Envelhecimento humano e sensibilidade ao contraste fotópica para frequências angulares

Human aging and photopic contrast sensitivity for angular frequencies

Thiago Leiros Costa Renata Maria Toscano Barreto Lyra Nogueira Anne Gleide Filgueira Pereira Sandra Helena Ramalho Mousinho Michelle Madruga Marques Natanael Antonio dos Santos Sobre os autores

O objetivo deste estudo foi investigar o efeito do envelhecimento na sensibilidade a frequências angulares com luminância fotópica (42,6cd/m²). Foram mensuradas curvas de sensibilidade ao contraste em oito adultos jovens (20-29 anos) e oito idosos (60-70 anos) por meio do método psicofísico da escolha forçada. Todos os participantes estavam livres de doenças oculares identificáveis e tinham acuidade visual normal. Os resultados mostraram que o grupo de idosos apresentou alteração significante na faixa de frequências baixas e altas. Concluiu-se que o envelhecimento parece afetar o processamento de frequências angulares baixas e altas em condições de luminância fotópica.

percepção visual; sensibilidade ao contraste; envelhecimento humano; frequência angular


Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília, 70910-900 - Brasília - DF - Brazil, Tel./Fax: (061) 274-6455 - Brasília - DF - Brazil
E-mail: revistaptp@gmail.com