INFLUÊNCIA SOCIAL, MINORIAS ATIVAS E DESENVOLVIMENTO MORAL: ENSAIO TEÓRICO SOBRE A REPRESENTATIVIDADE POLÍTICA BRASILEIRA

INFLUENCIA SOCIAL, MINORÍAS ACTIVAS Y DESARROLLO MORAL: ENSAYO TEÓRICO SOBRE LA REPRESENTATIVIDAD POLÍTICA BRASILEÑA

SOCIAL INFLUENCE, ACTIVE MINORITIES AND MORAL DEVELOPMENT: THEORETICAL ESSAY ON BRAZILIAN POLITICAL REPRESENTATIVENESS

Paulo Roberto Grangeiro Rodrigues Sobre o autor

RESUMO

Apresentamos um ensaio teórico sobre a associação entre as formas de influência social: obediência, identificação e internalização, e o desenvolvimento moral desde a criança até o adulto, passando pelos níveis: Pré-convencional, Convencional e Pós-Convencional - consecutivos em função do desenvolvimento do pensamento, postulando a existência do Pensamento de Grupo (groupthink) entre o pensamento egocêntrico próprio do nível Pré-Convencional da infância e o sociocêntrico próprio do nível Pós-Convencional, possível para o adulto. O groupthink se estabelece no nível Convencional e se perpetua no adulto devido aos processos de dominação, não só no âmbito organizacional, mas também em todos os grupos sociais, a começar pela família. O objetivo foi analisar as consequências de tal predomínio na representatividade política nacional, por meio da análise das “Bancadas” da Câmara dos Deputados, e as possibilidades de sua superação por meio da ação de minorias ativas no Congresso Nacional.

Palavras-chave:
desenvolvimento moral; desenvolvimento cognitivo; influência social; minorias ativas; pensamento de grupo

Associação Brasileira de Psicologia Social Programa de Pós-graduação em Psicologia, Universidade Federal de Pernambuco, Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH), Av. da Arquitetura S/N - 7º Andar - Cidade Universitária, Recife - PE - CEP: 50740-550 - Belo Horizonte - MG - Brazil
E-mail: revistapsisoc@gmail.com