se o esboço de uma crítica aos argumentos que promovem a imagem antropológica do pensamento como concepção fundamental à Filosofia da Educação, isto é, como um tipo e um emprego particulares de Antropologia filosófica. Com efeito, esta concepção moderna da Filosofia define a Educação como a realização de um projeto antropológico fundamental, e é nesse sentido que a Filosofia da Educação pretende elucidar o sentido da Educação como mediação da existência histórico-social do homem no mundo. Para a análise deste problema, considerar-se-á a analítica da finitude, investigada por Michel Foucault em Les mots et les choses, como uma semiologia dos saberes e das práticas sobre o homem. Espera-se que os argumentos apresentados contribuam para aprofundar a crítica à concepção antropológico-humanista predominante nas reflexões sobre a Educação e indiquem, por outro lado, a possibilidade de investigar o exercício do pensamento filosófico no campo da Educação como uma experiência e um acontecimento.

Palavras-chave
Antropologia filosófica; Filosofia da Educação; Michel Foucault; Gilles Deleuze; experiência

UNICAMP - Faculdade de Educação Av Bertrand Russel, 801, 13083-865 - Campinas SP/ Brasil, Tel.: (55 19) 3521-6707 - Campinas - SP - Brazil
E-mail: proposic@unicamp.br