Arranjos cognitivos: abrangências e limitações representacionais

Cognitive arrangements: scope and representational limitations

Patrick Wagner de Azevedo Sylvia Beatriz Joffily Sobre os autores

Este artigo avalia as características quantitativas (dimensões dos campos sensoriais) e qualitativas (padrões configuracionais, qualias e tempo/espaciais) das modalidades sensoriais faltantes e remanescentes e como elas afetam o arranjo cognitivo e a fluência representacional de indivíduos sensorialmente privados (cegos e surdos). Sugere-se que a utilização precoce e maciça do caráter predominantemente configuracional da modalidade sensorial visual, principal modalidade remanescente nos surdos congênitos, iniba a produção representacional nesses indivíduos, enquanto que o uso intensivo e precoce do caráter predominantemente insinuador da modalidade sensorial auditiva, principal modalidade nos cegos congênitos, incentive a produção representacional nesses últimos.

arranjos cognitivos; privação sensorial; modalidade sensorial remanescente; modalidade sensorial faltante; representação mental


Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília, 70910-900 - Brasília - DF - Brazil, Tel./Fax: (061) 274-6455 - Brasília - DF - Brazil
E-mail: revistaptp@gmail.com